Diferenças entre edições de "Céu Azul (1941)"

12 bytes removidos ,  02h33min de 14 de agosto de 2019
m
Remover predefinição Spoiler, conforme Wikipédia:Spoiler
m (Remover predefinição Spoiler, conforme Wikipédia:Spoiler)
 
==Sinope==
{{spoiler}}
A Companhia de Esquetches Musicados do Teatro 'Brasil' está em crise. Após o fracasso de estreia de uma nova peça, o empresário Artur Fernandes ([[Jaime Costa]]), apesar dos protestos de Nini del Mar ([[Heloísa Helena (atriz)|Heloísa Helena]]) - a estrela da companhia - resolve chamar Vitorino ([[Oscarito]]), que é o único autor que conhece o gosto do público e as capacidades artísticas da companhia, para escrever a próxima peça. Vitório, um desses boêmios que não moram em parte nenhuma, é encontrado num bar da Lapa pelo contrarregra, que lhe entrega a carta do empresário. No dia seguinte, Vitório e seu amigo Arlindo ([[Arnaldo Amaral]]) (que além de cantor é também um autor que precisa apenas de uma chance para se evidenciar) vão ao escritório do Teatro 'Brasil'. Encomendam a peça, que terá estréia dez dias depois. Vitorino promete parar de beber e trazer a peça pronta em cinco dias. O empresário começa a fazer a propaganda de Céu azul, a nova peça de Vitorino Brasil. Dias e dias passam-se. Nada de peça, nada de Vitorino. Desesperado, o empresário manda percorrer todos os bares da cidade, até que Vitorino seja encontrado. Estava ele bebendo no Alto da Boa Vista, gastando os últimos níqueis do vale adiantado pela peça. O empresário decide então trancar Vitorino no porão do teatro, obrigando-o a escrever. Enquanto Vitorino trabalha, Nini dá uma festa em sua casa, onde planeja impedir que a peça do Vitorino chegue a termo. Aproveitando que Vitorino dormia, vencido pelo cansaço, Nini infiltra-se no porão e deixa duas garrafas de champagne junto ao escritor. Acordado, depara-se, alegre e surpreso, com as garrafas. Esquece da peça e passa a beber, até que embriagado, encosta-se numa pilha de caixote de cenários, desabando sobre eles e levando-o para o hospital. Anunciada dali a três dias e com seu autor impossibilitado de acabar a peça, Arlindo se prontifica a terminar a revista.
 
13 984

edições