Abrir menu principal

Alterações

m
typo
Apesar destas deficiências, alguns revisores elogiaram o alcance da criação de Tolkien. ''The New York Times Book Review'' reconheceu que "o que é finalmente mais comovente é&nbsp;... o heroísmo da tentativa excêntrica de Tolkien".<ref name="NYTBR" /> ''TIME'' descreveu ''O Silmarillion'' como "majestoso, uma obra realizada por tanto tempo e tão poderosamente na imaginação do escritor que domina o leitor".<ref name="TIME" /> O ''The Horn Book Magazine'' ainda elogiou o "notável conjunto de lendas concebidas com poder imaginativo e contados na bela língua".<ref>Cosgrave, M. S. (Abril de 1978), ''The Horn Book Magazine'' '''54''': 196</ref> John Calvin Batchelor, revendo o livro para o ''[[The Village Voice]]'', elogiou o livro como uma "obra-prima difícil, mas incontestável da fantasia" e elogiou o caráter de Melkor, descrevendo-o como "um cara mau impressionante", cuja "principal arma contra a bondade é a sua capacidade de corromper os homens, oferecendo-lhes armadilhas para a sua vaidade".<ref>{{Citar livro |url=http://news.google.com/newspapers?id=ReUPAAAAIBAJ&sjid=94sDAAAAIBAJ&pg=6084,838093 |sobrenome=Batchelor |nome=John Calvin |coautor= |título=Tolkien Again: Lord Foul and Friends Infest a Morbid but Moneyed Land |subtítulo= |idioma= |edição= |local= |editora=The Village Voice |ano=1977 |página= |páginas= |isbn= |acessodata=04 de janeiro de 2014 }}</ref>
 
Robert M. Adams, do ''The New York Review of Books'' chamado ''O Silmarillion'' de "umsauma obra cansativa, vazia e pomposa", "não é um evento literário de qualquer magnitude", e chegou a afirmar que a principal razão para as suas "enormes vendas" foi o "culto a Tolkien" criado pela popularidade de ''O Hobbit'' e ''O Senhor dos Anéis'', prevendo que mais pessoas iriam comprar ''O Silmarillion'', mas que nunca iriam lê-lo.<ref name="NYRB" /><ref>Adams, Robert M. 'The Silmarillion and the Hobbit Habit.' ''New York Review of Books'', 24 de novembro. Quoted in Johnson ''J.R.R. Tolkien: six decades of criticism'' (1986), p. 162</ref> O ''[[School Library Journal]]'' chamou de "apenas um pós-escrito natimorto" para obras anteriores de Tolkien.<ref name="SLJ" /> Peter Conrad do ''[[New Statesman]]'' foi mais longe a ponto de dizer que "Tolkien não sabe realmente escrever".<ref>Conrad, Peter (23 September 1977), ''[[New Statesman]]'' '''94''': 408</ref>
 
== Influências da obra no mundo da música ==
3

edições