Abrir menu principal

Alterações

sem resumo de edição
|notas =
}}
'''Enrico Fermi''' ([[Roma]], 29 de setembro de 1901 — [[Chicago]], 28 de novembro de 1954) foi um [[físico]] italiano naturalizado [[estadunidense]]. Destacou-se pelo seu trabalho sobre o desenvolvimento do primeiro [[reator nuclear]], e pela sua contribuição ao desenvolvimento da teoria quântica, física nuclear e de partículas, e mecânica estatística. Doutorou-se na Universidade de [[Pisa]] e recebeu o [[Nobel de Física|Prémio Nobel de Física]] em 1938.
 
Foi um dos poucos físicos da era moderna a combinar a teoria com a experiência. Após alguns anos na [[Alemanha]], regressou à Universidade de Roma, onde, em 1926, dedicou-se à [[mecânica estatística]] de [[Partícula elementar|partículas]] que obedecem ao [[princípio de exclusão de Pauli]], como os [[Elétron|electrões]]. O resultado é a chamada [[estatística de Fermi-Dirac]], uma vez que [[Paul Dirac|Dirac]] chegou independentemente às mesmas conclusões. Em 1933 Fermi introduziu o conceito de [[interação fraca]], que em conjunto com o recém postulado [[neutrino]], entrariam na teoria do [[Emissão beta|decaimento beta]]. Juntamente com um grupo de colaboradores, Fermi começou uma série de experiências nas quais foram produzidos artificialmente [[Radioisótopo|núcleos radioativos]], pelo bombardeamento com [[Nêutron|neutrões]] de vários [[Elemento químico|elementos]]. Alguns dos seus resultados sugeriram a formação de [[Elemento transurânico|elementos transuranianos]]. De facto, o que eles observaram, e que mais tarde foi comprovado por [[Otto Hahn]], foi a [[fissão nuclear]], feito que, em 1938, lhe rendeu o Prêmio Nobel de Física. Foi então para os [[Estados Unidos]], onde viria a participar no [[projeto Manhattan]]. Dirigiu o projecto de construção do primeiro [[reator nuclear]] na [[Universidade de Chicago]]. Depois da [[Segunda Guerra Mundial]], Fermi dedicou-se à [[Física de partículas]], a que deu contribuições importantes. O elemento químico de [[número atômico]] 100, criado [[Elemento sintético|sinteticamente]] em 1952, recebeu o nome de [[Férmio]] em sua honra.
6 243

edições