Diferenças entre edições de "Francisco Maria II Pico della Mirandola"

Era filho de [[Francisco Maria I Pico della Mirandola|Francisco Maria I Pico]], que morre poucos meses após o nascimento do filho. Pouco depois foi abandonado também pela mãe, Ana Camila Borghese de [[Sulmona]], após um conflito com a família.<ref>Ghidoni, E. - ''Il crepuscolo pichiano, Cronaca della Mirandola di Giovan Francesco Piccinini (1682-1720)'', editor: Gruppo Studi Bassa Modenesse, Mirandola, 2010, pág.21, url=https://www.academia.edu/37588179/Cronaca_della_Mirandola_di_Giovan_Francesco_Piccinini_1682-1720_._La_fine_di_un_ducato_nelle_memorie_del_chirurgo_di_corte._ed._critica_curata_da_Gian_Luca_Tusini_MIRANDOLA_Gruppo_Studi_Bassa_Modenese_2010}}</ref>
 
Pela morte do seu avô, [[Alexandre II Pico della Mirandola|Alexandre II Pico]], ocorrida a [[2 de fevereiro]] de [[1691]], recebe os estados da família que governou sob tutela da tia, [[Brígida Pico]] (1633-1720). O seu governo iniciou-se em [[1706]] e sialiou-se schierò com aà [[França]] na [[Guerra da Sucessão de Espanha]]: [[Concordia sulla Secchia|Concordia]] foi devastada pela fome e devastada. Durante o assédio de Mirandola (1705), assinou em [[ModenaMódena]] um tratado com o [[rei de França]], sendo,que então,o nomeadonomeou lugar-tenente general sendo, então, colocada uma guarnição francesa em [[Mirandola]]. Como consequência, em 1706, em [[Viena]], foi declarado culpado por [[felonia]] pelo [[Sacro Império Romano-Germânico|Império Austríaco]] e expulso do ducado pelo príncipe [[Eugênio de Saboia]]. Em [[1708]] todos os bens da família Pico foram confiscados. Em [[1710]] o [[Ducado de Mirandola]] foi vendido ao duque de Módena [[Reinaldo III de Módena|Reinaldo III d'Este]] pela soma de 200.000 [[dobra]]s espanholas (equivalente a uma tonelada de ouro).
 
Francisco Maria encontrou refúgio em [[Espanha]] sob a proteção do rei [[Filipe V de Espanha|Filipe V]], o qual o nomeou ''Cavaleiro mayor'' em maio de [[1715]] e ''Mordomo môr do Rei de Espanha'' em [[1738]].
9 697

edições