Diferenças entre edições de "O Idiota"

203 bytes adicionados ,  12h30min de 24 de abril de 2019
m
Desfeita(s) uma ou mais edições de 167.249.169.44, com Reversão e avisos
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de 2804:431:9705:8074:5069:71bb:a52a:7e34, com Reversão e avisos)
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de 167.249.169.44, com Reversão e avisos)
'''''O Idiota''''' ({{lang-ru|Идиот}}, [[transliteração|transl]]. ''Idiot'') é um dos principais [[romance]]s de [[Fiódor Dostoiévski]]. O romance começou a ser escrito no dia 14 de setembro de 1867 em [[Genebra]] e foi concluído em 25 de janeiro de 1869 em [[Florença]]. Ele foi inicialmente publicado em [[folhetim]], e não em livro, pela revista ''O mensageiro russo'', tendo sua primeira parte sido publicada em março de 1868 e seus últimos capítulos em fevereiro de 1869.{{sfn | EDITORA| 1960| p=VI}}
 
Na épemépoca de elaboração do romance, Dostoiévski estava em situação física e emocional muito precária: eram constantes suas crises de epilepsia, suas dívidas estavam altas e ele perdia o pouco que tinha no jogo, além do mais estava sob forte pressão dos editores e, não bastasse isso, nasceu e morreu prematuramente sua filha Sônia.{{sfn | BROCA| 1960| p=XII}}
 
O personagem principal de ''O Idiota'' é o Príncipe Liév Nikoláievitch Míchkin (ou apenas Príncipe Míchkin), uma ilustração [[modernismo|moderna]] do ideal [[ética|ético]] [[cristianismo|cristão]]. As maiores influências para a criação do Príncipe Míchkin foram os também cristãos idealizados, porém desta vez retratados como cômicos, [[Dom Quixote]] de [[Cervantes]], [[Pickwick]] de [[Dickens]] e [[Pangloss]] de [[Voltaire]].{{sfn | BROCA| 1960| p=XVI e XVII}}{{nota de rodapé|Em ''O Idiota'' Dostoiévski também faz referências diretas à obra [[Dom Quixote de la Mancha]].{{sfn | DOSTOIÉVSKI| 1960|p=195, 254-260}}}} O Príncipe Míchkin, como ideal cristão, também era a forma como Dostoiévski se contrapunha ao [[niilismo]] ocidental europeu, por isso o personagem pode ser visto como estando em direta contraposição ao [[Rodion Românovitch Raskólnikov|Raskolnikov]] de [[Crime e Castigo]], uma das principais retratações do tipo niilista por [[Dostoiévski]].{{sfn | BROCA| 1960| p=XVII e XVIII}} ''O Idiota'' é entendido como "o romance mais autobiográfico de Dostoiévski",<ref>{{citar livro|último =Pevear|primeiro =Richard|título=Introduction to ''The Idiot''|data=2003|publicado=Vintage Classics|local=New York|isbn=0-375-70224-5|páginas=xix, vii}}</ref> muito pelo fato do autor e do personagem principal serem [[Epilepsia|epilépticos]], mas também por ambos terem dificuldades sociais.{{sfn | BROCA| 1960| p=XVI - XX}}
===Príncipe Liév Nikoláievitch Míchkin (o idiota)===
 
Visto que o mundo contém todo o tipo de espíritos entre o bem e o mal, e, se num extremo pode-se encontrar pessoas abomináveis, infames, corruptas e mais uma quantidade de adjectivos que caracterizam a perversidade, então poderemos ter a certeza de encontrar o príncipe Míchkin sentado no trono no extremo oposto a esta perversidade. Tal como o autor do livro, Míchkin é um doente que sofre de epilepsia, mas não é com certeza por padecer desta condição, o motivo que o fez viver completamente privado de poder racional; o seu apurado bom senso comum é que o dispensa de necessitar dessa racionalidade que lhe está em falta para poder fazer juízos de valor. Em compensação, é pejado de uma grande generosidade, benevolência e, consequentemente, de muita ingenuidade. No entanto, mesmo acarinhado e bem tratado por todos, embora até sendo visto como um coitadinho devido à sua bondade, não se consegue livrar da chacota e das alfinetadas que frequentemente lhe atiram, como é tão próprio serem lançadas por quem se aproveita da bondade de alguém que, erroneamente, a relacionam com algum tipo de pessoa fraca e débil. Nem suspeitam pois que, por ser conotado como um pateta, um ''idiota'' debaixo do olhar de toda a gente, o príncipe seja capaz de ser tão esperto que os restantes, quanto mais detentor de uma mente superior, possuindo um dom intuitivo, praticamente profético, capaz de deslindar a essência do espírito sob os rostos de quem o rodeia, o fundo das pessoas, ou seja, a verdadeira índole de cada um e avaliar na perfeição os seus atributos.
Órfão de pais e sendo o último da linhagem dos Míchkin, a história começa quando ele retorna à Rússia para recolher uma herança deixada por um velho amigo e familiar de seu pai.
 
 
===Estudos===
====ArtigoArtigos====
*KRIEGER, Murray. “Dostoevsky's 'Idiot': The Curse of Saintliness,” from The Tragic Vision (New York: Holt, Rinehart and Winston, 1960) pp.209-27
*
*HINGLEY, Ronald. The Undiscovered Dostoevsky (London: Hamish Hamilton, 1962) pp. 112-13
====Outros====
42 585

edições