Abrir menu principal

Alterações

sem resumo de edição
| município = Cabinda
| área = 1 823<ref name=geohive>[http://www.xist.org/cntry/angola.aspx?levels=Cabinda Angola - Cabinda - Administrative units GeoHive] {{en}}</ref>
| população = 185 924699.053<ref name=geohive/><ref name=inss>[http://www.inss.gv.ao/portal/ProvCabinda_Popula.php Instituto Nacional de Segurança Social - República de Angola - Cabinda - Estimativa Populacional]</ref><ref name="Schmitt">Schmitt, Aurelio. Município de Angola: Censo 2014 e Estimativa de 2018. Revista Conexão Emancipacionista. 3 de fevereiro de 2018.</ref>
| censo = 2006
| densidade = 102
}}
 
'''Cabinda''' ('''Tchowa''', '''Tchiowa'''também ouconhecida pelo nome '''Chioua'''- nome local da cidade), é uma cidade e município de [[Angola]], capital administrativa da [[província de Cabinda]], localizada na costa do [[Oceano Atlântico]]., Possuicapital cercaadministrativa deda 186 mil habitantes (estimativa[[província de 2006)Cabinda]].<ref name=inss/>
 
Segundo as projeções populacionais de 2018, elaboradas pelo [[Instituto Nacional de Estatística (Angola)|Instituto Nacional de Estatística]], conta com uma população de 699.053 habitantes e área territorial de 1 823&nbsp;km², sendo o município mais populoso da província e o oitavo segundo mais populoso da nação.<ref name="Schmitt"/>
 
Cabinda foi elevada a categoria de cidade em 28 de maio de 1956, através do despacho legislativo nº 2.757, proposto pelo então governador português do distrito do Congo, Jaime Pereira de Sampaio Forjaz de Serpa Pimentel.<ref name=gpcabinda>{{Citar web |url=http://www.gpcabinda.com/noticiasnsimbote.cfm?id=23 |título= Cidade de Cabinda comemora 52 anos |publicado=Governo da Província de Cabinda |acessodata=5-9-2010}}</ref>
 
==História==
Entre os séculos XV e XIX a região da cidade de Cabinda resumia-se a uma pequena colônia de pescadores e caçadores que vivia a beira-mar, sendo a mais importante saída marítima do [[reino de Cacongo]], um dos Estado confederados do [[reino do Congo]]. No município de Cabinda, inclusive, foi que se estabeleceu a capital de Cacongo, em Caio-Caliado (atual comuna de [[Tanto-Zinze]]).
*[[1883]] - Cabinda se formou como um pequeno povoado marítimo no [[Oceano Atlântico|Atlântico]], na costa de Luango, [[África Ocidental Portuguesa]], em uma calma baía, que passa por ser a melhor de toda aquela costa, local propício para o desenvolvimento da navegação e do comércio, e cuja posse fora por alguns anos abandonada por [[Reino de Portugal|Portugal]], mas pudera há longo tempo reaver o seu direito.Porem o interior era muito doentio e até mortífero para os [[Europeus]]. O surgimento do porto favoreceu o desenvolvimento urbanístico, o comércio relacionado com a atividade portuária e outros serviços auxiliares;<ref name=historia>{{Citar web |url=http://www.gpcabinda.com/historia.cfm |título=Evolução Histórica |publicado=Governo da Província de ACabinda |acessodata=11-9-2010 |formato=PDF}}</ref><ref name=ngonge2009>{{Citar web |url=http://www.gpcabinda.com/André Lourenço Mangovo ngonge/ngonge_ed13.pdf |título=Desenvolvimento do Município de Cabinda |publicado=Governo da Província de Cabinda |acessodata=9-9-2010 |formato=PDF}}</ref><ref>Sousa Monteiro, "Dicc. geogr. das posses port."</ref><ref>"Resenha das Famílias Titulares e Grandes de Portugal", Albano da Silveira Pinto e Augusto Romano Sanches de Baena e Farinha de Almeida Portugal Silva e Sousa, 1.º Visconde de Sanches de Baena, Fernando Santos e Rodrigo Faria de Castro, 2.ª Edição, Braga, 1991, Volume I, p. 324</ref>
 
*[[1 de fevereiro]] de [[1885]] - sete quilômetros ao norte da cidade, onde hoje se encontra um monumento, foi assinado o [[Tratado de Simulambuco]], Cabinda foi reconhecida oficialmente como [[protetorado]] português;<ref name=ngonge2009/><ref>[http://ccp.home.sapo.pt/Cabinda_hoje.htm Cabinda hoje]</ref>
Em [[1883]] Cabinda já havia se formado como um importante povoado marítimo e comercial no [[Oceano Atlântico]] para a [[África Ocidental Portuguesa]], em uma calma baía, que passa por ser a melhor de toda aquela costa.
*[[28 de maio]] de [[1956]] - Cabinda foi elevada a categoria de cidade, através do despacho legislativo nº 2.757, proposto pelo então governador português do distrito do Congo, Jaime Pereira de Sampaio Forjaz de Serpa Pimentel.<ref name=gpcabinda/>
 
*Até [[1960]], prossegue o desenvolvimento da cidade, com a construção das principais rodovias que ligam a cidade ao interior da província (sul-norte), de vários edifícios públicos e bairros residenciais que formam a parte central da cidade.<ref name=historia/>
*[[1883]]Até -o Cabindafinal sedo formouséculo comoXIX uma pequeno povoado marítimo no [[Oceano Atlântico|Atlântico]], na costa de Luango, [[África Ocidental Portuguesa]], em uma calma baía,área que passaatualmente porequivale serao ainterior melhordo demunicípio todaera aquelaextremamente costa, local propício para o desenvolvimento da navegaçãopobre e do comércioinsalubre, efato cujaque possefazia foraagregar porcada algunsvez anosmais abandonadapopulação por [[Reino de Portugal|Portugal]], mas pudera há longo tempo reaver ona seufaixa direito.Porem o interior era muito doentio e até mortífero para os [[Europeus]]costeira. O surgimento do porto favoreceu o desenvolvimento urbanístico, o comércio relacionado com a atividade portuária e outros serviços auxiliares;.<ref name=historia>{{Citar web |url=http://www.gpcabinda.com/historia.cfm |título=Evolução Histórica |publicado=Governo da Província de ACabinda |acessodata=11-9-2010 |formato=PDF}}</ref><ref name=ngonge2009>{{Citar web |url=http://www.gpcabinda.com/André Lourenço Mangovo ngonge/ngonge_ed13.pdf |título=Desenvolvimento do Município de Cabinda |publicado=Governo da Província de Cabinda |acessodata=9-9-2010 |formato=PDF}}</ref><ref>Sousa Monteiro, "Dicc. geogr. das posses port."</ref><ref>"Resenha das Famílias Titulares e Grandes de Portugal", Albano da Silveira Pinto e Augusto Romano Sanches de Baena e Farinha de Almeida Portugal Silva e Sousa, 1.º Visconde de Sanches de Baena, Fernando Santos e Rodrigo Faria de Castro, 2.ª Edição, Braga, 1991, Volume I, p. 324</ref>
*De [[1960]] a [[1975]] ocorreu um grande aumento populacional na cidade: a zona urbanizada aumentou e surgiram áreas com habitações de baixo padrão. Neste período surge o contraste entre a zona urbana no centro e a área suburbana nos arredores da cidade.<ref name=historia/>
 
*De [[1975]] a [[1985]] prosseguiu o crescimento populacional com o aumento generalizado das áreas de construções de baixo padrão e a migração incontrolada. A cidade se estende assim aos bairros periféricos.<ref name=historia/>
*Em [[1 de fevereiro]] de [[1885]], -a sete quilômetros ao norte da cidade, onde hoje se encontra um monumento, foi assinado o [[Tratado de Simulambuco]], onde a região de Cabinda foi reconhecida oficialmente como [[protetorado]] português;.<ref name=ngonge2009/><ref>[http://ccp.home.sapo.pt/Cabinda_hoje.htm Cabinda hoje]</ref>
 
*Em [[28 de maio]] de [[1956]] - Cabinda foi elevada a categoria de cidade, através do despacho legislativo nº 2.757, proposto pelo então governador português do distrito do Congo, Jaime Pereira de Sampaio Forjaz de Serpa Pimentel.<ref name=gpcabinda/>
 
==Geografia==
O município tem 1823&nbsp;km², sendo que sua principal referência geográfica é a [[Baía de Cabinda]], que cobre quase toda a faixa litorânea da cidade.<ref name=geohive/> É limitado a Nortenorte pelo município do [[Cacongo (Angola)|Cacongo]], a Esteleste e Sulsul pela [[República Democrática do Congo]], e a Oesteoeste pelo [[Oceano Atlântico]]. A cidade encontra-se situada nas coordenadas 5° 33' Sulsul e 12° 12' Lesteleste, a 24 metros de altitude.<ref name=weatherbase/>
 
O município possui um meio geográfico caracterizado pela savana e matas tropicais secas.<ref name=consulado>{{Citar web |url=http://www.consuladodeangola.org/index.php?option=com_content&task=view&id=183&Itemid=168 |título=Cabinda |publicado=Consuldo Geral da República de Angola - Rio de Janeiro - Brasil |acessodata=7=7=2010}}</ref>
*Cabinda, a sede do município, com 88,6% da população do município;
*[[Malembo]] com 3,1%;
*[[TandoTanto-Zinze]] com 8,3%.
 
O município é também dividido 12 regedorias: Regedoria do Ntó, Cotra (a mais populosa com 74,8% da população do município), Liambo, Caio Litoral, Subantando, Chiadede, Malembo, Bumelambuto, Cácata, Tchinsuá, Zenze do Lucula e Fútila.<ref name=ngonge/>