Abrir menu principal

Alterações

Resgatando 1 fontes e marcando 1 como inativas. #IABot (v2.0beta14)
 
==== Economia ====
A presidência de Carter teve uma história econômica de aproximadamente dois períodos iguais, sendo os dois primeiros anos de recuperação da grande [[recessão]] de 1973–75, que tinha reduzido drasticamente os investimentos para o menor nível desde a recessão de 1970 e elevado o desemprego para 9%.<ref name=stat88>{{citar web|url=http://www2.census.gov/prod2/statcomp/documents/1988-04.pdf |título=''1988 Statistical Abstract of the United States'' |publicado=Department of Commerce}}</ref> Os outros dois anos foram marcados por alta da inflação, juros elevados,<ref name="'70s 292">Frum, p. 292</ref> falta de petróleo e crescimento econômico lento.<ref>{{citar jornal|url=http://articles.moneycentral.msn.com/Investing/JubaksJournal/Is70sStyleStagflationComing.aspx |título=Is '70s-style stagflation returning? |autor =Jim Jubak |publicado=MSN.com |data=1 de abril de 2008 |obra=Jubak's Journal}}</ref> Após um crescimento em 1977 e 1978, onde milhões de novos empregos foram criados<ref name=labor>{{citar web|url=http://www.bls.gov/cps/ |título=Labor Force Statistics from the Current Population Survey |publicado=Bureau of Labor Statistics}}</ref> e a renda da população subiu 5%,<ref>{{citar web |url=https://www.census.gov/hhes/www/income/data/historical/household/H05_2009.xls.html |título=Households by Median and Mean Income |publicado=United States Census Bureau }}{{Ligação inativa|1={{subst:DATA}} }}</ref> houve a [[Crise do petróleo#Terceira fase|crise energética de 1979]] que encerrou este período de recuperação, com a inflação e os juros subindo novamente e a economia, geração de empregos e a confiança geral do consumidor declinando acentuadamente.<ref name="'70s 292">Frum, p. 292</ref> A fraca [[política monetária]] adotada pelo [[Presidente da Reserva Federal dos Estados Unidos|presidente]] da [[Sistema de Reserva Federal dos Estados Unidos|Reserva Federal dos Estados Unidos]], [[G. William Miller]], havia contribuído para a alta inflacionária,<ref name="Inflation of 1970s">{{citar web|url=http://econ161.berkeley.edu/econ_articles/theinflationofthes.html |arquivourl=https://web.archive.org/web/19970219022512/http://econ161.berkeley.edu/Econ_Articles/theinflationofthes.html |urlmorta= sim|arquivodata=19 de fevereiro de 1997 |título=The Inflation of the 1970s: November 21, 1978 |acessodata=18 de março de 2012 |data=19 de dezembro de 1995 |publicado=[[Universidade da Califórnia em Berkeley]]}}</ref> que subira de 5,8% em 1976 para 7,7% em 1978. Neste período, a [[OPEC]] aumentou o preço do [[petróleo]] bruscamente,<ref>{{citar web|url=http://www-cta.ornl.gov/cta/Publications/Reports/ORNL-6873%20.pdf |título=The Outlook for U.S. Oil Dependence |publicado=U.S. Department of Energy |acessodata=18 de outubro de 2017 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20170513154741/http://www-cta.ornl.gov/cta/Publications/Reports/ORNL-6873%20.pdf |arquivodata=13 de maio de 2017 |urlmorta= sim}}</ref> o que levou a inflação a subir novamente para 11,3% em 1979 e 13,5% em 1980.<ref name=stat88/> A súbita falta de [[gasolina]] no verão de 1979 exacerbou o problema e simbolizaria a crise para o público geral, puxando para baixo a popularidade do presidente.<ref name="'70s 292"/>
 
===Crise energética===
Jimmy Carter foi pego de surpreso pela invasão, já que o consenso entre a comunidade de inteligência dos Estados Unidos era que Moscou não iria interferir no Afeganistão, nem mesmo se houvesse risco do governo local cair. De fato, Carter escreveu no seu diário, entre novembro e dezembro de 1979, menos de duas referências ao Afeganistão, atestando o quão pouco preocupado ele estava, preferindo focar sua atenção a crise no Irã.<ref name="Riedel">{{citar livro|autorlink =Bruce Riedel|último =Riedel|primeiro =Bruce|título=What We Won: America's Secret War in Afghanistan, 1979–1989|publicado=Brookings Institution|ano=2014|isbn=978-0815725954|pp=ix–xi, 21–22, 93, 98–99, 105}}</ref> No [[Mundo ocidental|Ocidente]], a [[Guerra do Afeganistão (1979–1989)#1979: Intervenção soviética|invasão soviética]] foi considerada uma ameaça a segurança global e ao fornecimento de petróleo vindo do [[Golfo Pérsico]].<ref name="Kepel"/> Além disso, o fracasso dos serviços de inteligência em identificar as intenções soviéticas fez com que os políticos americanos reavaliassem a ameaça do [[Mundo Comunista]] ao Irã e ao Paquistão, embora estes medos provavelmente fossem exagerados.<ref name="Blight"/><ref name="Riedel"/> Isso forçou os governos Carter e Reagan a tentar melhorar as relações com os iranianos e também no aumento de ajuda militar ao líder paquistanês [[Muhammad Zia-ul-Haq]].<ref name="Riedel"/> Uma das primeiras atitudes concretas de Carter foi autorizar a colaboração da CIA e do [[Inter-Services Intelligence|serviço de inteligência paquistanês]] (o ISI); o governo americano começou fornecendo mais de US$ 500 000 dólares em ajuda não letal para os guerrilheiros [[mujahidin]]s afegãos a partir de 3 de julho de 1979. O auxílio americano aos afegãos foi pequeno pois os Estados Unidos temiam que maior ajuda poderia forçar a mão da União Soviética a agir de forma mais incisiva.<ref name="Riedel"/><ref name="Gates">{{citar livro|último =Gates|primeiro =Bob|título=From the Shadows: The Ultimate Insider's Story of Five Presidents and How They Won the Cold War|publicado=Simon and Schuster|ano=2007|isbn=9781416543367|pp=145–147}}</ref><ref>{{citar livro|autorlink =Steve Coll|último =Coll|primeiro =Steve|título=Ghost Wars: The Secret History of the CIA, Afghanistan, and Bin Laden, from the Soviet Invasion to September 10, 2001|publicado=Penguin|ano=2004|isbn=9781594200076|p=581}}</ref>
 
Após a invasão soviética, Carter estava determinado a responder de forma rigorosa. Em um discurso na televisão, ele anunciou Sansões contra a União Soviética, aumentou a ajuda militar ao Paquistão, renovou o registro do Sistema Seletivo de Serviço militar e também fortaleceu o [[Doutrina Carter|comprometimento]] dos Estados Unidos a melhorar as defesas do Golfo Pérsico.<ref name="Riedel"/><ref name="Gates"/><ref>{{citar web|url=https://www.jimmycarterlibrary.gov/documents/speeches/su80jec.phtml|título=Jimmy Carter State of the Union Address 1980|data=|acessodata=30 de maio de 2017|website=Selected Speeches of Jimmy Carter|publicado=Jimmy Carter Presidential Library and Museum|ultimo=|primeiro=|wayb=20041015134701|último1=Carter|primeiro1=James|arquivourl=https://web.archive.org/web/20041015134701/http://www.jimmycarterlibrary.gov/documents/speeches/su80jec.phtml|arquivodata=2004-10-15|urlmorta=yes}}</ref> Carter também convocou um boicote aos [[Jogos Olímpicos de Verão de 1980|Jogos Olímpicos de 1980]] em Moscou, o que causou controvérsia na época.<ref>{{citar livro|último =Toohey |primeiro =Kristine |título=The Olympic Games: A Social Science Perspective |url=https://books.google.com/books?id=ywy9aslk3M8C&pg=PA100 |data=8 de novembro de 2007 |publicado=CABI |isbn=978-1-84593-355-5 |página=100}}</ref> A primeira-ministra britânica [[Margaret Thatcher]] apoiou incondicionalmente a postura dura de Carter, embora o serviço de inteligência inglês acreditasse que a CIA estava exagerando a ameaça dos soviéticos ao Paquistão.<ref name="Riedel"/> Em 1980, Carter iniciou um [[Operação Ciclone|programa clandestino para armar os mujahidins]] através do serviço paquistanês ISI e também garantiu o apoio da Arábia Saudita. A ajuda aos guerrilheiros mujahidins acelerou consideravelmente no governo do sucessor de Carter, [[Ronald Reagan]], ao custo de US$ 3 bilhões de dólares do contribuinte americano. Após quase uma década de guerra, os soviéticos eventualmente se [[Retirada soviética do Afeganistão|retiraram do Afeganistão]], em 1989. Historiadores acreditam que isso ajudou a precipitar a [[dissolução da União Soviética]], devido ao enorme impacto que teve na economia do país.<ref name="Riedel"/> Contudo, a decisão de usar o Paquistão como intermediário para a entrega de armas para os insurgentes afegãos foi duramente criticada, pois vários equipamentos foram desviados e vendidos no mercado negro; a cidade de [[Karachi]], um polo de distribuição de armas americanas para os mujahidins, logo se tornou "uma das cidades mais violentas do mundo" como consequência. O Paquistão também tinha muito poder de decisão sobre quem deveria ter prioridade no recebimento de armas dos Estados Unidos, preferindo grupos [[Fundamentalismo islâmico|islamitas]].<ref name="Kepel"/> Apesar disso, Carter não esboçou qualquer arrependimento sobre sua decisão de ajudar o que ele chamava de "guerreiros da liberdade" do Afeganistão.<ref name="Riedel"/>
[[Ficheiro:Jimmy Carter at his desk in the Oval Office - NARA - 177098.tif|miniaturadaimagem|Jimmy Carter no [[Salão Oval]], em 1977.]]
 
216 545

edições