Abrir menu principal

Alterações

 
Stalin não apontou nenhum possível sucessor, nenhuma estrutura dentro da qual uma transferência de poder pudesse ocorrer.{{sfn|Khlevniuk|2015|p=310}} O Comitê Central se reuniu no dia de sua morte, com Malenkov, Beria e Khrushchev emergindo como figuras-chave do partido.{{sfn|Service|2004|pp=586–587}} O sistema de liderança coletiva foi restaurado e medidas foram introduzidas para impedir que qualquer membro atingisse a dominação autocrática novamente.{{sfn|Khlevniuk|2015|p=312}} A liderança coletiva incluía os seguintes oito membros seniores do [[Politburo do Partido Comunista da União Soviética|Presidium do Comitê Central do Partido Comunista da União Soviética]], listados de acordo com a ordem de precedência formalmente apresentada em 5 de março de 1953: [[Georgy Malenkov]], [[Lavrentiy Beria]], [[Vyacheslav Molotov]], [[Kliment Voroshilov]], [[Nikita Khrushchev]], [[Nikolai Bulganin]], [[Lazar Kaganovitch]] e [[Anastas Mikoyan]].<ref>{{citar livro|url=https://books.google.com/?id=NoIajCLpLigC&pg=PA20&lpg=PA20&dq=order+of+precedence++1953+++Mikoyan++Vorosilov++Kaganovich#v=onepage&q=order%20of%20precedence%20%201953%20%20%20Mikoyan%20%20Vorosilov%20%20Kaganovich&f=false|título=Flawed Succession: Russia's Power Transfer Crises|primeiro=Uri|último=Ra'anan|local=Oxford|publicado=Lexington Books|página=20|ano=2006|ISBN=978-0-7391-1403-2}}</ref> As reformas do sistema soviético foram imediatamente implementadas.{{sfn|Service|2004|p=591}} A reforma econômica reduziu os projetos de construção em massa, colocou uma nova ênfase na construção de casas e facilitou os níveis de tributação sobre o campesinato para estimular a produção.{{sfn|Khlevniuk|2015|p=315}} Os novos líderes buscaram a aproximação com a Iugoslávia e um relacionamento menos hostil com os EUA,{{sfn|Service|2004|p=593}} buscando o fim negociado da Guerra da Coréia em julho de 1953.{{sfn|Khlevniuk|2015|p=316}} Os médicos que foram presos foram libertados e os expurgos antissemitas cessaram.{{sfnm|1a1=Etinger|1y=1995|1pp=120–121|2a1=Conquest|2y=1991|2p=314|3a1=Khlevniuk|3y=2015|3p=314}} Anistia em massa para os presos por crimes não-políticos foi emitida, reduzindo para metade a população carcerária do país, enquanto os sistemas de segurança do estado e do Gulag foram reformados, com a tortura sendo banida em abril de 1953.{{sfn|Khlevniuk|2015|p=315}}
 
=== Reabilitação ===
 
Uma década após a morte de Stalin, sua política seria defendida e até seguida em parte por parte do novo secretário-geral, [[Leonid Brejnev]], que após a saída de [[Khrushchov]], tentaria "reabilitar" o nome de Stalin.
 
{{quote2|''Não devemos encobrir os erros, mas também não devemos encobrir os méritos, portanto, respeitemos Stalin.''|[[Leonid Brejnev]], 1965<ref>[http://www.ng.ru/ideas/2005-05-20/10_stalin.html - Традиции сталинизма как идеологии и практики будоражат воображение влиятельных политических сил]</ref>}}
 
Em 1965, em uma comemoração dos vinte anos da [[Grande Guerra Patriótica]], sob aplausos, citou pela primeira vez positivamente o nome de Stalin após sua morte, e disse que iria usar o mesmo título que usava o antigo líder, [[Secretário-Geral]], o que na época era algo intolerável; realmente, [[Brejnev]] fora impedido por forças maiores de realizar a reabilitação de Stalin, mas seguiu uma política que se estruturava bastante nas raízes do [[Stalinismo]], chamada [[Brejnevismo]], que defendia a [[burocracia]] no estado, o [[culto da personalidade]], a [[hegemonia]] soviética e o [[expansionismo]] do país, uma das poucas diferenças, era a invocação da paz pela parte desta doutrina; ficaria conhecida como "[[neostalinismo]]" e "[[doutrina Brejnev]]".<ref>{{Citar livro|url=https://books.google.com.br/books/about/The_Soviet_Colossus.html?id=BHaWGEZA5zMC&redir_esc=y|título=The Soviet Colossus: History and Aftermath|ultimo=Kort|primeiro=Michael|data=1996|editora=M.E. Sharpe|lingua=en|isbn=9780765628459}}</ref>
 
Em 1979, centenário de seu nascimento, a mando de [[Leonid Brejnev]], seu [[túmulo]] foi reformado e um [[busto]] do antigo líder erguido sobre ele, tornando-se um túmulo de [[herói nacional]].
 
== Família ==
30 581

edições