Diferenças entre edições de "Fundo das Nações Unidas para a Infância"

sem resumo de edição
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de 177.99.16.140, com Reversão e avisos)
O UNICEF é financiado por contribuições voluntárias e com o apoio do sector privado. Esta colaboração assume diversas formas, nomeadamente:
 
* Donativo em nome da empresa - muitas empresas, ou fundações com carácter de solidariedade a elas associadas, decidem fazer diretamente um donativo no valor que desejarem.;
* Campanhas de marketing social - em que uma empresa decide doar uma percentagem das vendas de um produto ou serviço à UNICEF. Deste modo as empresas aumentam a notoriedade e vendas das suas marcas e, ao mesmo tempo, contribuem para uma causa.;
* Campanhas de angariação por meio dos clientes – incentivo à participação dos clientes por meio de programas de fidelização.;
* Recolhimento de fundos junto dos colaboradores - em alguns casos, o montante angariado é duplicado pela empresa.;
* Patrocínios de iniciativas e eventos ;
* Voluntariado - a empresa disponibiliza uma parte da carga horária dos seus colaboradores para participarem em ações de voluntariado.;
* Compra de cartões de Natal e produtos UNICEF para dar e vender .
 
Todas as parcerias se caracterizam respeito mútuo e pelo reforço das potencialidades de cada uma das organizações.
* Proteger e ser protegido do HIV/aids;
* Crescer sem violência;
* Ser prioridade absoluta nas políticas públicas.;
* Doações de alimentos.
 
A garantia desses direitos tem a ver com o reconhecimento de que alguns grupos de crianças e adolescentes estão mais vulneráveis à violência, à exploração e a várias situações de risco. Por isso, os direitos devem ser entendidos a partir de dois temas transversais fundamentais na universalização dos direitos: a promoção da equidade de raça/etnia e de gênero e a participação das próprias crianças e adolescentes nas decisões que afetam sua vida, sua família e sua comunidade.
* o Semiárido brasileiro, onde se encontram os piores indicadores sociais e onde 70% dos 13 milhões de crianças e adolescentes vivem na pobreza;
* a Amazônia, onde vivem 9 milhões de crianças e adolescentes de considerável diversidade étnica e social, vivendo esparsamente em enormes áreas onde o desenvolvimento econômico, social e institucional é precário;
* as comunidades populares dos grandes centros urbanos do País, onde prevalecem altos tipos de violência contra crianças e adolescentes.
 
{{Referências}}
168

edições