Abrir menu principal

Alterações

m
manutênção refs.
 
==Origem do Nome==
O Diesel recebeu este nome em homenagem ao engenheiro [[Alemanha|alemão]] [[Rudolf Diesel]], que inventou um meio mecânico para explorar a [[reação química]] originada da mistura de óleo e do oxigênio presente no ar.<ref name="bol">{{Citar web |url=http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/quimica/oleo-diesel.htm |título=Oleo Diesel |língua= |autor= |publicado=Mundo Educação |data= |acessodata=4 de março de 2016}}</ref>
 
== Utilização ==
 
== Produção ==
[[Imagem:ProcessoProducaoDiesel.JPG|thumb|120px|Figura 4: Esquema de refinação para produção de óleo diesel.<ref name="Estabilidade e filtrabilidade de óleo diesel."/>]] Na figura 4 é mostrado um desenho esquemático genérico do processo de produção do óleo diesel. A partir do refino do [[petróleo]] obtém-se, pelos processos de [[destilação]] atmosférica, [[craqueamento catalítico fluido]] as frações denominadas de gasóleos, básicas para a produção de óleo diesel<ref name="Estabilidade e filtrabilidade de óleo diesel.">{{citar web|url=http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=90284|autor=Alves, Marcelo Vieira|titulo=Estabilidade e filtrabilidade de óleo diesel.|acessodata=[[20 de Março]] de [[2010]]}}</ref>. Para eliminação de contaminantes (compostos de enxofre e nitrogênio, principalmente) parte dos gasóleos são tratados quimicamente com [[hidrogênio]] no processo denominado [[hidrotratamento]]. Aos gasóleos podem ser agregadas outras frações como a [[nafta]] e o [[querosene]], resultando no produto conhecido como óleo diesel. A incorporação destas frações e de outras obtidas por outros processos de refino dependerá da demanda global de derivados de petróleo pelo mercado consumidor.
 
Estão em desenvolvimento outros processos para a produção de óleo diesel tais como os de produção de [[biodiesel]], diesel sintético e diesel vegetal.<ref name="Diesel de cana: assobiar e chupar cana.">[http://www.biodieselbr.com/revista/030/diesel-de-cana.htm Biodieselbr] - Diesel de cana: assobiar e chupar cana. Visitado em 21 de março de 2015.</ref> O diesel sintético é produzido através do [[Processo de Fischer-Tropsch]] (F-T).<ref name="Application of Synthetic">{{citar web|url=http://www1.eere.energy.gov/vehiclesandfuels/pdfs/deer_2005/panel1/2005_deer_schaberg.pdf|autor=Schaberg, Paul|titulo=Application of Synthetic Diesel Fuels.|acessodata=[[21 de Março]] de [[2010]]}}</ref> O diesel vegetal (como o [[diesel de cana-de-açúcar]]) <ref name="Diesel de cana: assobiar e chupar cana." /> é produzido a partir de açúcares de origem vegetal. O biodiesel é um [[éster]], já o diesel de cana-de-açúcar, como o diesel mineral, também é um [[hidrocarboneto]] <ref name="Diesel de cana: assobiar e chupar cana." /> do tipo [[farneceno]].<ref>[[Folha de S. Paulo]] - [http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mercado/26165-empresa-do-vale-do-silicio-quer-competir-com-biodiesel-de-soja.shtml Empresa do Vale do Silício quer competir com biodiesel de soja.] Tatiana Freitas, 16 de fevereiro de 2012. Visitado em 21 de março de 2015.</ref> Aplicações a partir de uma diversidade de matérias primas estão em curso para a produção do [[gás de síntese]] tais como: gás natural, biomassa e carvão<ref name="Green diesel">{{citar web|url=http://www.senternovem.nl/mmfiles/28277_tcm24-124223.pdf|autor=Boerrigter, Harold et al|titulo=Green Diesel from Biomass via Fischer-Tropsch synthesis - New Insights in Gas Cleaning and Process Design.|acessodata=[[21 de março]] de [[2010]]|arquivourl=https://web.archive.org/web/20060105090829/http://www.senternovem.nl/mmfiles/28277_tcm24-124223.pdf|arquivodata=2006-01-05|urlmorta=yes}}</ref>.
 
== No Brasil ==
No Brasil há predominância do transporte rodoviário, tanto de passageiros quanto de carga. Por esta razão, o óleo diesel é o derivado de petróleo mais consumido no país. O volume de óleo diesel vendido em 2009 representou 41% do volume total de derivados<ref name="Dados Estatísticos Mensais">{{citar web|url=http://www.anp.gov.br?pg=14685.|autor=ANP|titulo=Dados Estatísticos Mensais|acessodata=[[044 de Março]] de [[2010]]}}</ref>. O crescimento econômico nos últimos anos tem elevado substancialmente as vendas (figura 2). Ainda assim, com a elevação da produção interna recente, houve uma redução percentual da importação deste derivado (figura 3).
[[Imagem:Vendas de Diesel no Brasil.JPG|thumb|330px|Figura 2: Vendas de diesel no Brasil.<ref name="Dados Estatísticos Mensais"/>]]
[[Imagem:Origem do diesel.JPG|thumb|330px|Figura 3: Origem do óleo diesel movimentado no Brasil.<ref name="Dados Estatísticos Mensais"/>]]
O óleo diesel rodoviário é classificado como do tipo A (sem adição de [[biodiesel]]) ou do tipo B (com adição de biodiesel).
 
A Resolução da [[Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis|ANP]] nº 42<ref name="RANP 42 - 2009">{{citar web|url= http://nxt.anp.gov.br/NXT/gateway.dll/leg/resolucoes_anp/2009/dezembro/ranp%2042%20-%202009.xml?f=templates$fn=document-frame.htm$3.0$q=$x=|autor= ANP|titulo= RESOLUÇÃO ANP Nº 42, de 16 de dezembro de 2009|acessodata= [[044 de Março]] de [[2010]]|arquivourl= https://web.archive.org/web/20120103131355/http://nxt.anp.gov.br/NXT/gateway.dll/leg/resolucoes_anp/2009/dezembro/ranp%2042%20-%202009.xml?f=templates$fn=document-frame.htm$3.0$q=$x=|arquivodata= 3 de Janeiro de 2012|urlmorta= yes}}</ref> apresenta a seguinte nomenclatura para o óleo diesel rodoviário:
 
:"Art. 3º Fica estabelecido, para feitos desta Resolução, que os óleos diesel A e B deverão apresentar as seguintes nomenclaturas, conforme o teor máximo de enxofre:
|titulo = Diário Oficial publica resolução que antecipa adição de 5% de biodiesel ao óleo diesel
|acessodata = 26 de outubro de 2009
|publicadodata = 26 de outubro de 2009
|ultimo = Machado
|primeiro = Christina