Abrir menu principal

Alterações

sem resumo de edição
O '''metropolitano''', também chamado de {{PEPB|metro|metrô}}, é um meio de [[transporte]] urbano que circula sobre [[trilho]]s (carris), transportando passageiros.<ref name="miriamwebster">{{citar web|url=http://www.merriam-webster.com/dictionary/rapid%20transit|título=Rapid transit|publicado=[[Merriam-Webster]]|acessodata=2013-07-31}}</ref><ref name="IUTPMetro">{{citar web|url= http://ftp.uitp.org/ftproot/euroteam/YVA/URP_Fundamental_Requirements_EN.pdf|título=Recommended basic reference for developing a minimum set of standards for voluntary use in the field of urban rail, according to mandate M/486 |autor =UITP |ano=2011 |acessodata=2014-02-16}}</ref><ref name=aptaglossary>{{citar web|url=http://www.apta.com/resources/reportsandpublications/Documents/Transit_Glossary_1994.pdf|título=Glossary of Transit Terminology|publicado=[[American Public Transportation Association]]|acessodata=2013-07-31}}</ref> Em todo o [[mundo]] existem cerca de 140 redes de metrôs, as quais se distinguem entre si, devido às condições do terreno e as metas de cada projeto. Alguns destes sistemas estagnaram o crescimento logo após a inauguração, enquanto que outros mantiveram um crescimento regular ao longo do tempo.<ref name="Britannica">{{citar web|url=http://www.britannica.com/EBchecked/topic/491506/rapid-transit|título=Rapid Transit|publicado=[[Encyclopædia Britannica]]|acessodata=2014-11-28}}</ref>
 
Atualmente, a maior rede do mundo é o [[Metropolitano de Xangai]] (567&nbsp;km) (iniciada em 1995) e o [[Metropolitano de Pequim]], (com mais de 442&nbsp;km de extensão), e o seguidos de perto pelos centenários [[Metropolitano de Nova Iorque]], com 418&nbsp;km de extensão, e pelo mais antigo metrô do mundo, o [[Metropolitano de Londres]], com 408&nbsp;km de extensão. Outros sistemas de grande comprimento são, por exemplo o [[Metro de Chicago|de Chicago]] (360 km), o [[Metropolitano de Tóquio|de Tóquio]] (292 km), o [[Metropolitano de Seul|de Seul]] (286 km), o [[Metropolitano de Moscovo]] (269&nbsp;km), o [[Metropolitano de Madrid|de Madrid]] (293&nbsp;km) e o [[Metropolitano de Paris|de Paris]] (212&nbsp;km).
 
No Brasil, a maior rede é a do [[Metrô de São Paulo]] — CMSP, CPTM, ViaQuatro e ViaMobilidade (337 km<ref>{{Citar web|url=http://www.metro.sp.gov.br/noticias/06-09-2017-inaugurados-mais-28-km-de-metro-em-sao-paulo-com-tres-novas-estacoes.fss|titulo=06/09/2017 - Inaugurados mais 2,8 km de metrô em São Paulo com três novas estações|acessodata=2017-09-10|obra=www.metro.sp.gov.br}}</ref>) —, seguido pelo [[Metrô do Rio de Janeiro]] (57,9 km), pelo [[Metrô do Recife]] (44,2 km), pelo [[Metrô de Porto Alegre]] (43,4 km), pelo [[Metrô de Brasília]] (42,4 km), pelo [[Metrô de Salvador]] (33 km), pelo [[Metrô de Belo Horizonte]] (28,2 km) e pelo [[Metrô de Fortaleza]] (24,4 km). Já os mais movimentados são, respectivamente, os metrôs de [[São Paulo (cidade)|São Paulo]], [[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]], [[Recife]], [[Belo Horizonte]], [[Porto Alegre]], [[Salvador (Bahia)|Salvador]] e [[Brasília]].<ref>[http://super.abril.com.br/cotidiano/qual-maior-metro-brasil-656040.shtml Qual é o maior metrô do Brasil?]</ref>
 
Em [[Portugal]] existem quatro sistemas, o [[Metropolitano de Lisboa]] com 44,2 km, o [[Metropolitano do Porto]] com 70&nbsp;km, o [[Metro Sul do Tejo|Metropolitano do Sul do Tejo]] que engloba a região de [[Almada]] e o [[Metro de Mirandela]].
[[Imagem:Citadis dublin.jpg|thumb|''Light rail'' ou [[VLT]] em [[Dublin]], [[Irlanda]].]]
 
O termo [[Metrô Leve|metropolitano leve]], ''[[light rail]]'' ou [[veículo leve sobre trilhos]] (VLT) é muitas vezes fundido com o de metropolitano, o que causa alguma disparidade de opiniões na verdadeira definição da palavra. Na realidade ''light rail'' abarca tanto [[eléctricos]] (/[[bondes)]] como ''metrôs leves'' ou ''pré-metrosmetrôs'' (metrôs de superfície), entre outros. Os ''pré-metros'' destacam-se dos eléctricos pelo facto de circularem em sítio próprio, ou seja, separados do tráfego automóvel, por exemplo. Esta confusão na definição de metropolitano é recente, e gera mal entendidos, principalmente pela atribuição do título de ''metropolitano'' a sistemas de ''light rail'' comuns. Deve-se muito ao facto de, a posse de uma rede de metropolitano, atribuir um certo estatuto económico elevado, sinónimo de desenvolvimento tecnológico, que faz com que linhas comuns de comboio adaptadas passem a ser denominadas de metropolitano.{{carece de fontes|data=abril de 2013}}
 
== História ==
A primeira linha de metropolitano foi inaugurada em [[1863]] em [[Londres]]. Tinha como função principal transportar o maior número de pessoas, para que, dessa forma, acabasse com os problemas de trânsito da cidade. Os [[trem|comboios a vapor]] (trens a vapor) circulavam dentro de túneis que percorriam o subsolo da capital inglesa. Apesar da grande novidade gerada pela apresentação deste novo meio de transporte urbano, os passageiros deixaram rapidamente de o utilizar pelo mal-estar criado pelo fumo vindo da [[locomotiva]]. Porém, em [[1890]], as linhas passaram a ser electrificadas, facto que relançou o potencial do metropolitano. Num curto período de tempo muitas outras cidades construíram as suas redes, desenvolvendo ao mesmo tempo técnicas de construção de túneis, conforto das carruagens, entre outras.{{carece de fontes|data=abril de 2013}}
 
Os sistemas de metropolitano situam-se normalmente em grandes áreas metropolitanas e transportam elevado número de pessoas. A extensão das redes de metropolitano varia muito de cidade para cidade e também das infraestruturas associadas a elas. Em cidades de maiores dimensões a rede pode até ultrapassar os limites da cidade, estendendo-se a municípios ou regiões vizinhas. É comum estes estarem associados a outras redes de transporte tais como [[ônibus]]/[[autocarro]]s (ônibus), [[bonde|bondes]]/[[eléctricos]] (bondes) e/ou comboios ([[trens)]]/[[comboios]], entre muitos outros. Existem muitas estratégias para gerir os transportes de uma cidade; em muitos casos, os vários meios de transporte estão coordenados para não existir um excesso de serviços, isto é, por exemplo, haver uma linha de comboio a fazer o mesmo percurso que uma linha de metropolitano. Nessa medida, normalmente, as empresas que gerem os vários transportes públicos têm acordos que permitem uma cooperação entre si evitando o desnecessário excesso. Um bom exemplo dessa cooperação é o [[metropolitano de Oslo]]; no centro da cidade os eléctricos transportam os passageiros. Essas linhas vão juntar-se depois com várias linhas de metropolitano que levam à periferia de [[Oslo]]. Actualmente, as carruagens são muito confortáveis e todas automatizadas; as estações são modernas e nelas decorrem exposições de arte, entre outros eventos, alheios à principal função da estação; os túneis são escavados a alta velocidade, potenciando a expansão rápida das redes de metropolitano.{{carece de fontes|data=abril de 2013}}
 
=== Argentina ===
O metropolitano é, hoje em dia, um dos principais [[transporte|meios de transporte]] nas grandes cidades, e por isso, é considerado uma verdadeira ''espinha dorsal'' das redes de transportes públicos. A viagem diária de muitas pessoas começa na periferia das metrópoles, em [[Trem|trens]]/[[comboio]]s, [[bonde]]s/[[eléctrico]]s ou [[ônibus]]/[[autocarro]]s, que, depois de entrarem na cidade propriamente dita, se ligam à rede de metropolitano; esta possibilita a circulação fluída de passageiros no centro da cidade, evitando engarrafamentos nas ruas. Um exemplo deste método posto em prática é bem visível na cidade de [[Budapeste]]; duas das mais recentes linhas do [[Metropolitano de Budapeste]] ligam com carreiras de autocarro e eléctrico que vêm desde os subúrbios da cidade, levando depois os passageiros para o centro da capital.{{carece de fontes|data=abril de 2013}}
 
As cidades de [[Xangai]], [[Londres]], [[Nova Iorque]], [[Tóquio]], [[Moscou]], [[Seul]] e [[Madrid]] têm as maiores redes de metropolitano do mundo. Transportam diariamente milhões de passageiros que circulam por toda a cidade e respectiva [[área metropolitana]], embarcando e desembarcando em grandes estações intermodais utilizando vários tipos de transportes. A cidade de Tóquio tem uma das maiores rede de metropolitano do globo, com quinzecatorze linhas que transportam todos os dias mais de 7 milhões de passageiros.{{carece de fontes|data=abril de 2013}}
 
Uma característica comum à generalidade das linhas de metropolitano é o facto de circularem em vias independentes umas das outras, isto é, a ligação de umas com as outras é feita através de uma ou duas estações, não consecutivas, comuns às duas linhas. A partir deste aspecto é possível fazer uma distinção entre rede de metropolitano e redes de [[VLT]] ou [[tramway]]. Estas últimas, em geral, não respeitam a "regra" de não consecutividade das estações, partilhando até largos troços de linha; exemplo disso é o [[Metro Sul do Tejo]], em [[Portugal]]. Contudo, existem algumas excepções à regra; por exemplo, a rede do [[Metropolitano de Bruxelas]] tem um troçotrecho comum a duas linhas, não deixando de ser uma rede de metropolitano genuína. Conclui-se portanto que esta "regra" é de difícil aplicação. Nota-se, apesar disso, que a tendência de individualizar as vias é praticada sobretudo em sistemas que tenhas linhas subterrâneas.{{carece de fontes|data=abril de 2013}}
 
As principais razões para esta forma de planear as rede são, em primeiro lugar, em termos económicos, é mais fácil "parar" uma linha onde apenas opera uma rota para depois se proceder a reparações da via do que fazer o mesmo numa linha onde circulassem várias rotas; em segundo lugar, o facto das estações pertencerem, na sua maioria, a apenas uma linha faz com que a densidade de passageiros seja menor em cada estão, tendo de fazer apenas algumas estações, maiores, para a conexão de várias linhas. Por outro lado, as vias individuais também têm desvantagens. Numa perspectiva mais económica, é mais dispendioso construir várias linhas do que apenas uma. Mais uma vez, observa-se que o tipo de rede é específica às necessidades locais da cidade onde se encontra.{{carece de fontes|data=abril de 2013}}
Os sistemas de metropolitano estão normalmente organizados em rede, isto é, as várias linhas estão desenhadas por forma a que o tráfego de passageiros seja feito da melhor e mais rápida forma possível. Nessa medida é necessário providenciar várias ligações entre as linhas do sistema. Ao longo da história, o planeamento das redes foi feito de várias formas. Algumas das razões para a tão vasta gama de redes existente são, em primeiro lugar, as necessidades que a rede tem de providenciar, em segundo lugar, a fisiografia do terreno e por último as possibilidades econômicas dos empreendedores do projeto.{{carece de fontes|data=abril de 2013}}
 
O diagrama da rede é um elemento fundamental para quem viaja num metropolitano. Os mapas mostram as linhas com as respectivas estações num colorido emaranhado de traços. Muitos desses diagramas tornaram-se ícones culturais aparecendo em obras de arte, livros, filmes, etc. O mais conhecido é o do [[Metropolitano de Londres]], mas os diagramas do [[Metropolitano de Nova Iorque|de Nova Iorque]], do [[Metropolitano de Paris|de Paris]], do [[Metropolitano de Barcelona|de Barcelona]], entre outros, também ganharam notoriedade. São tema de jogos, roupas, puzzles e outros objectosobjetos.{{carece de fontes|data=abril de 2013}}
 
;Principais tipologias
<gallery>
Ficheiro:Circle-system.png|<center>'''em anel'''<br /> ( ex: [[Metropolitano de Glasgow|Glasgow]])
Ficheiro:Circle-radial-system.png|<center>'''em anel com linhas radiais'''<br /> (ex: [[Metropolitano de Pequim|Pequim]], [[metropolitanoMetropolitano de Madrid|Madrid]], [[Metropolitano de Moscovo|Moscovo]], [[metropolitanoMetropolitano de Viena|Viena]], [[Metro de Tóquio|Tóquio]])
Ficheiro:Radial-system.png|<center>'''linhas radiais''' <br/> (ex: [[Metrô de Boston|Boston]], [[Metrô de Sapporo|Sapporo]], [[Metrô de Washington|Washington, D.C.]])
Ficheiro:Secant-system.png|<center>'''linhas secantes'''<br /> (ex: [[Metropolitano de Minsk|Minsk]], [[Metropolitano de Kiev|Kiev]], [[Metropolitano de São Paulo|São Paulo]])
* [[Lista de metropolitanos por extensão]]
* [[Metrô sobre pneus]]
* [[Acidente ferroviário]]
* [[Transporte público]]
 
6 634

edições