Abrir menu principal

Alterações

m
Desfeita(s) uma ou mais edições de 79.18.134.95, com Reversão e avisos
 
== História ==
São vários os movimentos dentro do [[espectro ideológico|espectro político-ideológico]] que se apropriam do nacionalismo, ora, como elemento programático, ora como forma de [[propaganda]]. Nomeadamente, nos finais do século XIX, em [[Portugal]] contra o [[iberismo]]. Já durante o século XX, o nacionalismo permeou movimentos radicais como o [[fascismo|fascismo, o nazismo]], o [[nazismo|nacional-socialismo]] na [[Alemanha]], o [[saudosismo]] e o [[integralismo]] no [[Brasil]] e em Portugal, especialmente durante o ([[Estado Novo (Brasil)|Estado Novo]] no Brasil e [[Estado Novo (Portugal)|Estado Novo]] em Portugal).
 
O nacionalismo é uma ideologia que se pode dizer moderna com antecedentes antigos, com uma definição maior das [[fronteira]]s das [[nações]] em países: surgiu numa [[Europa]] pré-moderna e pós-medieval, a partir da superação da produção e [[consumo]] feudais pelo [[mercado]] [[capitalista]], com a submissão dos [[feudo]]s aos estados modernos (ainda [[absolutista]]s ou já [[liberalismo|liberais]]), com as [[Reforma Protestante|reformas religiosas protestantes]] e a [[contrarreforma]] [[católica]] – fatos históricos estes que permitiram, ou até mais, que produziram o surgimento de culturas diferenciadas por toda a Europa, culturas que, antes, eram conformadas, deformadas e formatadas pelo [[cristianismo]] católico, com o apoio da nobreza feudal.