Diferenças entre edições de "Odeon Records"

541 bytes adicionados ,  19h52min de 26 de abril de 2019
Trazendo informação referenciada do outro artigo.
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
(Trazendo informação referenciada do outro artigo.)
Em [[1931]], a Odeon fundiu-se com a representante filial da [[Columbia Records]] do [[Reino Unido]], [[Electrola Records]], [[HMV]], [[Parlophone]] e outras marcas, para formar a [[EMI]]. Em [[1936]], o diretor da filial da Odeon foi forçado a se retirar e foi substituido pelo Dr. Kepler, um membro do [[Partido Nazista]]. Em [[1939]], a Odeon e a Electrola são colocadas e apontados por administradores nazistas. Quando os [[Rússia|russos]] liberaram [[Berlim]] em 1945, eles destruíram a maioria de sua fábrica. Depois de [[1945]], a Odeon continuou a usar sua marca para impressões feitas para a África Oriental.
 
No [[Brasil]] a marca sobreviveu como uma subsidiária da [[EMI]] ([[EMI-Odeon]]) até a metade da [[década de 1990]], quando acabou sendo vendida a um empresário que, atualmente, reside no Córrego do Queixada em Baixo Guandu,no ES. Entre 1949 e 1985 os [[Disco de vinil|LP's]] da gravadora foram fabricados em [[São Bernardo do Campo|São Bernardo-SP]] no local onde hoje se localizam a FAINAM - Faculdade Interação Americana e o Terminal Ferrazópolis.<ref>{{Citar web|titulo=Discos de Vinil são um marco na história de São Bernardo — Rudge Ramos Online|url=http://www.metodista.br/rronline/noticias/entretenimento/2015/11/long-plays-sao-um-marco-na-historia-de-sao-bernardo|obra=www.metodista.br|acessodata=2019-03-31|lingua=pt-br|ultimo=aluno}}</ref>
 
=={{ver Ver também}} ==
* [[EMI]]
 
{{referências}}
{{esboço-gravadora}}