Abrir menu principal

Alterações

m
→‎Mestre-sala e porta-bandeira: Ocultando trecho sem fontes
O termo ''[[mestre-sala]]'' parece ter vindo dos bailes carnavalescos do século XIX, nos quais havia um profissional responsável pela organização do salão que era denominado de "mestre de sala" ou "mestre-sala". No entanto, na verdade podemos recuar no tempo e percebermos que eram vários os reis que designavam um [[nobre]] da sua máxima confiança que ocupava permanentemente e em vitalício essa função para conduzir todas as cerimônias importantes. Corresponderia hoje ao lugar de chefe de protocolo de uma [[Casa Real]] ou da [[Palácio do Planalto|Casa da Presidência da República]]. Em [[Portugal]], a família [[Almada (família)|Almada]], obteve-o durante seis gerações, de pai para filho, até acabar no 3.º [[Lourenço José Maria Boaventura de Almada Cirne Peixoto|conde de Almada]]. Mas, mesmo aí, no [[reino de Portugal]], pelo menos durante o [[domínio filipino]], já havia antes esse papel e título como oficial<ref>[http://www.arqnet.pt/dicionario/alarcaojoaos.html Alarcão (D. João Soares de), Portugal - Dicionário Histórico, Edição electrónica, 2000-2010]</ref>.
 
Com relação à ''[[porta-bandeira]]'' o nome foi uma adaptação natural do antigo "porta-estandarte", personagem, geralmente masculino, que carregava os pesados estandartes dos grupos carnavalescos brasileiros.<ref name="Superinteressante"/><ref>{{Citar web |url=http://web.archive.org/web/20090206032511/http://www.fundaj.gov.br/notitia/servletnewstorm.ns.presentation.NavigationServlet?publicationCode=16&pageCode=302&textCode=7592&date=currentDate |título=ESTANDARTE DE AGREMIAÇÕES CARNAVALESCAS|língua2=pt |autor=Lúcia Gaspar, FUNDAJ.gov |obra= |data= |acessodata=11/07/2011}}</ref> Mas, como sabemos na Idade Média já os havia para apresentar a organização militar, civil ou religiosa a qual pertenciam e primitivamente tinham a designação ou posto de [[alferes]].
<!-- TRECHO SEM FONTES: Mas, como sabemos na Idade Média já os havia para apresentar a organização militar, civil ou religiosa a qual pertenciam e primitivamente tinham a designação ou posto de [[alferes]]. -->
 
O mestre-sala e a porta-bandeira, no samba, são um casal que executa um determinado bailado especial e deve apresentar com graciosidade o [[bandeira|pavilhão]] da escola. Suas fantasias assemelham-se a trajes de gala típicos do século XVIII, porém "carnavalizados", ou seja, com uma quantidade exagerada de cores e enfeites. Em determinado momento, durante o desfile, eles param em frente à cabine dos jurados para apresentar sua dança, onde são avaliados. É proibido que os dois deem as costas um ao outro ao mesmo tempo, e erros como a queda de um chapéu ou um escorregão podem render uma perda de pontos preciosos.<ref name="Superinteressante"/><ref name="Quesitos"/><ref>{{Citar web |url=http://web.archive.org/web/20090211114828/http://www.dpnet.com.br/anteriores/1998/02/25/urbana2_0.html |título=Viradouro levanta sambódromo |língua2=pt |autor= |obra= |data=25 de Fevereiro de 1998 |acessodata=11/07/2011}}</ref>
134 900

edições