Abrir menu principal

Alterações

Resgatando 0 fontes e marcando 1 como inativas. #IABot (v2.0beta14)
 
==História==
A história do Liceu está relacionada ao Retiro Literário Português, uma sociedade literária fundada em 1859 no Rio de Janeiro, cujos membros se reuniam periodicamente para ouvir conferências e ler.<ref name="LUSIADAS">Elisa Muller. ''A organização sociocomunitária portuguesa no Rio de Janeiro''. in ''Os Lusíadas na aventura do Rio Moderno''. Carlos Lessa, organizador. Editora Record, 2002, Rio de Janeiro. ISBN 85-01-06356-8</ref> A 10 de setembro de 1868, um grupo de 28 sócios dissidentes do Retiro, reunidos na rua da Saúde, resolveu desligar-se da associação anterior e fundar uma nova: o Liceu Literário Português.<ref name="LUSIADAS" /><ref name="HISTORIA" /><ref name="ICA">''[https://www.ica-atom.org/associacoescariocas/IPwLs;isaar Liceu Literário Português]{{Ligação inativa|1={{subst:DATA}} }}'' no sítio do [https://www.ica-atom.org/associacoescariocas/ Guia das Associações Cariocas]</ref> À frente do grupo estavam Manuel de Faria<ref name="LUSIADAS" /> e [[José João Martins de Pinho]], futuro [[Conde de Alto Mearim]].<ref name="HISTORIA" /> Inicialmente, o Liceu era uma sociedade literária semelhante ao Retiro até que, em 1869, por sugestão do sócio Francisco Baptista Marques Pinheiro, o Liceu passou a ser uma escola de ensino noturno para portugueses e brasileiros.<ref name="LUSIADAS" /> O objetivo da instituição era, assim, difundir a cultura e oferecer oportunidades de ensino, especialmente para os jovens imigrantes portugueses da cidade, que em geral chegavam com pouca instrução ao país, assim como brasileiros.<ref name="HISTORIA">''[http://www.liceuliterario.org.br/ Síntesis histórica ]''' no sítio oficial do Liceu Literário Português</ref> No seu primeiro ano de funcionamento, o Liceu atendeu gratuitamente 94 alunos num edifício da rua dos Ourives.<ref name="LUSIADAS" />
 
[[Ficheiro:Rio de Janeiro, Brazil (29241549015).jpg|250px|miniaturadaimagem|esquerda|Detalhe dos janelões neomanuelinos da fachada]]
216 558

edições