Abrir menu principal

Alterações

Correção Gramaticais
A '''Segunda Guerra Mundial''' foi um [[guerra|conflito militar]] global que durou de 1939 a 1945, envolvendo a maioria das nações do mundo — incluindo todas as [[Grande potência|grandes potências]] — organizadas em duas alianças militares opostas: os [[Aliados da Segunda Guerra Mundial|Aliados]] e o [[Potências do Eixo|Eixo]]. Foi a guerra mais abrangente da história, com mais de 100 milhões de [[militar]]es mobilizados. Em estado de "[[guerra total]]", os principais envolvidos dedicaram toda sua capacidade econômica, industrial e científica a serviço dos [[Esforço de guerra|esforços de guerra]], deixando de lado a distinção entre recursos civis e militares. Marcado por um número significante de ataques contra civis, incluindo o [[Holocausto]] e a [[Bombardeamentos de Hiroshima e Nagasaki|única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate]], foi o conflito mais letal da [[História do mundo|história da humanidade]], resultando [[Mortos na Segunda Guerra Mundial|entre 50 a mais de 70 milhões de mortes]].<ref>{{citar livro|título=The Complete Illustrated History of World War Two: An Authoritative Account of the Deadliest Conflict in Human History with Analysis of Decisive Encounters and Landmark Engagements|primeiro =Donald |último =Sommerville|publicado=Lorenz Books|data=14 de dezembro de 2008|página=5|isbn=0754818985}}</ref>
 
Geralmente considera-se o ponto inicial da guerra como sendo a [[invasão da Polônia]] pela [[Alemanha Nazi]]sta em 1 de setembro de 1939 e subsequentes [[Declaração de guerra|declarações de guerra]] contra a Alemanha pela [[Terceira República Francesa|França]] e pela maioria dos países do [[Império Britânico]] e da ''[[Commonwealth]]''. Alguns países já estavam em guerra nesta época, como [[Etiópia]] e [[Reino de Itália (1861–1946)|Reino de Itália]] na [[Segunda Guerra Ítalo-Etíope]] e [[República da China (1912–1949)|China]] e [[Império do Japão|Japão]] na [[Segunda Guerra Sino-Japonesa]].<ref>{{Citar web|url=http://russianthought.com/starikov_when_did_world_war_ii_start.html|título=When Did WWII Start?|último=Nikolay|primeiro=Starikov|publicado=russianthought.com|acessodata=3 de fevereiro de 2010}}</ref> Muitos dos que não se envolveram inicialmente acabaram aderindo ao conflito em resposta a eventos como a [[Operação Barbarossa|invasão da União Soviética pelos alemães]] e os ataques japoneses contra as forças dos [[Estados Unidos]] no [[Guerra do Pacífico|Pacífico]] em [[Ataque a Pearl Harbor|Pearl Harbor]] e em [[colônia]]s ultramarítimasultra marítimas britânicas, que resultou em declarações de guerra contra o Japão pelos Estados Unidos, [[Países Baixos]] e o [[Commonwealth|Commonwealth Britânico]].<ref name="AUSTRALIA DECLARES WAR ON JAPAN">{{Citar web|url=http://www.ibiblio.org/pha/timeline/411209awp.html |título=Australia Declares War on Japan |publicado=ibiblio |acessodata=2009-10-03}}</ref><ref name="ibiblio">{{Citar web|url=http://www.ibiblio.org/pha/policy/1941/411208c.html |título=The Kingdom of The Netherlands Declares War with Japan |publicado=ibiblio |acessodata=3 de outubro de 2009|ano=2007}}</ref>
 
A guerra terminou com a vitória dos Aliados em 1945, alterando significativamente o alinhamento político e a estrutura social mundial. Enquanto a [[Organização das Nações Unidas]] ([[Organização das Nações Unidas|ONU]]) era estabelecida para estimular a cooperação global e evitar futuros conflitos, a [[União Soviética]] e os [[Estados Unidos]] emergiam como [[superpotência]]s rivais, preparando o terreno para uma [[Guerra Fria]] que se estenderia pelos próximos quarenta e seis anos (1945-1991). Nesse ínterim, a aceitação do princípio de [[autodeterminação]] acelerou movimentos de [[descolonização]] na [[Ásia]] e na [[África]], enquanto a [[Europa ocidental]] dava início a um movimento de recuperação econômica e [[História da União Europeia|integração política]].
 
== Cronologia ==
[[Imagem:Mussolini a Hitler - Berlín 1937.jpg|thumb|[[Benito Mussolini]] (à esquerda) e [[Adolf Hitler]] (à direita) caminhando em [[Berlim]], em 1937.]]
 
Adolf Hitler, depois de uma [[Putsch da Cervejaria|tentativa fracassada de derrubar o governo alemão]] em 1923, tornou-se o chanceler da Alemanha em 1933. Ele aboliu a [[democracia]], defendendo uma [[Nova Ordem (nazismo)|revisão radical e racista da ordem mundial]], e logo começou uma campanha de rearmamento massivo do país.<ref>{{harvnb|Brody|1999|p=4}}</ref> Enquanto isso, a França, para assegurar a sua aliança, permitiu que a Itália agisse livremente na [[Etiópia]], país que o governo italiano desejava como uma posse colonial. A situação se agravou no início de 1935, quando o [[Território da Bacia do Sarre]] foi legalmente anexado à Alemanha e [[Adolf Hitler|Hitler]] repudiou o [[Tratado de Versalhes (1919)|Tratado de Versalhes]], acelerando seu programa de rearmamento e [[Conscrição|recrutamento]].<ref>{{harvnb|Zalampas|1989|p=62}}</ref> Na Alemanha, o [[partido nazista]], liderado por [[Adolf Hitler]], procurou estabelecer um [[Estado]] [[Nazismo|nazista]] no país. Com o início da [[Grande Depressão]], o apoio doméstico aos nazistas fortaleceu-se e, em 1933, Hitler foi nomeado [[chanceler da Alemanha]]. Após o [[incêndio do Reichstag|incêndio no Palácio do Reichstag]], Hitler conseguiu criar um governo [[Unipartidarismo|unipartidário]] e [[Totalitarismo|totalitário]] liderado pelos nazistas.<ref>{{harvnb|Bullock|1962|p=265}}</ref>
 
Na [[República da China (1912–1949)|China]], o partido [[Kuomintang]] (KMT) lançou uma campanha de unificação contra os [[Chefe militar|líderes militares]] regionais (os chamados [[senhores da guerra da China]]) e o país unificou-se em meados de 1920, mas logo viu-se envolvido em uma [[Guerra Civil Chinesa|guerra civil]] contra seus antigos aliados [[Partido Comunista da China|comunistas]].<ref>{{harvnb|Preston|1998|p=104}}</ref> Em 1931, o [[Fascismo japonês|cada vez mais militarista]] [[Império Japonês]], começou a buscar influência na China<ref>{{harvnb|Myers|1987|p=458}}</ref> como sendo o primeiro passo visto pelo governo para obter o direito do país em governar a Ásia como afirmava o [[slogan político]] ''[[Hakkō ichiu]]'' ("todos sobre o mesmo teto"). Os japoneses usaram o [[incidente de Mukden]] como pretexto para lançar uma [[Invasão japonesa da Manchúria|invasão da Manchúria]] e estabelecer o [[Estado fantoche]] de [[Manchukuo]].<ref name=Mukden>{{harvnb|Smith|2004|p=28}}</ref>
{{Mais informações|Pacto nipônico-soviético}}
 
Em 29 de julho de 1938, os japoneses invadiram a [[União Soviética]] e foram combatidos na [[Batalha do Lago Khasan]]. Apesar da vitória soviética, os japoneses consideraram-na um empate inconclusivo e em 11 de maio de 1939 decidiram mudar a fronteira japonesa mongol até o rio Khalkhin Gol pela força. Após sucessos iniciais do ataque japonês à Mongólia, o [[Exército Vermelho]] infligiu a primeira derrota importante do [[Exército de Guangdong]].<ref>{{citar livro|último =Coox|primeiro =Alvin D.|título=Nomonhan: Japan Against Russia, 1939|publicado=[[Stanford University Press]]|ano=1990|página=189|isbn=0-8047-1835-0}}</ref><ref>{{citar periódico|primeiro =Amnon|último =Sella|título=Khalkhin-Gol: The Forgotten War|periódico=Journal of Contemporary History|volume=18|número=4|data=outubro de 1983|páginas=651–87}}</ref>
 
Estes confrontos convenceram algumas partes do governo japonês de que eles deveriam se concentrar em se conciliar com o governo soviético para evitar interferências na guerra contra a China e, ao invés de voltarem sua atenção militar para o sul, mudarem seu foco para os territórios dos [[Estados Unidos]] e da [[Europa]] no Pacífico, e também impediram a demissão de experientes líderes militares soviéticos, como [[Georgy Zhukov]], que mais tarde iria desempenhar um papel vital na defesa de Moscou<ref>{{citar livro|último =Chaney|primeiro =Otto Preston|título=Zhukov|publicado=University of Oklahoma Press|ano=1996|página=76|isbn=0-8061-2807-0}}</ref> (''ver: [[Batalha de Moscou]]'').
Em 1 de setembro de 1939, Alemanha e Eslováquia (que na época era um [[Estado fantoche]] alemão) [[Invasão da Polônia|atacaram a Polônia]].<ref>{{citar livro|último =Evans|primeiro =Richard J.|título=The Third Reich at War 1939–1945|ano=2008|publicado=Allen Lane|local=Londres|isbn=978-0-7139-9742-2|páginas=1–2}}</ref> Em 3 de setembro, França e Reino Unido, seguido totalmente por todos os seus [[Domínio (política)|domínios]]<ref>{{citar livro|último =Jackson|primeiro =Ashley|título=The British Empire and the Second World War|publicado=Continuum International Publishing Group|ano=2006|isbn=1-85285-417-0|página=58}}</ref> independentes da [[Commonwealth|Comunidade Britânica]]<ref>{{Harvnb|Weinberg|2005|pages=64–65}}</ref> — [[Austrália]], [[Canadá]], [[Nova Zelândia]] e [[África do Sul]] — declararam guerra à Alemanha, mas [[Guerra de Mentira|proveram pouco apoio]] à Polônia, exceto por um pequeno ataque francês no [[Sarre]].<ref>{{citar livro|último =Keegan|primeiro =John|título=The Second World War|ano=1997|publicado=Pimlico|local=Londres|isbn=0-7126-7348-2|página=35}}</ref> Reino Unido e França também iniciaram um bloqueio naval à Alemanha em 3 de setembro, que tinha como objetivo danificar a economia do país e seu [[esforço de guerra]].<ref>{{citar livro|último =Roskill|primeiro =S.W.|título=The War at Sea 1939–1945 Volume 1 : The Defensive|ano=1954|publicado=HMSO|local=Londres|página=64|url=http://www.ibiblio.org/hyperwar/UN/UK/UK-RN-I/index.html|series=History of the Second World War. United Kingdom Military Series}}</ref><ref>{{citar livro|último =Fritz|primeiro =Martin|editor=Dear, I.C.B; Foot, M.R.D.|título=The Oxford Companion to World War II|publicado=Oxford University Press|ano=2005|página=248|capítulo=Economic Warfare|isbn=978-0-19-280670-3}}</ref>
 
Em 17 de setembro, após a assinatura do [[Pacto nipônico-soviético]], os [[Invasão soviética da Polónia|soviéticos também invadiram a Polônia]].<ref>{{citar livro|último1 =Zaloga|primeiro1 =Steven J.|primeiro2 =Howard|último2 =Gerrard|título=Poland 1939: The Birth of Blitzkrieg|url=http://books.google.com/?id=oQeAKAjlEwMC|publicado=Osprey Publishing|local=Oxford|ano=2002|isbn=1-84176-408-6|página=83}}</ref> O território polonês foi então dividido entre a Alemanha e a [[Territórios polacos anexados pela União Soviética|União Soviética]], além da Lituânia e da Eslováquia também terem recebido pequenas partes (''ver: [[Ocupação da Polónia (1939-1945)|Ocupação da Polônia (1939-1945)]]''). Os poloneses não se renderam, estabeleceram o [[Estado Secreto Polaco]] e uma [[Armia Krajowa|sede subterrânea para o seu exército]], além de continuarem a lutar junto com os Aliados em todas as frentes de batalha fora de seu país.<ref>{{citar livro|último =Hempel|primeiro =Andrew|título=Poland in World War II: An Illustrated Military History|url=http://books.google.com/?id=9SmbqqQfp1gC|publicado=Hippocrene Books|local=Nova York|ano=2003|isbn=0-7818-1004-3|página=24}}</ref>
 
Cerca de {{formatnum:100000}} militares poloneses foram evacuados para a Romênia e [[países bálticos]], muitos destes soldados lutaram mais tarde contra os alemães em outras frentes da guerra.<ref>{{citar livro|último =Zaloga|primeiro =Stephen J.|título=Poland 1939 : The Birth of Blitzkrieg|ano=2004|publicado=Praeger|local=Londres|isbn=0-275-98278-5|páginas=88–89}}</ref> Decifradores poloneses de enigmas também foram evacuados para a França.<ref>{{citar livro|último =Budiansky|primeiro =Stephen|título=Battle of Wits: The Complete Story of Codebreaking in World War II|ano=2001|publicado=Penguin|local=Londres|isbn=0-14-028105-3|páginas=120–121}}</ref> Durante este tempo, o Japão lançou o seu primeiro ataque contra [[Changsha]], uma cidade chinesa importante e estratégica, mas as forças japonesas foram repelidas no final de setembro.<ref>{{Harvnb|Jowett|Andrew|2002|p=14}}</ref>
No final de setembro de 1940, o [[Pacto Tripartite]] unia o [[Império do Japão]], a [[Itália fascista]] e a [[Alemanha nazista]] para formalizar as [[Potências do Eixo]]. Esse pacto estipulou que qualquer país, com exceção da União Soviética, que atacasse qualquer uma das Potências do Eixo seria forçado a ir para a guerra contra os três em conjunto.<ref>{{citar livro|último1 =Bilhartz|primeiro1 =Terry D.|último2 =Elliott|primeiro2 =Alan C.|título=Currents in American History: A Brief History of the United States|página=179|publicado=M.E. Sharpe|ano=2007|isbn=978-0-7656-1821-4}}</ref> Durante este período, os Estados Unidos continuaram a apoiar o Reino Unido e a China, introduzindo a política de ''[[Lend-Lease]]'' que autorizava o fornecimento de material e outros itens aos Aliados<ref>{{Harvnb|Murray|Millett|2001|p=165}}</ref> e criava uma zona de segurança que abrangia cerca de metade do [[Oceano Atlântico]], onde a Marinha Americana protegia os comboios britânicos.<ref>{{citar livro|último =Knell|primeiro =Hermann|título=To Destroy a City: Strategic Bombing and Its Human Consequences in World War II|publicado=Da Capo|ano=2003|isbn=0-306-81169-3|página=205}}</ref> Como resultado, a Alemanha e os Estados Unidos viram-se envolvidos em uma sustentada guerra naval no Atlântico Norte e Central em outubro de 1941, apesar de os Estados Unidos terem se mantido oficialmente neutros.<ref>{{Harvnb|Murray|Millett|2001|pp=233–245}}</ref><ref>{{Citar web|url=http://history.sandiego.edu/gen/WW2Timeline/Prelude18.html|arquivourl=https://web.archive.org/web/20080509150056/http://history.sandiego.edu/gen/WW2Timeline/Prelude18.html|arquivodata=2008-05-09|título=Undeclared Naval War in the Atlantic 1941|publicado=Departamento de História da Universidade de San Diego|último=Schoenherr|primeiro=Steven|acessodata=15 de fevereiro de 2010|data=1 de outubro de 2005|urlmorta=yes}}</ref>
 
O Eixo expandiu-se em novembro de 1940, quando a [[Hungria]], a [[Eslováquia]] e a [[Romênia]] aderiram ao Pacto Tripartite.<ref name="Tripartite Pact">{{citar livro|título=Oxford Companion to World War II|editor-nome1 =I. C. B.|editor-sobrenome1 =Dear|editor-nome2 =M. R. D|editor-sobrenome2 =Foot|capítulo=Tripartite Pact|publicado=[[Oxford University Press]]|ano=2002|isbn=0-19-860446-7|página=877}}</ref> A Romênia faria uma grande contribuição para a guerra do Eixo contra a URSS, parcialmente ao recapturar o território cedido à URSS e em parte para prosseguir com o desejo de seu líder, [[Ion Antonescu]], de combater o [[comunismo]].<ref>{{citar livro|primeiro =Dennis|último =Deletant|capítulo=Romania|editor-nome1 =I. C. B.|editor-sobrenome1 =Dear|editor-nome2 =M. R. D|editor-sobrenome2 =Foot|ano=2002|título=Oxford Companion to World War II|páginas=745–46|isbn=0-19-860446-7}}</ref> Em outubro de 1940, a [[Guerra Greco-Italiana|Itália invadiu a Grécia]], mas em poucos dias foi repelida e foi forçada de volta para a [[Albânia]], onde um impasse logo ocorreu.<ref>{{citar livro|último =Clogg|primeiro =Richard|título=A Concise History of Greece|página=118|ano=1992|publicado=Cambridge University Press|isbn=0-521-80872-3}}</ref> Em dezembro de 1940, as forças britânicas da ''[[Commonwealth]]'' começaram contraofensivas contra as [[Operação Compasso|forças italianas no Egito]] e na [[África Oriental Italiana]].<ref>{{citar livro|último =Andrew|primeiro =Stephen|título=The Italian Army 1940–45 (2): Africa 1940–43|publicado=Osprey Publishing|ano=2001|isbn=1-85532-865-8|páginas=9–10}}</ref> No início de 1941, depois que as forças italianas terem sido afastadas de volta para a [[Líbia Italiana|Líbia]] pela ''Commonwealth'', Churchill ordenou uma expedição de tropas na África para reforçar os gregos.<ref>{{citar livro|último =Brown|primeiro =David|título=The Royal Navy and the Mediterranean|publicado=Routledge|ano=2002|isbn=0-7146-5205-9|páginas=64–65}}</ref> A [[Regia Marina|Marinha Italiana]] também sofreu derrotas significativas, quando a Marinha Real colocou três de seus navios de guerra fora de ação depois de um [[Batalha de Tarento|ataque em Tarento]] e quando vários outros de seus navios de guerra foram neutralizados na [[Batalha do Cabo Matapão]].<ref>{{citar livro|último =Jackson|primeiro =Ashley|título=The British Empire and the Second World War|publicado=Continuum International Publishing Group|ano=2006|isbn=1-85285-417-0|página=106}}</ref>
 
[[Imagem:Second world war europe animation small.gif|thumb|esquerda|300px|Conquistas alemãs e outras do Eixo (em azul) na [[Europa]], durante a Segunda Guerra Mundial.]]
[[Imagem:Nagasakibomb.jpg|esquerda|thumb|180px|[[Bombardeamentos de Hiroshima e Nagasaki|Explosão nuclear em Nagasaki]], [[Império do Japão]], 9 de agosto de 1945.]]
 
Em maio de 1945, tropas [[Austrália|australianas]] [[Campanha de Bórneu (1945)|aterraram em Bornéu]]. Forças britânicas, estadunidenses e chinesas derrotaram os japoneses no norte da [[Birmânia]] em março e os britânicos chegaram a [[Yangon]] em 3 de maio.<ref>{{citar livro|último =Drea|primeiro =Edward J|título=In the Service of the Emperor: Essays on the Imperial Japanese Army|publicado=University of Nebraska Press|ano=2003|isbn=0803266383|página=57}}</ref> Forças estadunidenses também chegam ao Japão, tomando [[Iwo Jima]] em março e [[Okinawa]] até o final de junho.<ref>{{Harvnb|Jowett|Andrew|2002|p=6}}</ref> Bombardeiros estadunidenses destroem as cidades japonesas e submarinos bloqueiam as importações do país.<ref name="results of german and american submarines">{{Citar web|último=Poirier|primeiro=Michel Thomas|título=Results of the German and American Submarine Campaigns of World War II|url=http://www.navy.mil/navydata/cno/n87/history/wwii-campaigns.html|publicado=U.S. Navy|data=20 de outubro de 1999|acessodata=13 de abril de 2008|arquivourl=https://web.archive.org/web/20080409052122/http://www.navy.mil/navydata/cno/n87/history/wwii-campaigns.html|arquivodata=2008-04-09|urlmorta=yes}}</ref>
 
Em 11 de julho, os líderes [[Aliados (Segunda Guerra Mundial)|Aliados]] se [[Conferência de Potsdam|reuniram em Potsdam, na Alemanha]]. Lá eles confirmam acordos anteriores sobre a Alemanha<ref>{{citar livro|último =Williams|primeiro =Andrew J|título=Liberalism and War: The Victors and the Vanquished|publicado=Routledge|ano=2006|isbn=0415359805|página=90}}</ref> e reiteram a exigência de rendição incondicional de todas as forças japonesas, especificamente afirmando que "a alternativa para o Japão é a rápida e total destruição."<ref>{{citar livro|último =Miscamble|primeiro =Wilson D|título=From Roosevelt to Truman: Potsdam, Hiroshima, and the Cold War|publicado=Cambridge University Press|ano=2007|isbn=0521862442|página=201}}</ref> Durante esta conferência, o [[Reino Unido]] realizou a sua eleição geral e [[Clement Attlee]] substitui [[Winston Churchill|Churchill]] como [[Primeiro-ministro do Reino Unido|primeiro-ministro]].<ref>{{citar livro|último =Miscamble|primeiro =Wilson D|título=From Roosevelt to Truman: Potsdam, Hiroshima, and the Cold War|publicado=Cambridge University Press|ano=2007|isbn=0521862442|páginas=203–4}}</ref>
789

edições