Diferenças entre edições de "Aquília Severa"

847 bytes adicionados ,  02h12min de 20 de abril de 2019
sem resumo de edição
(Pronto)
{{Info/Nobre
|nome = Aquília Severa
|imgw = 250px
|imagem = Aquilia Severa coin obverse.png
|legenda = [[Sestércio]] com [[efígie]] de Aquília Severa
|morte = Após 222
}}
'''Júlia Aquília Severa''' ({{lang-la|''Iulia Aquilia Severa''}}) foi uma [[virgem vestal]] e [[imperatriz-consorte romana]], segunda e quarta esposa do [[imperador romano|imperador]] [[Heliogábalo]] {{nwrap|r.|218|222}}. Aquília recebeu o [[prenome (Roma Antiga)|prenome]] "Júlia" depois de se tornar imperatriz. Filha do consular Quinto Aquílio Sabino, foi consagrada [[virgem vestal]] em [[Roma]]. Em violação ao voto de castidade das vestais, foi desposada em 220 pelo [[imperador romano|imperador]] [[Heliogábalo]] {{nwrap|r.|218|222}}, com quem teve breve casamento de poucos meses. A razão para o fim do casamento é desconhecida, mas se especula que tenha ocorrido por influência de [[Júlia Mesa]], avó do imperador, devido ao enorme escândalo causado pelo casamento da vestal. Heliogábalo casou com [[Ânia Faustina]], porém esse casamento também foi brevíssimo e logo Aquília recasou com ele, com quem viveu até o assassinato dele em 222. Nada mais se sabe sobre ela além dos eventos ligados a seu casamento e as autoridades no assunto, inclusive entre os antigos, se dividiram quanto a forma que analisaram o episódio.
 
== História ==
== Avaliação ==
 
Segundo Leonardo de Arrizabalaga y Prado, apesar da afirmação de Dião Cássio de que Aquília Severa era vestal, isso não é possível de confirmar pela cunhagem; nelas, há legendas com o nome de Vesta, [[Vênus (mitologia)|Vênus Celeste]], Vênus Félix, [[Letícia (mitologia)|Letícia]] e [[Concórdia (mitologia)|Concórdia]]. Mesmo que se admita a possibilidade de que foi vestal, e portanto seu casamento foi sacrílego, também é possível que essa informação foi forjada para atacar o imperador, pois outra imperatriz, [[Júlia Domna]] {{nwrap|r.|193|211}}, que não era vestal, cunhou moedas com nome da deusa.{{sfn|Prado|2017|p=347}}
 
O romano Dião Cássio ({{séc|III}}), e os bizantinos [[João Xifilino]] ({{séc|XI}}) e [[João Zonaras]] ({{séc|XII}}), entendem que Heliogábalo a violou, talvez pelo fato de ter sido vestal, mas a literatura moderna dá ênfase ao caráter religioso que seu casamento deve ter tido.{{sfn|Icks|2011|p=29; 119}} É igualmente possível, ademais, que Heliogábalo tivesse sentimentos por Aquília, e que seu casamento com Ânia Faustina foi breve, pois, ao nutrir sentimentos por Aquília, a queria de volta.{{sfn|Vasi|1999|p=297; 300-301}} A diferença destes dois casamento é que o segundo não teve significação religiosa, pois com o divórcio de Aquília, Heliogábalo desfez o casamento de seu deus com Vesta e o recasou com Urânia, a deusa greco-púnica lunar cultuada em [[Cartago]]. Esse casamento foi relatado por Dião Cássio e [[Herodiano]], com o segundo alegando que o imperador achava apropriado, talvez por retratar uma harmonia cósmica, a união do Sol e a Lua.{{sfn|Icks|2011|p=33}}