Diferenças entre edições de "Rienzi"

4 bytes removidos ,  18h59min de 20 de maio de 2019
m
Substituição da predefinição {{Ligações externas}}
m (Substituição da predefinição {{Ligações externas}})
A praça diante do capitólio. Multidões surgem violentamente com tochas e gritos em respeito ao édito da Igreja (''Herbei! Herbei!''). O povo está revoltado com Rienzi, que surge de armadura na varanda do capitólio e pede calma. O povo grita que ele não deve ser ouvido, mas apedrejado. Rienzi pede aos revoltosos que se recordem da paz e da liberdade que conseguiu para eles. Baroncelli grita que Rienzi está tentando enganá-los. A multidão ateia fogo ao capitólio. Rienzi então diz suas últimas palavras: “''Enquanto as sete colinas de Roma existirem, enquanto a cidade eterna não perecer, vocês verão Rienzi voltar!''” (''Nas apresentações originais, as palavras finais de Rienzi são amargas e pessimistas: “Que a cidade seja amaldiçoada e destruída! Desintegre-se e seque, Roma! Seu povo degenerado assim deseja.” Todavia, para a apresentação de 1847, em Berlim, Wagner as substituiu por aquela outra retórica, mais positiva.'') Rienzi e Irene estão abraçados em meio às chamas, e o povo os apedreja. Chega Adriano, que, fora de si, invade as chamas em busca de Irene. Ao entrar no capitólio, a torre onde estavam Rienzi e Irene desaba sobre ele, sepultando todos os três.
 
=={{Ligações externas}}==
 
{{link|es|http://www.kareol.es/obras/rienzi/rienzi.htm|Libreto}}