Diferenças entre edições de "Paços de Ferreira"

322 bytes adicionados ,  13h05min de 28 de agosto de 2019
Colocação de foto de referências sepulcrais do Mosteiro de S. Pedro Fins de Ferreira
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
(Colocação de foto de referências sepulcrais do Mosteiro de S. Pedro Fins de Ferreira)
==== Ferreira: o Termo, os coutos, os mosteiros, as dioceses, os forais e as comendas ====
[[Ficheiro:Em Ferreira, posses de Mumadona Dias, séc. X.jpg|alt=Posses e Igrejas constantes no livro de Mumadona, no território de Ferreira|esquerda|miniaturadaimagem|250x250px|Posses de Mumadona, século X, no território de Ferreira]]
[[Ficheiro:Do Mosteiro de S. Pedro Fins de Ferreira inscrição sepulcral Museu Martins Sarmento.jpg|alt=Mosteiro de S. Pedro Fins de Ferreira inscrição sepulcral, oferta ao Museu Martins Sarmento|miniaturadaimagem|'''Do Mosteiro de S. Pedro Fins de Ferreira inscrição sepulcral, oferta ao Museu Martins Sarmento''']]
 
No período da reconquista, foi restaurada a Diocese de Braga e a Chã de Ferreira ficou a pertencer-lhe. Há registos que afirmam que, no ano de 1111, o cavaleiro Soeiro Viegas é senhor do “Couto de Fins de Ferreira” e que aqui fundou um mosteiro. Inicia-se a construção do Mosteiro de Ferreira e logo se divide este território. A diocese do Porto pretende recuperar os antigos limites e entra em conflito, com a Diocese de Braga, pela posse do território de Ferreira. Os século XII e XIII foram de grandes conflitos religiosos; o que obrigou a intervenção papal. Na prática, a diocese Braga ficou com as paróquias do norte do atual concelho, com o seu Mosteiro de "Sam Fins de [http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/1737/4/21893_ulfl061171_tm_corpo_documental.pdf Ferreira"] e igreja de S. Pedro Fins de Ferreira. A diocese do Porto ficou com as paróquias a sul do atual concelho, com o seu Mosteiro de "S. Pedro de Ferreira" e [[igreja de São Pedro de Ferreira]]. O título nobiliárquico de “senhor do Couto de Fins de Ferreira” é referido ainda ao longo do século XII [http://www.decarne.com/gencar/dat216.htm I] e foi esta Igreja/Mosteiro que foi transformada em Comenda, cujo primeiro comendatário foi o humanista D. [[Miguel da Silva (cardeal)]].