Diferenças entre edições de "Latifúndio"

Sem alteração do tamanho ,  22h40min de 11 de maio de 2019
sem resumo de edição
(Lote de 10 mil hectares não é normal.)
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
[[Imagem:SAO 07 2008 286 panoramic view of sugar cane harvest operation.jpg|thumb|300px|Panorâmica de um [[Canavial]] no Brasil]]
Um '''latifúndio''' é uma propriedade agrícola de grande extensão<ref>{{citar web |url=http://www.infoescola.com/agricultura/latifundio/ |título=Latifúndio |acessodata=29 de janeiro de 2014 |ultimo=Santiago |primeiro=Emerson |coautores= |data= |ano= |mes= |formato= |obra= |publicado=InfoEscola |páginas= |língua= |língua2=en|citação= }}</ref> pertencente a uma única pessoa, uma família ou empresa e que se caracteriza pela exploração extensiva de seus recursos. A extensão necessária para se considerar uma propriedade como um latifúndio depende do contexto: enquanto na [[Europa]], onde a densidade demográfica normalmente é acima de 200100 habitantes por quilometro quadrado, o grande latifúndio só pode ter algumas centenas de [[Hectare|hectares]], na [[América Latina]], pode facilmente ultrapassar os 10 mil devido a baixa densidade populacional em áreas como as regiões centro-oeste e norte do Brasil. Além da extensão, outras características do que é conhecido como latifúndio são: baixos rendimentos unitários, uso da terra abaixo do nível de exploração máxima e baixa capitalização. O latifúndio tem sido tradicionalmente uma fonte de instabilidade social, associada à existência de grandes massas de camponeses sem terra. Para resolver os problemas causados ​​por grandes propriedades, já se tentou fórmulas diferenciadas, dependendo do tipo de governo: desde a mudança na estrutura da propriedade ([[reforma agrária]]), inclusive com [[Expropriação|expropriações]], até a modernização da exploração agrícola (agricultura de mercado).
 
==Concentração da propriedade rural==