Diferenças entre edições de "Estado Novo (Portugal)"

74 bytes removidos ,  07h36min de 8 de maio de 2019
m
Desfeita(s) uma ou mais edições de 95.92.10.161, com Reversão e avisos
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de 95.92.10.161, com Reversão e avisos)
{{mais-fontes|data=novembro de 2015}}
{{revisão|data=novembro de 2015}}
'''O Estado Novo''' foi o [[política|regime político]] [[autoritarismo|autoritário]], [[autocracia|autocrata]] e [[corporativismo|corporativista]] de Estado que vigorou em [[Portugal]] durante 41 anos sem interrupção, desde a aprovação da [[Constituição de 1933]] até ao seu derrube pela [[Revolução de 25 de Abril de 1974]].É atualmente considerado um dos piores períodos da história de Portugal
 
Ao Estado Novo alguns historiadores também chamam de '''Segunda República Portuguesa''', por exemplo a ''História de Portugal'' de [[José Hermano Saraiva]] e a obra homónima de Joaquim Veríssimo Serrão. No entanto, tal designação jamais foi assumida pelo regime Salazarista, bem como nunca foi aceite pelos fundadores da República saída da Revolução de 25 de Abril, visto que o Estado Novo, apesar de ter conservado a forma de governo republicana, nunca adotou a designação "II República", preferindo designar-se "Estado Novo". Dado o apoio inicial que o Estado Novo recebeu por parte de alguns monárquicos e [[integralistas]], a questão do regime manteve-se em aberto até 1950-1951. Apesar da oposição das Forças Armadas e do Ministro da Defesa Santos Costa a uma mudança de regime, com a morte do Presidente [[Óscar Carmona]] em 1951, a restauração da Monarquia chegou a ser proposta por [[Mário de Figueiredo]] e Cancela de Abreu, verificando-se então uma decisiva oposição à mudança por parte de [[Salazar]], [[Marcello Caetano]] e [[Albino dos Reis]].
45 830

edições