Abrir menu principal

Alterações

Os líderes qing suspeitavam da modernidade e dos avanços sociais e tecnológicos, que viam como ameaças ao seu controle absoluto sobre a China. Por exemplo, a [[pólvora]], que havia sido largamente empregada pelos exércitos das [[dinastia Sung|Dinastias Sung]] e [[dinastia Ming|Ming]], fora proibida pelos qings ao assumirem o controle do país. Por este e outros motivos, a dinastia encontrava-se despreparada para lidar com as invasões [[mundo Ocidental|ocidentais]]. As potências ocidentais intervieram militarmente para reprimir o caos doméstico, como nos casos da Rebelião Taiping e do [[Levante dos Boxers]].
 
Nos anos 1860, a Dinastia Qing logrou sufocar revoltas, com enorme custo e perda de vidas. Isto minou a credibilidade do regime qing e contribuiu para o surgimento de senhores da guerra locais. O Imperador [[Guangxu]] procurou lidar com a necessidade de modernizar o país por meio do Movimento de Auto-Fortalecimento. EntretantoO objetivo era modernizar o império, com ênfase primordial no fortalecimento das forças armadas. No entanto, a reforma foi minada por funcionários corruptos, cinismo e brigas dentro da família imperial. A partir de [[1898]], a Imperatriz regente [[Cixi]] manteve Guangxu preso sob a alegação de "deficiência mental", após um [[golpe militar]] por ela orquestrado com o apoio da facção conservadora, contrária às reformas. Guangxu faleceu um dia antes da imperatriz regente (segundo alguns, por ela envenenado). Os "novos exércitos" qings (treinados e equipados conforme o modelo ocidental) foram fragorosamente derrotados na [[Guerra Sino-Francesa]] ([[1883]]–[[1885]]) e na [[Guerra Sino-Japonesa]] ([[1894]]–[[1895]]).
 
No início do [[século XX]], o Levante dos Boxers, um movimento conservador anti[[imperialismo|imperialista]] que pretendia fazer o país regressar a um estilo de vida tradicional, ameaçou o norte da China. A imperatriz regente, provavelmente com o fito de garantir o seu controle sobre o governo, apoiou os boxers quando estes avançaram sobre [[Pequim]]. Em reação, a chamada Aliança dos Oito Estados invadiu a China. Composta de tropas [[reino Unido|britânicas]], [[Japão|japonesas]], [[Rússia|russas]], [[Itália|italianas]], [[Alemanha|alemãs]], [[França|francesas]], [[Estados Unidos|norte-americanas]] e [[Áustria-Hungria|austro-húngaras]], a aliança derrotou os boxers e exigiu mais concessões do governo qing.
384

edições