Abrir menu principal

Alterações

Criado ao traduzir a página "Pollination syndrome"
[[Ficheiro:BaltimoreDS.jpg|direita|miniaturadaimagem|300x300px| Baltimore ( ''Euphydryas phaeton'' ) nectaring na margarida ( ''[[Argyranthemum]]'' ) ]]
'''As síndromes de polinização''' são conjuntos de características [[Flor|florais]] que evoluíram em resposta à [[seleção natural]] imposta por diferentes [[Polinização|vetores de pólen]], que podem ser abióticos (vento e água) ou bióticos, como pássaros, abelhas, moscas e assim por diante. {{HarvRef|Faegri|Pijl|1980}} <ref>{{Citar livro|título=The natural history of pollination|ultimo=Proctor M|ultimo2=P. Yeo|ultimo3=A. Lack|isbn=978-0-88192-352-0|ultimoamp=yes}}</ref> Esse traço inclui a forma, o tamanho, a cor, o odor, o tipo e a quantidade de recompensas, a composição do néctar, o momento da floração etc. Por exemplo, as flores vermelhas tubulares com néctar copioso costumam atrair pássaros; as flores cheirando sujas atraem moscas do cadáver ou besouros, etc.

As síndromes de polinização "clássicas" como são atualmente definidas (ver abaixo) foram desenvolvidas no século XIX pelo botânico italiano Federico Delpino . Embora tenham sido úteis no desenvolvimento de nossa compreensão das interações planta-polinizador, a aceitação acrítica das síndromes de polinização como uma estrutura para classificar esses relacionamentos está bastante desatualizada. <ref name="Ollerton">{{Citar periódico|ultimo7=Hingston A. Peter|titulo=A global test of the pollination syndrome hypothesis|url=|jornal=Annals of Botany|volume=103|doi=10.1093/aob/mcp031|pmc=2701765|pmid=19218577}}</ref>

== Abiótico ==
Estes não atraem animais polinizadores. No entanto, eles geralmente possuem conjuntos de características compartilhadas.
[[Ficheiro:Plantago_media_(2005_07_07).jpg|direita|miniaturadaimagem|192x192px| ''Plantago media'', polinizada por vento ou insetos ]]

=== Polinização do vento (anemofilia) ===
As flores podem ser pequenas e discretas, bem como verdes e não vistosas. Eles produzem um número enorme de grãos de [[pólen]] relativamente pequenos (portanto, as plantas polinizadas pelo vento podem ser [[Alérgeno|alérgenos]], mas raramente são alergênicas a plantas polinizadas por animais). Seus estigmas podem ser grandes e leves para capturar os grãos de pólen. Insetos podem visitá-los para coletar pólen; em alguns casos, estes são polinizadores ineficazes e exercem pouca seleção natural sobre as flores, mas também há exemplos de flores ambófilas que são polinizadas pelo vento e por insetos. As flores anemófilas ou polinizadas pelo vento são geralmente pequenas e discretas e não possuem cheiro ou produzem néctar. As anteras podem produzir um grande número de grãos de pólen, enquanto os estames são geralmente longos e se projetam para fora da flor.

=== Polinização da água (hidrofilia) ===
As plantas polinizadas por água são [[Planta aquática|aquáticas]] e o pólen é liberado na água. As correntes de água, portanto, atuam como um vetor de pólen de maneira similar às correntes de vento. Suas flores tendem a ser pequenas e discretas, com muitos grãos de pólen e grandes estigmas de penas para capturar o pólen. No entanto, isso é relativamente incomum (apenas 2% da polinização é hidrofílica) e a maioria das plantas aquáticas é polinizada por insetos, com flores que emergem no ar. ''[[Vallisneria]]'' é um exemplo.

== Biótico ==
[[Ficheiro:Helianthus_annuus_exposed_2004-05-22.jpg|direita|miniaturadaimagem|200x200px| [[Helianthus|Girassol]] polinizado por borboletas e abelhas ]]

=== Polinização de abelhas (melitofilia) ===
As flores cobertas de [[abelha]] podem ser muito variáveis em tamanho, forma e coloração. Elas podem ser abertas e em forma de tigela (radialmente simétricas) ou mais complexas e não radialmente simétricas ("zigomórficas"), como é o caso de muitas [[Ervilha|ervilhas]] e [[Digitalis|foxgloves]] .

Algumas flores de abelha tendem a ser amarelas ou azuis, muitas vezes com guias de néctar ultravioleta e aroma. [[Néctar]], pólen ou ambos são oferecidos como recompensas em quantidades variadas. O açúcar no néctar tende a ser dominado por [[sacarose]] . Algumas abelhas coletam óleo de glândulas especiais na flor. <ref name="martins2014">{{Citar periódico|titulo=The corbiculate bees arose from New World oil-collecting bees: Implications for the origin of pollen baskets|url=|jornal=Molecular Phylogenetics and Evolution|volume=80|doi=10.1016/j.ympev.2014.07.003|pmid=25034728}}</ref>

Existem diversos tipos de abelhas (como [[Apis|abelhas]], [[Mamangaba|zangões]] e [[Euglossini|abelhas de orquídeas]] ), formando grandes grupos que são bastante distintos em tamanho, comprimento de [[língua]] e comportamento (alguns solitários, alguns coloniais); Assim, a generalização sobre as abelhas é difícil. <ref name="Fenster2004">{{Citar periódico|titulo=Pollination syndromes and floral specialization|jornal=Annual Review of Ecology and Systematics|volume=35|doi=10.1146/annurev.ecolsys.34.011802.132347}}</ref> Algumas plantas só podem ser polinizadas por abelhas porque suas [[Estame|anteras]] liberam pólen internamente e devem ser sacudidas pela [[Polinização vibratória|polinização]] por [[Polinização vibratória|vibração]] (também conhecida como "sonicação"). As abelhas são os únicos animais que realizam esse comportamento. Os zangões sonicam, mas as abelhas não.

=== Polinização de vespas ===
[[Vespa|As vespas]] também são responsáveis pela polinização de várias espécies de plantas, sendo importantes [[Polinização|vetores de pólen]] e, em alguns casos, até polinizadores mais eficientes que as abelhas. <ref>{{Citar periódico|titulo=Pollen vector wasps (Hymenoptera, Vespidae) of Schinus terebinthifolius Raddi (Anacardiaceae), Santa Cruz do Sul, RS, Brazil|url=http://www.ufrgs.br/seerbio/ojs/index.php/rbb/article/view/1123|jornal=Brazilian Journal of Biosciences|volume=7}}</ref>

=== Polinização de borboletas (psicofilia) ===
As flores cobertas de [[Borboleta|borboletas]] tendem a ser grandes e vistosas, cor-de-rosa ou lavanda, frequentemente têm uma área de pouso e são geralmente perfumadas. Como as borboletas não [[Digestão|digerem o]] pólen (com uma exceção), mais néctar é oferecido do que o pólen. As flores têm guias de néctar simples com os nectários geralmente escondidos em tubos estreitos ou esporas, alcançados pela língua longa das borboletas.
[[Ficheiro:Yucca_whipplei_flower.JPG|esquerda|miniaturadaimagem|150x150px| ''Hesperoyucca whipplei'' (polinizada por traça) ]]

=== Polinização de mariposa (phalaenofilia) ===
[[Ficheiro:Sphinx_moth_nectaring_on_Brazilian_vervain_(15_August_2005).jpg|direita|miniaturadaimagem|300x300px| [[Sphingidae|Mariposa de esfinge que]] voa durante o dia nectando a [[Verbena brasiliensis|verbena brasileira]] ]]
Entre os polinizadores de [[Mariposa|traça]] mais importantes estão as [[Sphingidae|mariposas de gavião]] ( [[Sphingidae]] ). Seu comportamento é semelhante aos [[Beija-flor|beija]] - [[Beija-flor|flores]] : eles pairam na frente de flores com rápidos batimentos de asas. A maioria é noturna ou [[crepuscular]] . Portanto, as flores polinizadas por traças tendem a ser brancas, abertas à noite, grandes e vistosas com [[Pétala|corolas]] tubulares e um aroma forte e doce produzido à noite, à noite ou de manhã cedo. Um monte de néctar é produzido para alimentar as altas [[Metabolismo basal|taxas metabólicas]] necessárias para alimentar seu vôo.

Outras mariposas ( [[Noctuidae|Noctuids]], [[Geometridae|Geometrids]], Pyralids, por exemplo) voam devagar e pousam na flor. Eles não exigem tanto néctar quanto as mariposas voando rapidamente, e as flores tendem a ser pequenas (embora possam ser agregadas em cabeças). <ref>{{Citar periódico|ultimoamp=yes|titulo=Moth pollination of woody species in the Cerrados of Central Brazil: a case of so much owed to so few?|jornal=Plant Systematics and Evolution|volume=245|doi=10.1007/s00606-003-0120-0}}</ref>

=== Polinização por moscas (miofilia e sapromyophily) ===
As moscas tendem a ser importantes polinizadores em sistemas de alta [[altitude]] e alta [[latitude]], onde são numerosos e outros grupos de insetos podem estar em falta. <ref>{{Citar periódico|ultimoamp=yes|titulo=Flies and flowers: taxonomic diversity of anthophiles and pollinators|jornal=Canadian Entomologist|volume=133|doi=10.4039/Ent133439-4}}</ref> Existem dois tipos principais de polinização por mosca: miofilia e sapromyophily.

A miofilia inclui moscas que se alimentam de néctar e pólen quando adultas - particularmente moscas-das-abelhas (Bombyliidae), [[Syrphidae|hoverfly]] (Syrphidae) e outras - e estas visitam regularmente flores. Em contraste, [[Mosca-das-frutas|as moscas-das-frutas]] (Tephritidae) são atraídas por atrativos florais específicos emitidos por algumas orquídeas selvagens que não produzem néctar. <ref>{{Citar periódico|ultimoamp=yes|titulo=Mutual reproductive benefits between a wild orchid, Bulbophyllum patens, and Bactrocera fruit flies via a floral synomone.|jornal=Journal of Chemical Ecology|volume=26|doi=10.1023/A:1005477926244}}</ref> <ref>{{Citar periódico|titulo=Floral phenylpropanoid cocktail and architecture of Bulbophyllum vinaceum orchid in attracting fruit flies for pollination.|jornal=Journal of Chemical Ecology|volume=32|doi=10.1007/s10886-006-9154-4|pmid=17082990}}</ref> produtos químicos emitidos pela orquídea atuam como o precursor ou impulsionador da feromona sexual da mosca. Plantas Myophilous tendem a não emitir um cheiro forte, são tipicamente roxo, violeta, azul e branco, e têm pratos abertos ou tubos. <ref>{{Citar periódico|ultimoamp=yes|titulo=Bee-flies (Bombylius spp., Bombyliidae, Diptera) and the pollination of flowers|jornal=Flora|volume=196|doi=10.1016/S0367-2530(17)30015-4}}</ref>

Sapromyophiles, por outro lado, normalmente visitam animais mortos ou [[Fezes|esterco]] . Eles são atraídos por flores que imitam o odor de tais objetos. A planta não lhes dá recompensa e eles saem rapidamente, a menos que tenha armadilhas para retardá-los. Essas plantas são muito menos comuns que as miofilizadas. <ref>{{Citar periódico|ultimoamp=yes|titulo=The uses of pollen and its implication for Entomology|jornal=Neotropical Entomology|volume=30|doi=10.1590/S1519-566X2001000300001}}</ref>

=== Polinização de aves (ornitofilia) ===
Polinização pássaro é feito principalmente por espécies de aves que se especializam em comer o néctar, incluindo [[Beija-flor|beija-flores]], [[Nectariniidae|sunbirds]], [[Papa-açúcar|sugarbirds]], [[Meliphagidae|honeyeaters]], [[dicaeidae]] e honeycreepers, a maioria dos quais com as contas muito estreitas bem adaptados para sondar flores. No entanto, muitas aves de bico mais curto também podem polinizar, incluindo [[Zosteropidae|olhos brancos]], [[Cambacica|bananaquits]], flowerpiercers, [[Loriini|lories e lorikeets]] <ref name="Lotz2006">{{Citar periódico|ultimoamp=yes|titulo=Sugar Preferences in Nectar- and Fruit-Eating Birds: Behavioral Patterns and Physiological Causes|jornal=Biotropica|volume=38|doi=10.1111/j.1744-7429.2006.00104.x}}</ref>, muitos dos quais têm dietas mais generalistas e também se alimentam de insetos, frutas e sementes (pássaros de bico curto podem também roube o néctar das flores longas, como sugerido pelo nome "flowerpiercer"). Beija-flores são o grupo mais antigo de aves especialista em néctar, com o maior grau de especialização em néctar. <ref name="Lotz2006" /> Flores polinizadas por nectarívoros especializados tendem a ser tubos grandes, vermelhos ou laranja com muito néctar diluído, secretados durante o dia. Como as aves não têm uma forte resposta ao cheiro, elas tendem a ser inodoras. As flores polinizadas por pássaros generalistas são freqüentemente mais curtas e largas. Os beija-flores são frequentemente associados a flores pendentes, enquanto que os passeriformes (pássaros empoleirados) precisam de uma plataforma de aterrissagem para que as flores e as estruturas vizinhas sejam frequentemente mais robustas.

=== Polinização de morcegos (quiropterofilia) ===
[[Morcego|Bat]] -pollinated flores tendem a ser grandes e vistosas, branco ou de cor clara, aberta durante a noite e têm fortes odores de mofo. Eles são geralmente grandes e em forma de [[sino]] ou uma bola de estames, mas também podem ter tubos longos que são acessados por morcegos de língua longa <ref>{{Citar web|url=https://news.nationalgeographic.com/news/2012/06/120611-bat-tongue-video-untamed-americas-science-longest/|titulo=Super-Tongue Bat Caught on Camera (With Video)|obra=National Geographic News}}</ref> . As flores são normalmente tiradas do tronco ou de outras obstruções. <ref>{{Citar periódico|titulo=The evolution of bat pollination: a phylogenetic perspective|jornal=Annals of Botany|volume=104|doi=10.1093/aob/mcp197|pmc=2766192|pmid=19789175}}</ref> morcegos bebem o néctar, e essas plantas normalmente oferecem néctar por longos períodos de tempo. A visão, o olfato e [[Ecolocalização|a localização do eco]] são usados para encontrar inicialmente as flores, e uma excelente memória espacial é usada para visitá-las repetidamente. <ref name="Von2003">{{Citar periódico|ultimoamp=yes|titulo=Echoes of bat-pollinated bell-shaped flowers: conspicuous for nectar-feeding bats?|url=http://jeb.biologists.org/cgi/content/abstract/206/6/1025|jornal=Journal of Experimental Biology|volume=206|doi=10.1242/jeb.00203|pmid=12582145}}</ref> De fato, os morcegos podem identificar flores produtoras de néctar usando a ecolocalização. <ref name="Von2003" /> No [[Novo Mundo]], as flores polinizadas por morcegos têm freqüentemente compostos com [[enxofre]], mas isso não acontece em outras partes do mundo. <ref>{{Citar periódico|ultimoamp=yes|titulo=Floral scent of bat-pollinated species: West Africa vs. the New World|jornal=Biological Journal of the Linnean Society|volume=82|doi=10.1111/j.1095-8312.2004.00317.x}}</ref> Plantas polinizadas por morcegos têm pólen maior que seus parentes. <ref>{{Citar periódico|titulo=Pollen morphological evolution in bat pollinated plants|jornal=Plant Systematics and Evolution|volume=222|doi=10.1007/BF00984104}}</ref>

=== Polinização do besouro (cantharophily) ===
[[Besouro|Beetle]] -pollinated flores são geralmente grandes, esverdeada ou off-white na cor e muito perfumada. Aromas podem ser picantes, frutados ou semelhantes ao material orgânico em decomposição. A maioria das flores polinizadas por besouros são achatadas ou em forma de prato, com pólen facilmente acessível, embora possam incluir armadilhas para manter o besouro por mais tempo. Os ovários da planta são geralmente bem protegidos das partes bucais de seus polinizadores. <ref name="Gullan2005">{{Citar livro|título=The Insects: An Outline of Entomology|ultimo=P.J. Gullan|ultimo2=P.S. Cranston|isbn=978-1-4051-1113-3|ultimoamp=yes}}</ref> besouros podem ser particularmente importantes em algumas partes do mundo, tais como áreas semi-áridas da [[África Austral|África]] [[Sul da Califórnia|Austral]] e do [[sul da Califórnia]] <ref>{{Citar periódico|titulo=The uses of pollen and its implication for Entomology|url=|jornal=Neotropical Entomology|volume=30|doi=10.1590/S1519-566X2001000300001}}</ref> e as pastagens de montanha de [[KwaZulu-Natal]] na [[África do Sul]] . <ref name="Ollerton_a">{{Citar periódico|titulo=The pollination ecology of an assemblage of grassland asclepiads in South Africa|jornal=Annals of Botany|volume=92|doi=10.1093/aob/mcg206|pmc=4243623|pmid=14612378}}</ref>

== Biologia ==
As síndromes de polinização refletem a [[Convergência evolutiva|evolução convergente em]] direção a formas ( [[Fenótipo|fenótipos]] ) que limitam o número de espécies de [[Polinizador|polinizadores que]] visitam a planta. <ref name="Fenster2004">{{Citar periódico|titulo=Pollination syndromes and floral specialization|jornal=Annual Review of Ecology and Systematics|volume=35|doi=10.1146/annurev.ecolsys.34.011802.132347}}</ref> Eles aumentam a especialização funcional da planta em relação à polinização, embora isso possa não afetar a especialização ecológica (ou seja, o número de espécies de polinizadores dentro desse grupo funcional). <ref name="OllertonKillick">{{Citar periódico|titulo=Multiple meanings and modes: on the many ways to be a generalist flower|url=|jornal=Taxon|volume=56|doi=10.2307/25065856|jstor=25065856}}</ref> São respostas a pressões de seleção comuns exercidas por polinizadores compartilhados ou vetores abióticos de pólen, que geram correlações entre características. Ou seja, se duas espécies de plantas distantemente relacionadas são polinizadas por traças noturnas, por exemplo, suas flores irão convergir em uma forma que é reconhecida pelas mariposas (por exemplo, cor pálida, aroma doce, néctar liberado na base de um tubo longo, floração noturna).

=== Vantagens da especialização ===

* Eficiência da polinização: as recompensas dadas aos polinizadores (comumente néctar ou pólen, ou ambos, mas às vezes óleo, <ref>{{Citar periódico|titulo=The ecology of oil flowers and their bees|jornal=Annual Review of Ecology and Systematics|volume=18|doi=10.1146/annurev.es.18.110187.002015}}</ref> aromas, resinas ou cera) podem ter um custo alto para produzir. O néctar pode ser barato, mas o pólen geralmente é caro, pois é relativamente alto em compostos de nitrogênio. As plantas evoluíram para obter a máxima transferência de pólen para a recompensa mínima entregue. Diferentes polinizadores, devido ao seu tamanho, forma ou comportamento, têm diferentes eficiências de transferência de pólen. E os traços florais afetam a eficiência da transferência: as flores [[Aquilegia|aquilégias]] foram alteradas experimentalmente e apresentadas aos hawkmoths, e a orientação, a forma e a cor das flores afetaram as taxas de visitação ou remoção de pólen. <ref>{{Citar periódico|ultimoamp=yes|titulo=Floral isolation between ''Aquilegia formosa'' and ''A. pubescens.''|jornal=Proceedings of the Royal Society B: Biological Sciences|volume=266|doi=10.1098/rspb.1999.0915|pmc=1690454}}</ref> <ref>{{Citar periódico|ultimoamp=yes|titulo=Genetics of floral traits influencing reproductive isolation between ''Aquilegia formosa'' and ''A. pubescens''|jornal=American Naturalist|volume=159|doi=10.1086/338372|pmid=18707369}}</ref>
* Constância do polinizador : para transferir eficientemente o pólen, é melhor para a planta se o polinizador se concentrar em uma espécie de planta, ignorando outras espécies. Caso contrário, o pólen pode ser descartado inutilmente nos estigmas de outras espécies. Os animais, claro, não pretendem polinizar, eles buscam coletar alimentos o mais rápido que podem. No entanto, muitas espécies de polinizadores exibem constância, passando por flores disponíveis para se concentrar em uma espécie de planta. Por que os animais devem se especializar em uma espécie de planta, em vez de se mudar para a próxima flor de qualquer espécie? Embora a constância dos polinizadores tenha sido reconhecida por [[Aristóteles]], os benefícios para os animais ainda não são totalmente compreendidos. <ref>{{Citar periódico|ultimoamp=yes|titulo=Flower constancy in bumblebees: a test of the trait variability hypothesis|jornal=Animal Behaviour|volume=69|doi=10.1016/j.anbehav.2004.06.029}}</ref> A hipótese mais comum é que os polinizadores devem aprender a lidar com determinados tipos de flores e têm capacidade limitada para aprender tipos diferentes. Eles só podem coletar recompensas de forma eficiente de um tipo de flor.

Estas abelhas visitam seletivamente flores de uma única espécie por um período de tempo, como pode ser visto pela cor do pólen em suas cestas: <gallery mode="packed" heights="180" style="font-size:100%; line-height:130%">
Ficheiro:Plumpollen0060.jpg|
Ficheiro:Bee PD foto explained1.jpg|
Ficheiro:Carnica bee on Hylotelephium 'Herbstfreude'.jpg|
</gallery>

=== Vantagens da generalização ===
Os polinizadores flutuam em abundância e atividade independentemente de suas plantas, <ref name="OllertonKillick">{{Citar periódico|titulo=Multiple meanings and modes: on the many ways to be a generalist flower|url=|jornal=Taxon|volume=56|doi=10.2307/25065856|jstor=25065856}}</ref> <ref>{{Citar periódico|titulo=Pollination by a guild of fluctuating moth populations: option for unspecialization in ''Silene vulgaris''|jornal=Journal of Ecology|volume=79|doi=10.2307/2260655|jstor=2260655}}</ref> e qualquer uma das espécies pode não polinizar uma planta em um determinado ano. Assim, uma planta pode estar em vantagem se atrair várias espécies ou tipos de polinizadores, garantindo a transferência de pólen a cada ano. <ref name="Waser1996">{{Citar periódico|titulo=Generalization in pollination systems, and why it matters|url=http://oldweb.northampton.ac.uk/aps/env/lbrg/journals/papers/Waser1996Generalization-Ecology.pdf|jornal=Ecology|volume=77|doi=10.2307/2265575|jstor=2265575}}</ref> Muitas espécies de plantas têm a opção de [[Autopolinização|auto-polinização]], se não forem auto-incompatíveis.

=== Críticas das síndromes ===
Embora seja claro que as síndromes são observadas na natureza, há debate entre cientistas sobre a frequência com que elas ocorrem e até que ponto podemos usa-las para classificar interações planta-polinizador. <ref>{{Citar periódico|titulo=Sunbird surprise for syndromes|url=|jornal=Nature|volume=394|doi=10.1038/29409}}</ref> Embora algumas espécies de plantas sejam visitadas apenas por um tipo de animal (isto é, são funcionalmente específicas), muitas espécies são visitadas por polinizadores diversos. <ref name="Waser1996">{{Citar periódico|titulo=Generalization in pollination systems, and why it matters|url=http://oldweb.northampton.ac.uk/aps/env/lbrg/journals/papers/Waser1996Generalization-Ecology.pdf|jornal=Ecology|volume=77|doi=10.2307/2265575|jstor=2265575}}</ref> <ref>{{Citar enciclopédia|titulo=Floral traits and adaptation to insect pollinators: a devil's advocate approach|editor-sobrenome=DG Lloyd|editor-sobrenome2=SCH Barrett}}</ref> Exemplos são flores específicas que são polinizadas por abelhas, borboletas e pássaros. A especialização estrita da depencia de uma única espécie de polinizador é relativamente rara, provavelmente porque pode resultar em sucesso reprodutivo variável ao longo dos anos, à medida que as populações de polinizadores variam significativamente. <ref name="Waser1996" /> Nesses casos, as plantas generalizam para uma ampla gama de polinizadores, e essa generalização é frequentemente encontrada na natureza. Um estudo na Tasmânia descobriu que as síndromes não previram os polinizadores. <ref>{{Citar periódico|ultimoamp=yes|titulo=Are pollination syndromes useful predictors of floral visitors in Tasmania?|jornal=Australian Journal of Ecology|volume=25|doi=10.1046/j.1442-9993.2000.01059.x}}</ref>

Este debate levou a uma reavaliação crítica das síndromes, o que sugere que, em média, cerca de um terço das plantas florescentes pode ser classificado nas síndromes clássicas. <ref name="Ollerton">{{Citar periódico|ultimo7=Hingston A. Peter|titulo=A global test of the pollination syndrome hypothesis|url=|jornal=Annals of Botany|volume=103|doi=10.1093/aob/mcp031|pmc=2701765|pmid=19218577}}</ref> Isso reflete o fato de que a natureza é muito menos previsível e direta do que pensavam originalmente os biólogos do século XIX. As síndromes de polinização podem ser consideradas como extremos de um continuum de maior ou menor especialização ou generalização em grupos funcionais específicos de polinizadores que exercem pressões seletivas semelhantes" <ref name="Fenster2004">{{Citar periódico|titulo=Pollination syndromes and floral specialization|jornal=Annual Review of Ecology and Systematics|volume=35|doi=10.1146/annurev.ecolsys.34.011802.132347}}</ref> e a frequência com que as flores se conformam às expectativas das síndromes de polinização é relativamente rara. Além disso, novos tipos de interação planta-polinizador, envolvendo animais polinizadores "incomuns" estão sendo regularmente descobertos, como a polinização especializada por vespas caçadoras de aranha (Pompilidae) e caçadoras de frutas (Cetoniidae) nos campos da África do Sul.<ref name="Ollerton_a">{{Citar periódico|titulo=The pollination ecology of an assemblage of grassland asclepiads in South Africa|jornal=Annals of Botany|volume=92|doi=10.1093/aob/mcg206|pmc=4243623|pmid=14612378}}</ref> Essas plantas não se encaixam nas síndromes clássicas, embora possam mostrar evidências de evolução convergente por si mesmas.

Uma análise de características de flores e visitação em 49 espécies no gênero de planta ''[[Penstemon]]'' descobriu que era possível separar espécies de pássaros e de polinização de abelhas muito bem, mas só usando traços florais que não eram considerados nos relatórios clássicos das síndromes, como como os detalhes da abertura das anteras.<ref>{{Citar periódico|titulo=A multivariate search for pollination syndromes among penstemons.|jornal=Oikos|volume=104|doi=10.1111/j.0030-1299.2004.12819.x}}</ref> Embora uma revisão recente tenha concluído que há "evidências esmagadoras de que os grupos funcionais exercem diferentes pressões de seleção sobre características florais", <ref name="Fenster2004">{{Citar periódico|titulo=Pollination syndromes and floral specialization|jornal=Annual Review of Ecology and Systematics|volume=35|doi=10.1146/annurev.ecolsys.34.011802.132347}}</ref> a complexidade e sutileza das interações planta-polinizador (e o crescente reconhecimento de que organismos não polinizadores como predadores de sementes pode afetar a evolução das características da flor) significa que este debate é provável que continue por algum tempo.

== Referências ==
{{Referências|30em}}
<nowiki>
[[Categoria:Biologia evolutiva]]
[[Categoria:Morfologia vegetal]]
[[Categoria:Flores]]
[[Categoria:Polinização]]
[[Categoria:!Páginas com traduções não revistas]]</nowiki>
270

edições