Abrir menu principal

Alterações

Acréscimo de 1 referência e atualização para Mais fontes
{{sem-Mais fontes|sociedade=sim|data=dezembrojulho de 20092019}}
{{ver desambig|redir='''Danton'''|outros significados|Danton (desambiguação)}}
{{Info/Político
|nome = Danton
|nome_comp = Georges Jacques Danton
|imagem = Georges Danton.jpg
|título = [[Comitê de Salvação Pública|Membro do Comitê de Salvação Pública]]
|mandato = 6 de abril de 1793 — 10 de julho de 1793
|antecessor =
|sucessor =
 
|título2 = Ministro da Justiça
|mandato2 = 10 de agosto de 1792 — 9 de outubro de 1792
|antes2 = [[Étienne Dejoly]]
|depois2 = [[Dominique Joseph Garat]]
 
|título3 = Presidente da [[Convenção (Revolução Francesa)|Convenção Nacional]]
|mandato3 = 25 de julho de 1793 — 8 de agosto de 1793
|antes3 = [[Jeanbon Saint-André]]
|depois3 = [[Marie-Jean Hérault de Séchelles]]
 
|título4 = [[Convenção (Revolução Francesa)|Membro da Convenção Nacional]]
|mandato4 = 20 de setembro de 1792 — 5 de abril de 1794
|data_nascimento ={{dni|lang=br|26|10|1759|si}}
|local_nascimento = [[Arcis-sur-Aube]], [[Aube (departamento)|Aube]]<br />[[Reino da França]]
|data_morte = {{nowrap|{{morte|lang=br|5|4|1794|26|10|1759}}}}
|local_morte =[[Paris]], [[Primeira República Francesa|França]]
|cônjuge = Antoinette Gabrielle Charpentier <small>(c. 1787–93)</small><br />Louise Sébastienne Gély <small>(c. 1793–94)</small>
|prole = François <small>(1788–1789)</small><br />Antoine <small>(1790–1858)</small><br />François Georges <small>(1792–1848)</small>
|partido = [[Clube dos Cordeliers]] <small>(1790–1791)</small><br />[[Clube Jacobino]] <small>(1791–1794)</small>
|profissão = [[Advogado]], [[político]]
|nome_mãe = Mary Camus
|nome_pai = Jacques Danton
|nacionalidade = [[Franceses|Francês]]
|religião =
|assinatura = GeorgesDantonSignature.jpg
}}
'''Georges Jacques Danton''' ([[Arcis-sur-Aube]], [[26 de outubro]] de [[1759]], [[Arcis-sur-AubeParis]], [[5 de abril]] de [[1794]], [[Paris]]) foi um [[advogado]] e [[político]] [[França|francês]] que se tornou uma figura destacada nos estágios iniciais da [[Revolução Francesa]].
 
==História==
Georges Jacques Danton nasceu em uma família da pequena burguesia no dia 26 de outubro de 1759 em uma cidade chamada Arcis-sur-Aube, sendo extremamente inteligente e um pouco rebelde, filho do advogado Jacques Danton e da sua segunda esposa, Marie-Madeleine Camus.<ref>{{citar web|url=https://educacao.uol.com.br/biografias/georges-jacques-danton.htm|título=Georges-Jacques Danton|publicado=UOL|data=14 de julho de 2006|acessodata=24 de julho de 2019}}</ref> Após estudar no seminário de Troyes, decidiu seguir carreira jurídica como o pai. Porém, achava que a cidade era muito pequena para as suas pretensões, então decidiu ir para Paris. Lá, trabalhou com um advogado muito famoso que lhe dava comida e abrigo em troca de sua ajuda com os processos pela parte da manhã, enquanto à noite Danton estudava direito e nos tempos vagos praticava esportes e frequentava o café Parnasse, que era um ponto de encontro de jovens para discutir política e inovações sociais, onde Danton começou a chamar atenção dos jovens devido ao seu discurso. Consegue sua licenciatura em Direito em 1784 pela faculdade de Reim, a mais fácil de passar nos exames e começou a exercer a profissão, focando nas alianças e nos seus contatos jurídicos, o que foi muito bom para ele, já que, quando passou por problemas financeiros, conseguiu em 1787, através de seus contatos, ser nomeado advogado do rei, passando a obter clientes influentes.
 
Dois anos depois começou a participar, junto com [[Jean-Paul Marat]] e [[Camille Desmoulins]], em reuniões no distrito de Cordeliers, de onde saíram os líderes dos sans-culotte, a camada da população composta por artesãos, aprendizes e proletários.
 
Ao ler a acusação de Danton, o juiz afirma que ele teria participado em um esquema de especulação financeira na companhia das ilhas ocidentais, porém não haviam provas de que ele teria participado disso e nem qual o seu papel naquele esquema e dessa forma Danton contesta o juiz, acha isso injusto e profere seus protestos. As pessoas presentes compram a sua ideia, e começam a tumultuar a sessão. Dessa forma, o juiz suspende a sessão. No entanto, apesar de Danton ser extremamente eloquente e ter um discurso extremamente forte e convincente, é condenado à guilhotina. Foi guilhotinado em 5 de abril de 1794 em companhia de [[Camille Desmoulins]].
 
 
 
==Representações==
*''La Mort du Révolutionnaire'' : peça teatral de [[Patrick Lacombe]] ([[2006]])
*''OTTO, Pierre. Luís XVI - Danton - Revolucionários - Coleção: Grandes Julgamentos. Lisboa: Ed. Amigos do Livro, ([[1973]]).
 
{{Referências}}
{{Portal3|França|Política}}
{{Esboço-história}}