Diferenças entre edições de "Mosteiro de São Bento (São Paulo)"

910 bytes adicionados ,  17h49min de 7 de maio de 2019
Resgatando 5 fontes e marcando 0 como inativas. #IABot (v2.0beta14)
(Resgatando 5 fontes e marcando 0 como inativas. #IABot (v2.0beta14))
== História ==
[[Ficheiro:Monasterio de São Bento roof, São Paulo, Brazil.jpg|thumb|Mural no teto]]
A história dos [[beneditinos]] em São Paulo começa em 1598 (ano em que chegaram na cidade)<ref>{{Citar web|url=http://www.cidadedesaopaulo.com/sp/br/o-que-visitar/atrativos/pontos-turisticos/205-mosteiro-de-sao-bento|titulo=Mosteiro de São Bento|acessodata=2017-04-26|obra=www.cidadedesaopaulo.com|ultimo=Omuro|primeiro=Adriana|lingua=pt-br|arquivourl=https://web.archive.org/web/20170427102338/http://www.cidadedesaopaulo.com/sp/br/o-que-visitar/atrativos/pontos-turisticos/205-mosteiro-de-sao-bento|arquivodata=2017-04-27|urlmorta=yes}}</ref>, quando [[frei Mauro Teixeira]], religioso paulista de [[São Vicente (São Paulo)|São Vicente]], levantou uma modesta igreja dedicada a [[São Bento]], com fundos de uma doação realizada pelo [[capitão-mor]] Jorge Correia.<ref>{{citar tese |grau=Doutorado |sobrenome=Souza |nome= Jorge V. A. |tipo=Tese|titulo=Para além do Claustro: Uma história social da inserção beneditina na América Portuguesa (1580-1690). |url=http://www.historia.uff.br/stricto/td/1330.pdf |editora= Universidade Federal Fluminense |ano=2011 |lingua=}}</ref> O terreno escolhido era um dos melhores da povoação, localizando-se no alto do morro, entre o [[rio Anhangabaú]] e o [[rio Tamanduateí]], onde antes havia residido a casa do [[cacique]] [[Tibiriçá]].<ref name="arqui">[http://www.arquisp.org.br/regiaose/paroquias/mosteiros-igrejas-historicas-oratorios-da-regiao-se/basilica-nossa-senhora-da-assuncao-mosteiro-de-sao-bento Basílica Nossa Senhora da Assunção - Mosteiro de São Bento]. Portal da Arquidiocese de São Paulo.</ref> A construção começou a ser levantada a partir de 1600, quando a [[Câmara Municipal de São Paulo|Câmara Municipal]] validou oficialmente a carta de [[sesmaria]], que concedia permissão do governo de Portugal para o uso de tais terras. Em seu teor, a carta especifica:
{{Citação2|bq=s|cinza=s| <center>'''“Carta de chãos de sesmaria, para o sítio do convento”'''</center><br>Por “constar ser como o dito padre diz e alega, por serviço de Deus Nosso Senhor e de seu servo, o bem aventurado São Bento”, “os quais chãos serão para o convento, mosteiro, ou casa do dito santo, fôrros livres e isentos de todo tributo e pensão, de hoje até o fim do mundo”.<ref name="arqui" />}}
 
Ao fim de 1634, as obras foram concluídas e pode ser constituída a Abadia. Inicialmente a pequena capela foi dedicada a São Bento, mais tarde, a pedido do Governador da [[Capitania de São Vicente]], D. [[Francisco de Sousa]], foi alterado o patrono para [[Virgem de Montserrat|Nossa Senhora de Montserrat]] e, em 1720, a capela passou a chamar [[Nossa Senhora da Assunção]], título que conserva até hoje.<ref>{{citar tese |grau=Mestrado |sobrenome=Tavares |nome= Cristiane |tipo=Tese|titulo=Ascetismo e Colonização: o labor missionário dos beneditinos na América Portuguesa (1580-1656). |url=http://www.poshistoria.ufpr.br/documentos/2007/Cristianatavares.pdf |editora= Universidade Federal do Paraná |ano=2007 |lingua=}}</ref> Contudo, o conjunto era inicialmente muito modesto, composto pela pequena e velha igreja e quatro [[cela]]s.<ref name="SP">''[http://www.aprenda450anos.com.br/450anos/vila_metropole/2-1_mosteiro_saobento.asp# Mosteiro de São Bento (1598-1600)] {{Wayback|url=http://www.aprenda450anos.com.br/450anos/vila_metropole/2-1_mosteiro_saobento.asp |date=20120823022436 }}'' no sítio ''São Paulo 450 anos''</ref>
 
Em 1641, o mosteiro foi palco importante do episódio histórico conhecido como [[Aclamação de Amador Bueno]]. Com o fim da [[União Ibérica]], [[João IV de Portugal|D. João]], na época [[Duque]] de Bragança, foi coroado [[rei]] de [[Portugal]]. Em São Paulo, um grupo de [[Colono|colonos]] - em grande parte [[Reino de Castela|castelhanos]] - quis que a [[Capitanias do Brasil|Capitania]] não reconhecesse o novo rei, e ofereceram o título de "Rei de São Paulo" a [[Amador Bueno]]. No entanto, este não quis aceitar a oferta, refugiando-se no Mosteiro de São Bento para se proteger da fúria popular. Finalmente, com a ajuda dos monges, os ânimos se acalmaram e D. João acabou sendo reconhecido pelos paulistas como o novo rei de Portugal.<ref name="arqui" />
A partir de 1650, a estrutura passou por uma grande ampliação, graças ao [[bandeirante]] [[Fernão Dias Pais]], conhecido como "caçador de [[esmeraldas]]". Em troca do apoio financeiro, os monges lhe concederam o privilégio de após a sua morte ser sepultado na [[Capela-Mor|capela-mor]] da igreja do mosteiro, assim como seus parentes e descendentes.<ref>{{citar tese |grau=Mestrado |sobrenome=Arruda |nome= Valdir |tipo=Tese|titulo=Tradição e renovação: a arquitetura dos mosteiros beneditinos contemporâneos no Brasil. |url= http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/16/16133/tde-14052010-103415/pt-br.php |editora= Universidade de São Paulo |ano=2007 |lingua=|doi=10.11606/D.16.2007.tde-14052010-103415}}</ref> Até hoje seus restos mortais repousam na [[cripta]] da igreja.<ref name="HISTORICO">''[http://mosteiro.org.br/o-mosteiro/ Histórico do Mosteiro]'' no sítio oficial</ref> Datam dessa mesma época as imagens de barro de [[Bento de Núrsia|São Bento]] e [[Santa Escolástica]], feitas por [[frei Agostinho de Jesus]] (c. 1600-1661) e conservadas até a atualidade expostas no [[altar-mor]] da igreja.<ref name="BEURON" />
 
Na primeira metade do século XIX, uma lei do governo imperial determinou a extinção dos [[Noviciado|noviciados]] no Brasil, impedindo a renovação dos velhos monges por religiosos mais jovens. A decadência inevitável causada por essa lei fez com que se cogitasse a transferência do mosteiro ao tesouro público.<ref name="BEURON">João Baptista Barbosa Neto, OSB. ''[http://bibliotecadomosteiro.com.br/o-mosteiro-de-sao-bento-de-sao-paulo-e-a-arte-beuronense/ O Mosteiro de São Bento e a Arte Beuronense] {{Wayback|url=http://bibliotecadomosteiro.com.br/o-mosteiro-de-sao-bento-de-sao-paulo-e-a-arte-beuronense/ |date=20120308145124 }}'' no sítio da Biblioteca do Mosteiro</ref> Essa situação só foi revertida pela ação do [[abade]] [[Miguel Kruse|D. Miguel Kruse]] (1864-1929), religioso alemão que renovou o mosteiro. Em 1903, Kruse fundou o Colégio de São Bento, de ensino secundário, e em 1908 ainda criou a Faculdade de [[Filosofia]], considerada a primeira do tipo no Brasil.<ref name="HISTORICO" />
 
Também por iniciativa de D. Miguel Kruse foram demolidas a igreja e o mosteiro da época colonial para a construção de um edifício mais moderno e grandioso.<ref name="HISTORICO" /> A edificação atual, visando acompanhar o processo de [[urbanização]] da cidade, começou a ser erguida em [[1910]], seguindo o projeto do arquiteto Richard Berndl, ex-professor da [[Universidade de Munique]], e com decoração assinada pelo beneditino dom Adalbert Gressnigt.<ref>{{Citar periódico|ultimo=Tau|primeiro=Felipe|data=5 de julho de 2011|titulo=Mosteiro de São Bento restaura basílica centenária|jornal=Estadão|volume=|numero=|paginas=|issn=|doi=|url= http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,mosteiro-de-sao-bento-restaura-basilica-centenaria-imp-,740682}}</ref> O atual prédio é a quarta construção desde sua instalação na cidade de São Paulo.<ref name="arqui" />
== Arquitetura, pintura e decoração ==
[[Ficheiro:Mosteiro de São Bento (SP, 1860).jpg|200px|thumb|esquerda|O mosteiro por volta de 1860 (fotografia de [[Militão de Azevedo]])]]
O mosteiro tem sua arquitetura originada tipicamente do século XVII. As obras para a construção do atual Mosteiro de São Bento ocorreram entre 1910 e 1922, seguindo o projeto do arquiteto alemão [[Richard Berndl]], natural de [[Munique]].<ref name="SP" /> O estilo geral segue a tradição da [[arquitetura eclética]] germânica.<ref name="BEURON" /> A maior parte da decoração interna, como os murais, foi planejada e executada pelo monge D. [[Adelbert Gresnicht]] (1877-1956), holandês que chegou ao Brasil em 1913 especialmente para essa responsabilidade. Adelbert veio originalmente da [[Abadia de Maredsous]] na [[Bélgica]]. Gresnicht era seguidor da [[Escola de Arte de Beuron]]<ref>{{Citar periódico|ultimo=Arslan|primeiro=Luciana Mourão|titulo=Amadores da arte: práticas artísticas em cursos livres de pintura da cidade de São Paulo|url=http://dx.doi.org/10.11606/t.48.2008.tde-06102008-120819}}</ref>, uma escola beneditina de arte que influenciou artistas como [[Gustav Klimt]]<ref>A Escola Beuronense ou Escola de Arte de Beuron seguia a teoria estética para arte religiosa desenvolvida pelo arquiteto e escultor Desiderius (Peter) Lenz, egresso da Escola de Arte Munique. A fundação desta Escola de Arte dentro dos muros do Mosteiro de Beuron, na Alemanha, foi realizada por Lenz (seu teórico), o pintor Gabriel Wüger (1825-1890) e o Abade Mauro Wolter (1825-1890). <ref>YANG, Klency. A pintura beuronense na Basílica do Mosteiro Beneditino de São Paulo: 1914-1922. Dissertação de mestrado em História da Arte/Unifesp. Disponível em: http://www.humanas.unifesp.br/ppgha/dissertacoes/ingressantes-2014/klency-kakazu-de-brito-yang/view. Acesso em: 18 abr. 2019</ref> A Teoria Estética desenvolvida por Lenz procurava dentro da arte antiga (egipcios, gregos, sumérios e babilônios) um fazer artístico que permitisse um contato entre o fiel e Deus. Ele acreditava que os povos antigos tinham este conhecimento e o empregavam nos seus templos e que este saber havia se perdido. Seu cânone seguia um princípio matemático na sua produção.<ref>YANG, Klency. A pintura beuronense na Basílica do Mosteiro Beneditino de São Paulo: 1914-1922. Dissertação de mestrado em História da Arte/Unifesp. Disponível em: http://www.humanas.unifesp.br/ppgha/dissertacoes/ingressantes-2014/klency-kakazu-de-brito-yang/view. Acesso em: 18 abr. 2019</ref> {{Citar web|url=http://www.cidadedesaopaulo.com/sp/br/o-que-visitar/atrativos/pontos-turisticos/205-mosteiro-de-sao-bento|titulo=Mosteiro de São Bento|acessodata=2017-04-26|obra=www.cidadedesaopaulo.com|ultimo=Omuro|primeiro=Adriana|lingua=pt-br|arquivourl=https://web.archive.org/web/20170427102338/http://www.cidadedesaopaulo.com/sp/br/o-que-visitar/atrativos/pontos-turisticos/205-mosteiro-de-sao-bento|arquivodata=2017-04-27|urlmorta=yes}}</ref></ref>. Alguns medalhões das paredes das naves laterais foram pintados por [[Thomaz Scheuchl]], pintor alemão<ref>{{Citar web|url=http://anastasis-review.ro/index.php/current-issue-2|titulo=Anastasis, Volume V, No. 1, May, 2018. CONCEICAO, Rosangela A. Thomaz Scheuchl, the Trajectory of a Disciple of Beuron: from the Restoration of the Cathedral of the Ascension in Satu Mare to the Paintings of Churches in Brazil|lingua=en}}</ref>.
 
Destacam-se ainda as esculturas dos 12 apóstolos da [[Nave (arquitetura)|nave]] realizadas entre 1919 e 1922 pelo escultor e pintor belga [[Adrien Henri Vital van Emelen]] (1868-1943), do [[Liceu de Artes e Ofícios]]. De 1921 data o conjunto escultório localizado numa trave sobre a capela-mor, da autoria de [[Anton Lang]] (1875–1938).<ref name="BEURON" /> Por fim, o altar-mor em si é feito de [[mármore]] da região do [[Lago Maggiore]] na [[Itália]].<ref name="BEURON" />
Os produtos mais procurados são: os pães,que na sua composição tem mandioquinha, os ''benedictus'' que é um pão de mel recheado com geleia de morango, e também como mais procurados tem os bolos, que fogem do estilo tradicional, como por exemplo a receita suíça do bolo de nozes com maça.
 
Na lojinha pode se encontrar [[livro]]s, imagens sagradas, medalhas de São Bento,<ref>{{Citar web |url=http://www.cidadedesaopaulo.com/sp/br/o-que-visitar/atrativos/pontos-turisticos/205-mosteiro-de-sao-bento |titulo=Cópia arquivada |acessodata=2017-04-26 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20170427102338/http://www.cidadedesaopaulo.com/sp/br/o-que-visitar/atrativos/pontos-turisticos/205-mosteiro-de-sao-bento |arquivodata=2017-04-27 |urlmorta=yes }}</ref> e [[Compact Disc|cd's]] de [[canto gregoriano]] gravados pelos monges, como o [[Cantus Selecti (álbum)|''Cantus Selecti'']] que é uma compilação de orações em [[latim]] cantadas em gregoriano.<ref>{{Citar periódico|ultimo=Caesar|primeiro=Demetrius|data=5 de agosto de 2001|titulo=Monges a capela|jornal=Folha de S. Paulo|volume=|numero=|paginas=|issn=|doi=|url= http://www1.folha.uol.com.br/fsp/acontece/ac0508200101.htm}}</ref>
 
Além da loja anexa ao Mosteiro, há também um café avulso localizado no bairro dos [[Jardins]], na [[Zona Oeste de São Paulo]].<ref name="estado" />
230 298

edições