Diferenças entre edições de "Sinagoga Beth-El"

Sem alteração do tamanho ,  23h18min de 31 de julho de 2019
(Resgatando 6 fontes e marcando 4 como inativas. #IABot (v2.0beta14))
Em maio de 2011, foi inaugurada a obra que converterá o espaço da sinagoga no [[Museu Judaico de São Paulo]], que será o primeiro museu da religião no estado de São Paulo,<ref>{{Citar web|url=http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff2803200515.htm|titulo=Folha de S.Paulo - Patrimônio: Sinagoga será transformada em museu - 28/03/2005|acessodata=2017-04-27|obra=www1.folha.uol.com.br}}</ref> com o principal objetivo de preservar e cultuar a memória judaica. Uma urna será implantada no jardim para abrigar diversos objetos, já contendo um acervo de aproximadamente 1.000 itens,<ref name=":1" /> entre eles peças que marcaram a Segunda Guerra Mundial e a vida dos judeus nos campos de concentração. Com a desvalorização da região do centro da cidade de São Paulo, o local acabou sendo prejudicado também, perdendo parte do público. Todavia, atualmente a sinagoga vive o oposto, e o investimento do projeto será de, em média, 26 milhões de reais. O projeto visa, como um dos pontos principais, divulgar e reforçar a história dos judeus e sua relação histórica com o Brasil, apresentando, através de documentos e objetos variados, a dificuldade enfrentada por tal grupo social durante o governo de [[Getúlio Vargas]].<ref name=":2">{{Citar periódico|titulo=SP: museu judaico terá utensílios de campo de concentração|jornal=Terra|url=https://noticias.terra.com.br/brasil/cidades/sp-museu-judaico-tera-utensilios-de-campo-de-concentracao,5e629d0ffdb2b410VgnVCM10000098cceb0aRCRD.html}}</ref><ref>{{Citar periódico|ultimo=Cytrynowicz|primeiro=Roney|titulo=Além do Estado e da ideologia: imigração judaica, Estado-Novo e Segunda Guerra Mundial|jornal=Revista Brasileira de História|volume=22|numero=44|paginas=393–423|issn=0102-0188|doi=10.1590/S0102-01882002000200007|url=http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0102-01882002000200007&lng=en&nrm=iso&tlng=pt}}</ref>
 
As peças exibidas terão valor simbólico, e não financeiro, contando com talheres decorados com suásticas, diários de guerra e cédulas de dinheiro que eram utilizadas nos campos de concentração. A entrega do novo local foi prevista para 2013, porém a obra continua em andamento atualmente, em 20172019,<ref name=":1" /> devido a dificuldade encontrada para fixar novos pilares numa região que apresenta um rio canalizado em seu subsolo.<ref name=":2" />
 
== Localização ==