Diferenças entre edições de "Terminologia soviética"

3 447 bytes adicionados ,  04h58min de 15 de julho de 2019
sem resumo de edição
m (Página proposta para eliminação semirrápida)
Etiqueta: Possível conteúdo ofensivo
{{ESR2|1=19 de julho|marcação=20190719|assunto=História e sociedade|2=Artigo sem [[WP:FF|fontes fiáveis]] e [[WP:FI|independentes]] que confirmem as afirmações do texto e atestem notoriedade. Ver [[WP:V|princípio da verificabilidade]] e [[WP:CDN|critérios de notoriedade]]. Páginas pessoais, fóruns, blogues e redes sociais (como Facebook, Twitter, etc.) não são fontes fiáveis. [[Usuário:Luan|Luan]] ([[Usuário Discussão:Luan|discussão]]) 18h01min de 14 de julho de 2019 (UTC)}}
{{Semmais-fontes|data=fevereiro de 2016}}
{{Comunismo}}
 
{{União Soviética}}
A '''terminologia soviética''' foi o conjunto de termos (na imensa maioria, [[neologismo]]s) criados durante o período da [[União Soviética]] e do regime político-econômico [[socialismo|socialista]] na [[Rússia]] e nas repúblicas constituintes, para indicar o estilo de vida soviético e as novas formas de organização da economia e da sociedade naquele país. <Ref>* [http://news.bbc.co.uk/hi/russian/talking_point/newsid_4291000/4291692.stm "Soviet Language"], [[BBC Russian Service]], October 11, 2005 {{ru icon}}</ref>
 
Parte dos neologismos derivou dos escritos teóricos de [[Lenin]], cujo pensamento inovador a respeito da organização político-econômica dos trabalhadores adaptou a [[marxismo|teoria marxista]] à prática, criando o [[leninismo]]. Outra parte significativa, porém, foi inventada durante a implantação do socialismo real, sob o [[estalinismo]] de [[Josif Stalin]].
 
A Terminologia Soviética fazia alto uso de siglas e palavras formadas por [[aglutinação]] (como ''[[Sovnarkom]]'', ''[[Gosplan]]'', ''[[Likbez]]'' e ''[[Kolkhoz]]'') bem como a invenção de conceitos (como ''[[Homo sovieticus]]'' e [[stakhanovismo]]) para dar conta das novas ideias. Este fato foi parodiado pelo escritor britânico [[George Orwell]] em seu romance ''[[1984 (livro)|1984]]'', quando o regime do "[[Grande Irmão]]" retratado cria todo um novo idioma (a [[novilíngua]]) baseado nesta nova terminologia.
 
O estilo da terminologia soviética também influenciou outros países socialistas, principalmente no [[Leste Europeu]] e no [[Extremo Oriente]] ([[China]], [[Coreia do Norte]], [[Mongólia]], [[Vietnã]], [[Laos]], [[Camboja]]), estivessem ou não sob a esfera de influência soviética. Na [[Iugoslávia]] do Marechal [[Josip Broz Tito]], por exemplo, uma terminologia própria utilizava o prefixo ''Iugo-'' (ou ''Jugo-''; literalmente, [[sul]] ou meridional) para designar várias instituições e aspectos nacionais.
 
Sob esta terminologia, acontecia ainda a adoção de símbolos comuns aos países socialistas, como a [[foice e martelo]] e a [[bandeira vermelha]]. Na [[literatura]] e nas [[arte]]s, a Terminologia Soviética está fortemente associada ao [[realismo socialista]].
{{Comunismo}}
 
Com a dissolução da URSS em [[1991]], a Terminologia Soviética caiu em desuso, e passou a ser associada principalmente à nostalgia socialista.
 
== Taxonomia ==
Parte dos neologismos derivou dos escritos teóricos de [[Lenin]], cujo pensamento inovador a respeito da organização político-econômica dos trabalhadores adaptou a [[marxismo|teoria marxista]] à prática, criando o [[leninismo]]. Outra parte significativa, porém, foi inventada durante a implantação do socialismo real, sob o [[estalinismo]] de [[Josif Stalin]].
 
Os seguintes tipos principais de moeda soviética podem ser reconhecidos:<ref name="Mokiyenko">V. M. Mokiyenko, T.G. Nikitina, "Vocabulary of the [[Sovdepiya]] Language", St. Petersburg, ''[[Folio-Press]],'' 1998, 704 pp. (В. М. Мокиенко, Т. Г. Никитина. [http://old.russ.ru/journal/kniga/98-06-19/kreidl.htm Толковый словарь языка Совдепии]. СПб.: Фолио-Пресс, 1998. - 704 с.) {{ru icon}}</ref>
* [[Mudança léxico-semântica]]: por exemplo, "jogar fora" adquiriu o significado coloquial de "colocar mercadorias à venda". Nas circunstâncias de [[Bens de consumo na União Soviética|escassez total de bens de consumo]], colocar alguns produtos nas prateleiras tinha um caráter de certa rapidez, capturado na expressão. "Ivan, pegue o seu ''[[avoska]]'', laranjas foram jogadas na esquina!" & mdash; não era que alguém descartasse laranjas; em vez disso, uma barraca improvisada foi montada na rua para vender laranjas.<ref name="Mokiyenko"/>
*A Terminologia Soviética fazia alto uso de siglas e palavras formadas por [[aglutinação]] (como ''[[Sovnarkom]]'', ''[[Gosplan]]'', ''[[Likbez]]'' e ''[[Kolkhoz]]'') bem como a invenção de conceitos (como ''[[Homo sovieticus]]'' e [[stakhanovismo]]) para dar conta das novas ideias. Este fato foi parodiado pelo escritor britânico [[George Orwell]] em seu romance ''[[1984 (livro)|1984]]'', quando o regime do "[[Grande Irmão]]" retratado cria todo um novo idioma (a [[novilíngua]]) baseado nesta nova terminologia.<ref name="Mokiyenko"/>
* Palavra coloquiais: [[khrushchovka]], [[psikhushka]].<ref name="Mokiyenko"/>
* Clichês estilísticos: "para sempre vivos" (sobre [[Vladimir Lenin]]), "[[intelligentsia]] laboral", para distinguir a "boa" intelligentsia da "má" intelligentsia do passado, etc.<ref name="Mokiyenko"/>
*Slogans políticos e ideológicos Os soviéticos viam todos os dias em todos os lugares. Muitas vezes eles eram explorados em piadas políticas russas. Por exemplo, a fórmula "[[CPSU|O Partido]] é Intelecto, Honra e Consciência da nossa Época" foi matematicamente transformada em "Intelecto é partido menos honra menos consciência da nossa época".<ref name="Mokiyenko"/>
* Bastantes termos pejorativos foram padronizados para numerosos [[inimigos do povo]] e outros sujeitos [[anti-soviéticos]: "tubarões do imperialismo", "[[cosmopolita sem raíz]]es", "[[Repressão da pesquisa científica na União Soviética|A prostituta do capitalismo]]" foi um [[epíteto]] para [[genética]].<ref name="Mokiyenko"/>
 
== Humor político soviético ==
Ben Lewis escreveu em seus ensaio<ref>[http://www.prospectmagazine.co.uk/magazine/communist-jokes/#.U4hGSyjwuSo "Hammer & tickle"], ''[[Prospect (magazine)|Prospect Magazine]]'', May 2006, essay by [[Ben Lewis (filmmaker)|Ben Lewis]] on jokes in Communist countries
</ref><!-- also at www.radiodaniel.com/clippings/jokes%20and%20communism.doc --> livro,<ref name=lewis-book>Ben Lewis (2008) "Hammer and Tickle", {{ISBN|0-297-85354-6}} ([http://www.economist.com/books/displayStory.cfm?source=hptextfeature&story_id=11662223 a review online])</ref> e filme<ref>{{IMDb title|870117|Hammer & Tickle}}</ref>, (todos intitulados ''[[Hammer & Tickle]]'') que "[[Comunismo]] era uma máquina produtora de humor. Suas teorias econômicas e sistema de repressão criavam situações inerentemente engraçadas. Havia piadas sob o [[fascismo]] e os [[nazistas]] também, mas esses sistemas não criaram uma realidade ridícula como o comunismo."
 
O povo soviético cunhou definições irreverentes para seus líderes. "Mineralny sekretar" era um apelido para o presidente [[Mikhail Gorbatchov]] (devido a sua campanha contra o álcool). "Kukuruznik" (de "kukuruza", milho) referido a [[Nikita Khrushchev]].
 
==Lista de termos==
Utilizador anónimo