Hejaz: diferenças entre revisões

167 bytes adicionados ,  20 de abril de 2019
Resgatando 1 fontes e marcando 0 como inativas. #IABot (v2.0beta14)
m
(Resgatando 1 fontes e marcando 0 como inativas. #IABot (v2.0beta14))
O '''Hejaz'''<ref>Forma vernácula registrada no [[Dicionário Onomástico Etimológico da Língua Portuguesa]], de [[José Pedro Machado]].</ref> {{lang-ar|الحجاز‎}}, [[transl.]] ''al-Ḥidjāz'', lit. "a barreira") é uma região no oeste da [[Arábia Saudita]]. Banhada pelo [[mar Vermelho]], estende-se desde [[Haql]], no [[golfo de Acaba]], até [[Jizan]]. Sua principal cidade é [[Jidá|Gidá]],<ref>[[Dicionário Onomástico Etimológico da Língua Portuguesa]]</ref><ref>{{Citar web|título = Reino da Arábia Saudita|URL = http://www.itamaraty.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=4823:reino-da-arabia-saudita&catid=155&lang=pt-BR&Itemid=478|obra = www.itamaraty.gov.br|acessadoem = 2015-09-19}}</ref><ref>[[Vocabulário Onomástico da Língua Portuguesa]]</ref><ref>{{Citar livro|título = Dicionário de Arabismos da Língua Portuguesa|url = https://books.google.com/books?id=LzveAgAAQBAJ|editora = INCM|ano = 2014-02-14|isbn = 9789722721790|nome = Adalberto|sobrenome = Alves}}</ref> mas a área é mais conhecida por incluir [[Meca]] e [[Medina]], cidades santas do [[Islã]]. O nome "''Hejaz''" significa "barreira", em árabe, devido ao fato de a região separar o [[Négede]],<ref>{{Citar livro|título = Dicionário de Arabismos da Língua Portuguesa|url = https://books.google.com/books?id=LzveAgAAQBAJ|editora = INCM|ano = 2014-02-14|isbn = 9789722721790|nome = Adalberto|sobrenome = Alves}}</ref><ref>{{Citar livro|título = Grande enciclopédia portuguesa e brasileira|url = https://books.google.com/books?id=Fw8rAAAAMAAJ|editora = Editorial Enciclopédia, limitada}}</ref><ref>{{Citar livro|título = Prosodia de nomes próprios pessoais e geográficos|url = https://books.google.com/books?id=hlFlAAAAMAAJ|editora = Editora Vozes|ano = 1952-01-01|nome = Antônio da|sobrenome = Cruz}}</ref><ref>{{Citar livro|título = Topónimos e gentílicos|url = https://books.google.com/books?id=pLrVAAAAMAAJ|editora = Editôra Educação Nacional|ano = 1941-01-01|nome = Ivo Xavier|sobrenome = Fernándes}}</ref> a leste, da terra de [[Tiama]], a oeste.
 
Há indícios de que o Hejaz (ou partes dele) tenha integrado a [[província romana]] da ''[[Arábia Pétrea]]''.<ref>{{citar web |url= http://www.saudiaramcoworld.com/issue/200103/well.of.good.fortune.htm |título= Well of Good Fortune |primeiro = Piney |último = Kesting |obra= [[Saudi Aramco]] |data= maio–junho de 2001 |acessodata= 20-03-2007 |arquivourl= https://web.archive.org/web/20141023201749/http://www.saudiaramcoworld.com/issue/200103/well.of.good.fortune.htm |arquivodata= 2014-10-23 |urlmorta= yes }}</ref> Sob controle de potências regionais, como o [[Egito]] e o [[Império Otomano]], ao longo da maior parte de sua história, o Hejaz gozou de independência política por um breve período no início do [[século XX]], proclamada em [[1916]] pelo xerife de Meca, Hussein ibn Ali. Foi uma das diversas áreas do Império Otomano rebeladas por obra de [[T. E. Lawrence]] (conhecido como "Lawrence da Arábia") durante a [[Primeira Guerra Mundial]]. Entretanto, em [[1924]], a autoridade de ibn Ali foi usurpada por ibn Saud (futuro fundador e primeiro Rei do Reino da Arábia Saudita), que vinha da região do Négede.
 
Mesmo hoje, os hejazis seguem uma interpretação do Islã mais moderada do que a [[wahhabismo|vaabista]] (''wahhab''ista), que surgiu no [[Négede]].<ref>James Minahan (2002), ''Encyclopedia of the Stateless Nations: Ethnic and National Groups Around the World'' (Westport, Conn.: Greenwood Press).</ref>
230 312

edições