Diferenças entre edições de "Ary Toledo"

393 bytes adicionados ,  19h41min de 1 de junho de 2019
Resgatando 2 fontes e marcando 3 como inativas. #IABot (v2.0beta15)
(→‎Biografia: O número informado de piadas era inferior ao real)
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
(Resgatando 2 fontes e marcando 3 como inativas. #IABot (v2.0beta15))
Filho de Isolina Christoni e de Antônio de Toledo Piza, [[Transporte ferroviário|ferroviário]], Ary Toledo nasceu em [[Martinópolis]], no estado de [[São Paulo (estado)|São Paulo]], mas foi criado em [[Ourinhos]], onde seu avô materno, o imigrante italiano Ângelo Christoni, era cidadão influente.<ref>{{citar web|url=http://www.imobiliariashalom.com.br/livrocapVIII2.php|título=Minha Vida, Meus Amigos, Minha Cidade, Cap. 8: Os Imigrantes e Seus Descendentes|autor=Eitor Martins|publicado=Imobiliária Shalom|dataacesso=3 de junho de 2017}}</ref> Mudou-se para [[São Paulo (cidade)|São Paulo]] aos 22 anos, quando começou a atuar como [[ator]] no [[Teatro de Arena de São Paulo|Teatro de Arena]]. Cinco anos mais tarde, ingressou na carreira [[humor]]ística, onde permanece até os dias atuais.<ref name=BIOGRAFIADEARYTOLEDO>{{citar web|url=http://www.arytoledo.com.br/content/biografia|título=Biografia de Ary Toledo|autor=|data=|publicado=|acessodata=}}</ref>
 
Cantor de estilo [[satírico]], passou a apresentar ''[[Espetáculo|shows]]'', em que conta inúmeras [[anedota]]s. Antes da chegada da [[internet]], Ary chegou a compilar mais de 90 mil piadas que contava em shows, discos, programas de TV e livros. Torcedor do [[Sport Club Corinthians Paulista|Corinthians]], muitas das frases de português atrapalhado atribuídas ao folclórico presidente do clube paulista [[Vicente Mateus]], foram criadas, adaptadas e popularizadas por Ary Toledo.<ref name=BIOGRAFIADEARYTOLEDO/><ref>{{citar web|url=http://teclai.com.br/index.php/agenda/media/system/js/index.php?option=com_content&view=article&id=2747:uma-pequena-previa-sobre-nosso-mestre-ary-toledo&catid=108:blog-carlos-andrey&Itemid=222|título=Pequena história de Ary Toledo|autor=|data=|publicado=|acessodata=}}{{Ligação inativa|1={{subst:DATA}} }}</ref>
 
Em pleno [[Ditadura militar no Brasil (1964-1985)|período militar]], disse em uma de suas apresentações: "Quem não tem cão, caça com gato e quem não tem gato, cassa com ato" referindo-se ao [[Ato Institucional Número Cinco|Ato Institucional V]]. Imediatamente, foi [[preso]] e logo liberado, devido ao grande carisma que tinha (inclusive junto a seus opressores). Ary Toledo é considerado um dos maiores humoristas brasileiros de todos os tempos.<ref name=BIOGRAFIADEARYTOLEDO/>
Foi casado por mais de 40 anos com a [[atriz]], [[diretor de teatro|diretora de teatro]], [[crítica musical]], [[Crítica musical|jurada musical]] [[Marly Marley]], conhecida jurada do [[Programa Raul Gil]], morta em 2014.<ref name=BIOGRAFIADEARYTOLEDO/>
 
Considera-se que seu início para a vida artística deve-se à mãe que, aos 12 anos, deu-lhe de presente uma [[gaita de boca]]. Posteriormente, Ary Toledo foi aluno de Jamil Neder, que lhe ministrou aulas de [[violão]]. Jamil, que também foi mestre de [[Vânia Bastos]], é pai do professor e músico [[Hermelino Neder]]. Aos 22 anos, mudou-se para São Paulo, onde começou a carreira como ator no [[Teatro de Arena de São Paulo|Teatro de Arena]]. Sua primeira canção foi composta no início dos anos 60, e a primeira gravação musical em disco ocorreu em 1965, com "Tiradentes", composição com a qual fez grande sucesso à época.<ref name=BIOGRAFIADEARYTOLEDO2>{{citar web|url=http://www.telehistoria.com.br/canais/ficha.asp?idConfiguracao=2205|título=Ary Toledo: Biogafia|autor=|data=|publicado=|acessodata=}}{{Ligação inativa|1={{subst:DATA}} }}</ref> Participante assíduo de programas musicais de televisão, projetou-se como cantor com a canção "Pau-de-Arara", composta por [[Vinicius de Moraes]] e [[Carlos Lyra]]. "Pau-de-Arara", que era parte da trilha musical de uma peça de teatro, conta, de uma forma bem humorada, as mazelas da dura vida de um retirante nordestino. O protagonista, para sobreviver, fazia shows em [[Praça Pública|praça pública]] onde comia lâminas-de-barbear, cacos de vidro etc. A música unia humor e crítica às [[desigualdades sociais]], associadas à [[Migração nordestina|migração de nordestinos]] para outras regiões.
 
Escreveu e atuou ainda em várias peças, tendo trabalhado com [[Gianfrancesco Guarnieri]] e [[Augusto Boal]]. Seu principal parceiro na composição de músicas é [[Chico de Assis]].
Tendo conhecido Vinícius de Moraes e [[Elis Regina]], foi aconselhado por estes a seguir a carreira de humorista. Mais tarde tornou-se [[humorista]] e [[Piada|piadista]], onde permanece até os dias atuais, sendo muito identificado por suas piadas de conteúdo obsceno.<ref name="BIOGRAFIADEARYTOLEDO2" />
 
Em um relato pessoal, Ary Toledo diz que o humor é um [[Talento (aptidão)|dom]] que lhe acompanha desde a [[infância]]: "Aos nove anos, estava jogando [[bola-de-gude]], com meus amigos, quando o padre Arnaldo chegou e, vendo que estávamos numa rua de terra, com poeira, ele perguntou onde era o correio. Eu expliquei a ele e depois ele, sutilmente, sugeriu que nós saíssemos da rua, cheia de pó e fôssemos à Igreja para que nos ensinasse o caminho de Deus. Disse a ele que não ia coisa nenhuma, pois se ele não sabia o caminho do correio, como podia saber o caminho de Deus? Ele achou graça e disse que eu era muito espirituoso. Na época, eu não sabia que estava fazendo humor, afirmou Ary certa vez em uma entrevista.<ref name="BIOGRAFIADEARYTOLEDO" /><ref name="entrevistacomarytoledo">{{citar web|url=http://www.estradas.com.br/entrevistas/hps/ary_toledo.htm|título=Ary Toledo - O Garimpeiro do humor|autor=|data=|publicado=|acessodata=|arquivourl=https://web.archive.org/web/20120120052748/http://www.estradas.com.br/entrevistas/hps/ary_toledo.htm|arquivodata=2012-01-20|urlmorta=yes}}</ref>
 
==Piadista==
Suas [[piadas]] normalmente estão baseadas em temas [[sexo|sexuais]] ou no [[humor negro]] e no [[politicamente incorreto]]. Durante a época da [[Ditadura Brasileira|ditadura]], havia uma espécie de acordo com os [[Censura no Brasil#Censura durante o regime militar|censores]]. Os humoristas evitavam temas políticos e podiam fazer mais humor pornográfico. "Fui detido várias vezes. Quando foi promulgado o [[Ato Institucional Número Cinco|Ato Institucional V]], eu dizia no show que "quem não tem [[Canis lupus familiaris|cão]], caça com [[gato]] e quem não tem gato, caça com ''Ato''." Por esta declaração, Ary foi preso, mas liberado pouco tempo depois. A relação com os censores era curiosa, pois eles eram fãs de Ary e pediam desculpas.
 
Dentre os temas abordados em suas anedotas e piadas, frequentemente são citados animais falantes (principalmente os papagaios). Outros temas recorrentemente tratados por Ary Toledo em seus espetáculos são a suposta ingenuidade dos [[Portugal|portugueses]],<ref>{{citar web|url=http://www.pinhal.sp.gov.br/novo/index.php?option=com_content&view=article&id=102:ary-toledo-show-de-humor&catid=36:teatro&Itemid=104|título= Ary Toledo - SHOW de Humor|autor=|data=|publicado=|acessodata=}}{{Ligação inativa|1={{subst:DATA}} }}</ref> a inocência (ou a falta dela) presente nas [[criança]]s, a malícia de certos profissionais, tais como [[médico]]s, a hipocrisia de [[Religião|líderes religiosos]] e a falta de decoro dos [[Política brasileira|políticos brasileiros]]. Obviamente, trata-se de menções com propósitos humorísticos, não devendo ser levadas a sério pela plateia que acompanha a apresentação do artista.
 
Além dos espetáculos em salas de teatros, as piadas de Ary Toledo também podem ser ouvidas em CDs ou lidas em livros de anedotas que reúnem coletâneas de centenas de piadas do autor.<ref>{{citar web|url=http://www.danielrossi.com.br/2008/04/06/o-mestre-do-humor-ary-toledo/|título=O mestre do humor|autor=|data=|publicado=|acessodata=}}</ref>
 
===Músicas===
Ary Toledo gravou diversas canções humorísticas, destacando-se entre elas:<ref name=LETRASDASMUSICASDOARYTOLEDO>{{citar web|url=http://letras.terra.com.br/ary-toledo/|título=Letras: Ary Toledo|autor=|data=|publicado=Terra|acessodata=13/01/2012|arquivourl=https://web.archive.org/web/20111125121643/http://letras.terra.com.br/ary-toledo/|arquivodata=2011-11-25|urlmorta=yes}}</ref>
 
*''A moda do Zé'' - Relata, de forma divertida, a história de uma jovem e bela mulher que confiou em um sujeito chamado José (Zé), que a abandonou depois de tirar a sua [[virgindade]].<ref name=LETRASDASMUSICASDOARYTOLEDO/>
226 962

edições