I Malavoglia: diferenças entre revisões

2 054 bytes adicionados ,  04h11min de 31 de julho de 2019
enredo
(Resgatando 1 fontes e marcando 0 como inativas. #IABot (v2.0beta14))
(enredo)
Etiquetas: Editor Visual Expressão problemática
 
O livro, traduzido para o português por Aurora Fornoni Bernardini e Homero Freitas de Andrade, foi publicado no Brasil em 2010 pela [[Editora Abril]], com o nome de ''Os Malavoglia, integrando a coleção Clássicos (volume 28).
 
== Enredo ==
Em um pequeno vilarejo na Sicília, próximo ao mar, vive uma família chamada os Malavoglia, sobrenome que quer dizer preguiçoso, mas de preguiça esta família nada tem.  O livro '''Os Malavoglia''' escrito por Giovanni Verga mostra o quanto esta família está em constante luta, tentando fazer frente as desgraças que acontecem a eles, sem nunca se deixar abater.
 
A família é composta pelo pratão ‘Ntoni, seu filho Bastiano, sua nora Longa, e seus neto ‘Ntoni, Luca, Mena, Alessi e Lia. Um dia quando o patrão ‘Ntoni sai para pescar no mar com seu filho Bastiano vem uma forte tempestade que faz com que ele perca a carga, seu filho morra e ainda causa grandes avarias no barco que é alugado. É a partir deste fato que começa a se desenrolar um enredo rocambolesco de desgraças na vida desta família, para pagar a carga perdida e o conserto do barco é preciso usar o dinheiro do dote da Mena, mas mesmo assim eles não conseguem pagar todo o valor de uma vez, e o cobrador fica com a casa que era da família.
 
Após isso Luca vai para a guerra e lá morre, enquanto na vila a sua família só faz para trabalhar para pagar a dívida, porém eles nunca conseguem pagar totalmente, neste meio tempo a Longa morre, o ‘Ntoni neto se torna alcoólatra e por ai vai, parecendo que sempre pode piorar a condição de vida desta família.
 
O livro é cheio de provérbios, e não tem grandes descrições, pelo contrário tudo o que é narrado ali é em forma de fofoca da vida de todos, assim o narrador dá voz a todas as fofocas da cidade narrando tudo o que ali acontece em forma de falatório da vida alheia, sem para isso usar os recursos normais para se escrever uma fala (dois pontos travessão, ou aspas).
 
Definitivamente a palavra de ordem do livro é exasperante, passa-se trezentas e quatro páginas e nada melhora na vida desta pobre família, o que faz com que a leitura seja pouco animadora e flua bem lenta, porém é uma história que vale a pena ser lida, pois emociona sem sentimentalismos e pieguice
 
== Ligações externas ==
Utilizador anónimo