Abrir menu principal

Alterações

A dinastia possuía um governo central forte e complexo que unificou o império. O papel do imperador passou a ser mais autocrático, embora Zhu Yuanzhang precisasse lançar mão dos chamados "Grandes Secretários" para auxiliá-lo a lidar com a enorme [[burocracia]], a qual mais tarde causaria o declínio da dinastia, por impedir o governo de se adaptar às mudanças sociais.
 
O Imperador Yongle procurou ampliar a influência da China além de suas fronteiras, ao exigir que outros governantes lhe enviassem embaixadores para pagar tributo. Construiu-se uma grande marinha, inclusive navios de quatro mastros com [[Deslocamento (náutica)|deslocamento]] de 1.500 [[tonelada|t]]. Criou-se um exército regular de um milhão de homens. As forças chinesas conquistaram parte do que é hoje o [[Vietnã]], enquanto que a frota imperial navegava pelos mares da China e o Oceano Índico, chegando até a costa oriental da África. Os chineses estenderam sua influência até o [[Turquestão]]. Diversas nações [[Ásia|asiáticas]] pagaram tributo ao imperador. Internamente, o [[Grande Canal da China|Grande Canal]] foi ampliado, com impacto positivo sobre o comércio. Produziam-se mais de 100.000 t de [[minério de ferro|ferro]] por ano. Imprimiam-se livros com o uso da [[tipografia]]. O palácio imperial da [[Cidade Proibida]] atingiu então ao seu atual esplendor. Durante as dinastias [[Ming]] o [[mosquete]] com [[fechefecho de mecha]] era usado na China. Os chineses usavam o termo "arma de pássaro" para se referir aos mosquetes.<ref name="Chase2003">{{citar livro|autor =Kenneth Warren Chase|título=Firearms: A Global History to 1700|url=https://books.google.com/books?id=esnWJkYRCJ4C&pg=PA144|data=7 de julho de 2003|publicado=Cambridge University Press|isbn=978-0-521-82274-9|página=144}}</ref>Enfim, o período ming parece ter sido um dos mais prósperos para a China. Também foi naquela época que o potencial do sul da China veio a ser totalmente explorado.
 
O período Ming testemunhou a última ampliação da [[Grande Muralha da China]].
384

edições