Abrir menu principal

Alterações

Sem alteração do tamanho, 2 julho
sem resumo de edição
[[Imagem:0492 - Pavia - S. Pietro - Tomba di Liutprando - Foto Giovanni Dall'Orto, Oct 17 2009.jpg|thumb|upright=1.1|Tumba de [[Liuprando (rei)|Liuprando]]<br><small>Basílica de São Pedro, em [[Pavia]]</small>]]
 
As disputas religiosas permaneceram sendo uma fonte de conflito nos anos seguintes. O reino lombardo começou a se recuperar apenas sob [[Liuprando (rei)|Liuprando]] (rei a partir de 712, filho de [[Ansprando]] e sucessor do brutal {{lknb|Ariberto|II}}. Liuprando conseguiu reconquistar um centro controle sobre Espoleto e Benevento, e, aproveitando-se das desavenças entre o papa e o [[Império Bizantino]] em relação à [[Iconoclasmo|reverência aos ícones]], anexou o [[Exarcado de Ravena]] e o ducado de [[Roma]]. Também ajudou o marechal franco, [[Carlos Martel]], a rechaçar os [[árabes]]. Seu sucessor, [[Astolfo]], conquistou Ravena para os lombardos pela primeira vez, porém foi derrotado subsequentemente pelo rei dos francos, {{lknb|Pepino|III}}, convocado pelo papa, e teve de abandoná-la. Com a morte de Astolfo, [[RachisRaquis]] tentou novamente ser rei da Lombardia, sendo deposto no mesmo ano.
 
Após a derrota de RachisRaquis, o último lombardo a governar como rei foi [[Desidério]], duque da Toscana, que conseguiu conquistar Ravena definitivamente, pondo um fim à presença bizantina no norte da Itália. Desidério decidiu reiniciar os conflitos com o papa, que estava apoiando os duques de [[Ducado de Espoleto|Espoleto]] e [[Ducado de Benevento|Benevento]] contra ele, e invadiu Roma em 772, o primeiro rei lombardo a fazê-lo. Quando o papa [[Papa Adriano I|Adriano I]] convocou a ajuda do poderoso rei [[Carlos Magno]], Desidério foi derrotado em [[Susa (Itália)|Susa]] e sitiado em [[Pavia]], enquanto seu filho [[Adalgis]] foi obrigado a abrir as portas de [[Verona]] para as tropas francas. Desidério se rendeu em 774, e Carlos Magno, numa decisão sem precedentes, adotou o título de "Rei dos Lombardos"; até então os reinos germânicos frequentemente conquistavam-se uns aos outros, porém nenhum conquistador havia adotado o título de rei de outro povo. Carlos Magno então separou parte do território lombardo e transformou-o nos [[Estados Papais]].
 
A região italiana da [[Lombardia]], que inclui as cidades de Bréscia, [[Bérgamo]], Milão e antiga capital, Pávia, é um lembrete da presença dos lombardos na região.