Diferenças entre edições de "Sun Myung Moon"

28 bytes removidos ,  16h21min de 12 de maio de 2019
m
Acrescentei a esposa que não constava. Acrescentei o link da principal obra. Acrescentei referencia de um jornal conhecido. Exclui um referencia de um site não confiável.
m (Acrescentei a esposa que não constava. Acrescentei o link da principal obra. Acrescentei referencia de um jornal conhecido. Exclui um referencia de um site não confiável.)
{{Info/Biografia
|bgcolour =
|nome = Sun Myung Moon
|imagem = Sun Myung Moon and Hak Ja Han.jpg
|imagem_tamanho = 250px
|imagem_legenda = Sun Myung Moon e esposa
|nome_completo = Sun Myung Moon
|nascimento_data = {{dni|25|2|1920|si|lang=br}}
|nascimento_local = [[Sangsa-ri]], {{PRK}}
|morte_data = {{nowrap|{{morte|3|9|2012|25|2|1920|lang=br}}}}
|morte_local = [[Gapyeong]], {{KOR}}
|residência =
|nacionalidade = {{KORb}} Sul-coreana
|ocupação = líder religioso, escritor, empresário
|influências =
|influenciados =
|prémios =
|principais_trabalhos = Princípio Divino (1966)
|website =
|Cônjuge = Hak Ja Han Moon
}}
'''Rev. Sun Myung Moon''' ([[Sangsa-ri]], [[25 de fevereiro]] de [[1920]] — [[Gapyeong]], [[3 de setembro]] de [[2012]]), mais conhecido por '''Reverendo Moon''', fundou a Associação das Famílias para Unificação e Paz Mundial - AFUPM , e várias outras associações pelo mundo todo. Sua principal obra é '''[http://www.tongilpt.com/phocadownloadpap/principio%20divino%20livro%20negro%20oficial.pdf Exposição do Princípio Divino]''' , além dessa possui diversas obras editadas em coreano e outros idiomas.
'''Sun Myung Moon''' ([[Sangsa-ri]], [[25 de fevereiro]] de [[1920]] &mdash; [[Gapyeong]], [[3 de setembro]] de [[2012]]), o '''Reverendo Moon''', foi um controverso<ref>{{citar web|url=http://prof.reporter.sites.uol.com.br/seitam.htm|título=O jardim da seita Moon|autor=Luis Maklouf Carvalho|data=1996|publicado=|acessodata=2 de agosto de 2012}}</ref> líder religioso [[Coreia do Sul|sul-coreano]], fundador e dirigente máximo da [[Igreja da Unificação]] ([[seita]] Unificação pela Paz Mundial), fundada em 1954 na [[Coreia do Sul]]. Os "moonies", como ficaram conhecidos os discípulos da [[Igreja da Unificação]], foram destaque na imprensa internacional por causa dos casamentos em massa, nos quais milhares de pessoas que não se conheciam se casavam.<ref>[http://veja.abril.com.br/noticia/mundo/conheca-a-historia-do-reverendo-moon O fantástico império erguido pelo reverendo Moon]. Revista Veja, 03 de setembro de 2012.</ref> O Reverendo Moon investiu maciçamente em todo o mundo, controlando um bilionário conglomerado de empresas nas áreas de comunicações (News World Communications), automobilística ([[Pyeonghwa|Pyeonghwa Motors]]), remédios, armas, turismo e publicidade (Tongil Group), entre outros.<ref name="G1">{{Citar web|url=http://g1.globo.com/mundo/noticia/2012/09/morre-aos-92-anos-sun-myung-moon-o-reverendo-moon.html |título=Morre aos 92 anos Sun Myung Moon, o reverendo Moon |publicado=G1 |data=2/9/2012 |acessodata=1/4/2013}}</ref><ref name="BBC">{{Citar web|url=http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/09/120902_reverendomoonebc.shtml|título=Reverendo Moon morre na Coreia do Sul aos 92 anos |publicado=[[BBC]] |data=2/9/2012 |acessodata=1/4/2013}}</ref> O Tongil Group é proprietário do [[Seongnam FC]], o time de futebol coreano com mais títulos na [[K-League]]. O Reverendo Moon fundou diversos veículos de comunicação ao redor do mundo, entre eles o jornal [[The Washington Times]], conhecido por defender um ponto de vista conservador.
 
Tem sido um líder controverso também por realizar casamentos em massa.<ref>{{Citar web|titulo=Igreja do reverendo Moon casa 2,5 mil casais na Coreia do Sul|url=http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/02/igreja-do-reverendo-moon-casa-25-mil-casais-na-coreia-do-sul.html|obra=Mundo|data=2014-02-12|acessodata=2019-05-12|lingua=pt-br|primeiro=Da|ultimo=AFP}}</ref>
 
'''Sun Myung Moon''' ([[Sangsa-ri]], [[25 de fevereiro]] de [[1920]] &mdash; [[Gapyeong]], [[3 de setembro]] de [[2012]]), o '''Reverendo Moon''', foi um controverso<ref>{{citar web|url=http://prof.reporter.sites.uol.com.br/seitam.htm|título=O jardim da seita Moon|autor=Luis Maklouf Carvalho|data=1996|publicado=|acessodata=2 de agosto de 2012}}</ref> líder religioso [[Coreia do Sul|sul-coreano]], fundador e dirigente máximo da [[Igreja da Unificação]] ([[seita]] Unificação pela Paz Mundial), fundada em 1954 na [[Coreia do Sul]]. Os "moonies", como ficaram conhecidos os discípulos da [[Igreja da Unificação]], foram destaque na imprensa internacional por causa dos casamentos em massa, nos quais milhares de pessoas que não se conheciam se casavam.<ref>[http://veja.abril.com.br/noticia/mundo/conheca-a-historia-do-reverendo-moon O fantástico império erguido pelo reverendo Moon]. Revista Veja, 03 de setembro de 2012.</ref> O Reverendo Moon investiu maciçamente em todo o mundo, controlando um bilionário conglomerado de empresas nas áreas de comunicações (News World Communications), automobilística ([[Pyeonghwa|Pyeonghwa Motors]]), remédios, armas, turismo e publicidade (Tongil Group), entre outros.<ref name="G1">{{Citar web|url=http://g1.globo.com/mundo/noticia/2012/09/morre-aos-92-anos-sun-myung-moon-o-reverendo-moon.html |título=Morre aos 92 anos Sun Myung Moon, o reverendo Moon |publicado=G1 |data=2/9/2012 |acessodata=1/4/2013}}</ref><ref name="BBC">{{Citar web|url=http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/09/120902_reverendomoonebc.shtml|título=Reverendo Moon morre na Coreia do Sul aos 92 anos |publicado=[[BBC]] |data=2/9/2012 |acessodata=1/4/2013}}</ref> O Tongil Group é proprietário do [[Seongnam FC]], o time de futebol coreano com mais títulos na [[K-League]]. O Reverendo Moon fundou diversos veículos de comunicação ao redor do mundo, entre eles o jornal [[The Washington Times]], conhecido por defender um ponto de vista conservador.
 
No [[Brasil]] o Reverendo Moon comprou terras do [[Mato Grosso do Sul]] em um total que chega a 85 mil hectares (além de outros 200 mil hectares da mesma terra no lado [[paraguai]]o). Em 2002 a [[Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul|Assembleia Legislativa Sul-Matogrossense]] instaurou uma CPI para investigar o caso.<ref name="G1" />
8

edições