Diferenças entre edições de "Sé Catedral de Nossa Senhora da Graça de São Tomé"

Resgatando 1 fontes e marcando 0 como inativas. #IABot (v2.0beta14)
(Resgatando 1 fontes e marcando 0 como inativas. #IABot (v2.0beta14))
 
== História ==
A primitiva Matriz de Nossa Senhora das Graças remonta, provavelmente, ao [[século XV]], localizando-se próxima à [[torre]] defensiva levantada em [[1492]]-[[1493]] pelo capitão [[Álvaro de Caminha]].<ref name="MADEIRA">Teresa Madeira. ''Estudo morfológico da cidade de São Tomé no contexto urbanístico das cidade insulares atlânticas de origem portuguesa''. Colóquio Internacional Universo Urbanístico Português 1415-1822, Coimbra 1999 [http://revistas.ceurban.com/numero1/teresa.htm] {{Wayback|url=http://revistas.ceurban.com/numero1/teresa.htm |date=20140819085739 }}</ref> Em [[1534]] a cidade foi elevada a sede de bispado pela bula "''[[Aequum reputamus]]''" do [[Papa Paulo III]], que instituiu a [[Diocese de São Tomé e Príncipe]].<ref name="IHRU">''[http://www.monumentos.pt/Site/APP_PagesUser/SIPA.aspx?id=11768 Sé Catedral de São Tomé]'' na base de dados SIPA do [[IHRU]]</ref> A matriz foi, assim, elevada a [[catedral]]. A diocese abarcava as ilhas de São Tomé, Príncipe, Fernando Pó, Ano Bom e Santa Helena, e, no continente africano, ia desde o [[rio de Santo André]] até ao [[Cabo das Agulhas]].<ref name="IHRU" />
 
[[Ficheiro:Blue Ceramic Tiles in Church, Sao Tome (20060884068).jpg|250px|miniaturadaimagem|esquerda|Interior da Sé de São Tomé]]
230 298

edições