Abrir menu principal

Alterações

Retirada de trechos imprecisos e repetições. A perspectiva pode desenhar objetos em quaisquer posições.
Método mecânico para a reprodução de um desenho em perspectiva exata. As cordas que partem dos olhos do espectador para o [[alaúde]] correspondem aos raios de [[luz]] refletidos por eles.]]
[[File:Perspectiva Pictorum et Architectorum 8.jpg|thumb|340px|Estudo de sombras em uma perspectiva com um ponto de fuga de Andrea del Pozzo (1693).]]
A '''perspectiva com um ponto de fuga''', também conhecida como '''''perspectiva renascentista''''' ou '''''perspectiva central''''', é o primeiro método de [[Perspectiva_(gráfica)#Perspectivas_exatas|perspectiva exata]], que se baseia em um [[ponto de fuga]], situado na [[linha do horizonte]], para o qual convergem as retas paralelas que, ao serem transformadas em diagonais no quadro, provocam a ilusão desugerem [[Percepção de profundidade|profundidade]].
 
Surgida no [[Renascimento]], através dos desenhos de [[Filippo Brunelleschi]], a perspectiva era um expediente [[Desenho geométrico|geométrico]] que produzia a [[ilusão]] da realidade, ao mostrar os objetos no espaço em suas posições e tamanhos corretos; a perspectiva capta os fatos visuais e os estabiliza, transformando o observador naquele para o qual o mundo todo converge. <ref>[[Robert Hughes (crítico)|Hughes, Robert]] - The Shock of the New, The Mechanical Paradise, 1987, BBC.</ref>
 
Durante os próximos cinco séculos, o sistema de perspectiva de Brunelleschi foi usado para criar a ilusão de profundidade em toda grande cultura da arte ocidental.
 
A interpretação de [[Dürer]] se baseia na definição moderna que entende a perspectiva como uma seção [[transversal]], feita pelo plano do quadro, na pirâmide visual (ou cone visual, que deu origem ao termo ''perspectiva cônica'').<ref>Witting, F. - Von Kunst und Christentum, Estrasburgo, 1903, vol. 8, '''p. 25-26'''.</ref>{{Ref label2|nota 1}}
 
O desenho de observação, à mão livre, não segue o mesmo rigor dos processos exatos e é feito de acordo com a percepção e a experiência individual do artista. O ponto de fuga poderá estar centralizado, deslocado para os lados ou, ainda, estar fora plano visível.<ref>Modesto, Edith Lopes. ''Olhos de Enxergar''. Capítulo 9. São Paulo: Ed. Plêiade.</ref>
 
A perspectiva com um ponto de fuga é usada quando o objeto é visto de frente, como a face frontal de um cubo ou a parede de um edifício, ou quando se olha diretamente para algo contínuo, como uma estrada. É um método de desenho popular entre arquitetos e ilustradores, especialmente quando se trata de interiores.
 
<br />
 
{{quote2|Ciência da representação de objetos e do espaço que os cerca e da maneira como esses são percebidos pelo olhar, a partir de um ponto de vista fixo.<ref name=Lessing>[[Gotthold Ephraim Lessing|Lessing, Gotthold Ephraim]] - Schriften, 1753-1755 (6 vols., rev. ed. 1771), Berlim.</ref>|Gotthold Ephraim Lessing}}
18 030

edições