Diferenças entre edições de "Ciclo da borracha"

31 bytes removidos ,  14h16min de 6 de julho de 2019
Não há parcialidade, estes são fatos históricos devidamente confirmados.
m (Foram revertidas as edições de 2804:14D:CC82:4028:B0E2:436C:EA63:89E1 para a última revisão de Gustave London, de 18h00min de 30 de junho de 2019 (UTC))
Etiqueta: Reversão
(Não há parcialidade, estes são fatos históricos devidamente confirmados.)
{{Parcial|data=junho de 2019}}
{{Sem-notas|Brasil=sim|data=maio de 2009}}
O '''ciclo da borracha''' foi um momento da [[História econômica do Brasil|história econômica]] e social do [[Brasil]], relacionado com a [[extrativismo|extração]] de [[látex]] da [[seringueira]] e [[comercialização]] da [[borracha]]. Teve o seu centro na região [[Amazônia|amazônica]], e proporcionou expansão da colonização, atração de riqueza, transformações culturais, sociais, arquitetônicas, e grande impulso ao crescimento de [[Manaus]], [[Porto Velho]] e [[Belém (Pará)|Belém]], até hoje capitais e maiores centros de seus respectivos estados, [[Amazonas]], [[Rondônia]] e [[Pará]]. No mesmo período, foi criado o Território Federal do Acre, atual Estado do [[Acre]], cuja área foi adquirida da [[Bolívia]], por meio da compra no valor de 2 milhões de libras esterlinas, em 1903. O ciclo da borracha viveu seu auge entre [[1879]] e [[1912]], tendo depois experimentado uma sobrevida entre [[1942]] e [[1945]], durante a [[Segunda Guerra Mundial]] ([[1939]]-1945).
Utilizador anónimo