Diferenças entre edições de "Comércio"

1 byte adicionado ,  17h52min de 4 de julho de 2019
m
Foram revertidas as edições de 200.151.83.34 para a última revisão de Risto hot sir, de 23h02min de 27 de junho de 2019 (UTC)
(A palavra "protecionista" estava escrita de forma proteccionista.)
m (Foram revertidas as edições de 200.151.83.34 para a última revisão de Risto hot sir, de 23h02min de 27 de junho de 2019 (UTC))
Etiqueta: Reversão
A maioria dos [[Economia|economistas]] aceita a teoria de que o comércio beneficia ambos os parceiros, porque se um não fosse beneficiado ele não participaria da troca, e rejeitam a noção de que toda a troca tem implícita a exploração de uma das partes. O comércio, entre locais, existe principalmente porque há diferenças no custo de produção de um determinado produto comerciável em locais diferentes. Como tal, uma troca aos preços de [[mercado]] entre dois locais beneficia a ambos.
[[Ficheiro:Commerce-alimentation-generale-paris.jpg|thumb|esquerda|200px|Um estande de frutas em um mercado em [[Paris]], [[França]]]]
Sinais [[Empirismo|empíricos]] do sucesso do comércio podem surgir quando se compara países como a [[Coreia do Sul]] - que adota um sistema de comércio livre quase sem restrições - e a [[Índia]] - que segue uma política mais protecionistaproteccionista. Países como a Coreia do Sul tiveram um desempenho muito melhor (se medido por critérios [[economia|económicos]]) do que países como a Índia, ao longo dos últimos cinquenta anos.
 
O comércio mundial é regulamentado pela [[Organização Mundial do Comércio|Organização Mundial de Comércio]].