Abrir menu principal

Alterações

Criado ao traduzir a página "Neuropathic arthropathy"

{{Info/Condição médica|name=|Synonyms=|image=Neuropathic heel ulcer.jpg|caption=Úlcera (de 3.4 cm x 3.1 cm) no pé de uma mulher de 68 anos com 3 meses de evolução.|pronounce=|field=|Symptoms=|complications=|Onset=|Duration=|Types=|causes=|risks=|Diagnosis=|differential=|Prevention=|Treatment=|Medication=|Prognosis=|frequency=|Deaths=}} '''Artropatia neuropática,''' '''osteoartropatia neuropática ou''' '''articulação de Charcot''' refere-se à degeneração progressiva de uma [[articulação]] dos pés, pernas ou pélvis (articulações responsáveis por carregar o peso do corpo). É um processo marcado por destruição óssea, reabsorção óssea, e eventual deformidade devido a perda de sensibilidade ao longo de muitos meses ou anos. A primeira descrição foi feita por [[Jean-Martin Charcot]],

Se esse processo patológico continuar sem verificação, pode resultar em deformidade, [[Úlcera|ulceração]] e/ou superinfecção da articulação, perda de função e, na pior das hipóteses, [[amputação]] ou morte. A identificação precoce de alterações articulares é a melhor maneira de limitar a morbidade.

== Sintomas e sinais ==
[[Ficheiro:Charcot_arthropathy_X-ray.jpg|miniaturadaimagem| Radiografia do pé de homem de 45 anos de idade revelando uma [[Deslocamento (defeito cristalino)|luxação]] divergente de Lisfranc do primeiro [[Metatarso|metatarsal]] com fraturas menores metatársicas associadas. ]]
A apresentação clínica varia dependendo do estágio da doença, começa com um edema leve e evolui a um inchaço e deformidade cada vez maiores. Inflamação, eritema, dor e aumento da temperatura da pele (3-7 graus Celsius) ao redor da articulação podem ser perceptíveis ao exame físico. Raios-X podem revelar reabsorção óssea e alterações degenerativas na articulação. Esses achados na presença de pele íntegra e perda de sensibilidade tátil protetora servem para diagnósticos da artropatia de Charcot aguda.

Cerca de 75% dos pacientes experimentam dor, mas a dor é menor do que a esperado em outras pessoas com signos clínicos e radiográficos similares.

== Causas ==
Qualquer condição que resulte em menor sensibilidade periférica, [[propriocepção]] e [[Função motora|controle motor]] fino:

* [[Neuropatia diabética]] (a causa mais frequente, uma complicação do Diabetes mal controlado a largo prazo)
* [[Polineuropatia alcoólica|Neuropatia Alcoólica]]
* [[Paralisia cerebral]]
* [[Lepra]]
* [[Sífilis]] (''[[tabes dorsalis]]'')
* [[Lesão da medula espinhal|Lesão da medula espinal]]
* [[Espinha bífida|Mielomeningocele]]
* [[Siringomielia]]
* Injeções de [[Esteroide|esteroides]] intra-articulares
* [[Insensibilidade congênita à dor]]
* [[Doença de Charcot-Marie-Tooth|Atrofia muscular peroneal]]

* Dois mecanismos causam essa patologia:
** ''Neurotraumas'' repetitivos: A perda de sensibilidade periférica e propriocepção permite que as pequenas lesões repetitivas não sejam percebidas nessa articulação; a reabsorção inflamatória resultante do osso traumatizado torna essa região mais frágil e suscetível a novos traumas. Além disso, o menor controle motor gera maior pressão em certas articulações, levando a mais microtraumas.
** ''Neurovasculares'': Os pacientes neuropáticos apresentam reflexos desregulados do [[sistema nervoso autônomo]] e as articulações desencorajadas recebem fluxo sanguíneo significativamente maior. A [[hiperemia]] resultante leva ao aumento da reabsorção osteoclástica do osso e a um maior estresse mecânico leva à destruição óssea.

== Tratamento ==
Deve ser tratado pelo equilíbrio da vascularização, controle e prevenção de infecções e alívio da pressão. A busca agressiva dessas três estratégias pode ser iniciados no mesmo dia do diagnóstico. <ref> Snyder, RJ, et al., O manejo de úlceras do pé diabético através de diretrizes de consenso de construção off-loading ideal e recomendações práticas para melhorar os resultados. J Am Podiatr Med Assoc, 2014. 104 (6): p. 555-67. </ref> O alívio de pressão (descompressão) e a imobilização da articulação são essenciais para ajudar a evitar mais destruição das articulações.

Andadores e muletas também são usados. Fisioterapia para reabilitação é recomendada.

A correção cirúrgica de uma articulação raramente é bem sucedida a longo prazo nesses pacientes. A imobilização com gesso não se traduz em bons resultados sem o manejo adequado da doença vascular e infecção. <ref> Snyder, RJ, et al., O manejo de úlceras do pé diabético através de diretrizes de consenso de construção off-loading ideal e recomendações práticas para melhorar os resultados. J Am Podiatr Med Assoc, 2014. 104 (6): p. 555-67. </ref> A duração e a agressividade da descompressão (''offloading'') devem ser guiadas pela avaliação clínica da melhora do edema, eritema e temperatura da pele. <ref> Rogers LC, et al. O pé de Charcot no diabetes. Diabetes Care. 2011; 34 (9): 2123-9. </ref> Pode levar de 6 a 12 meses para que o edema, calor e vermelhidão da articulação afetada retrocedam.
[[Categoria:Reumatologia]]
[[Categoria:!Páginas com traduções não revistas]]