Diferenças entre edições de "Encomienda"

9 bytes adicionados ,  19h11min de 5 de setembro de 2019
m
Desfeita(s) uma ou mais edições de 170.81.164.24, com Reversão e avisos
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de 170.81.164.24, com Reversão e avisos)
{{Multitag|mnot|rev|contx|p1=soc|data=junho de 2012}}
[[Imagem:Kingsborough.jpg|thumb|Códice Kingsborough: um ''encomendero'' abusa de um índio]]
A '''encomienda''', originalmente aplicada na região das Antilhas em 1503, com posterior projeção em outras porções da América espanhola, constando nos registros legislativos coloniais até o século XVIII, foi uma instituição jurídica imposta pela coroa com vistas a regular o recolhimento de tributos e circunscrever a exploração do trabalho indígena. Estabelecida a partir de um arranjo contratual, caracteriza-se pela submissão de um número variável de indígenas “pagadores de impostos” a um encomiendero, – inicialmente os mais notáveis soldados espanhóis nas guerras de conquista responsável por viabilizar sua incorporação aos moldes culturais, econômicos e sociais europeus. No âmbito da circunscrição territorial, a encomienda não é uma concessão de terras, mas uma concessão de recolhimento de tributos. Diferentemente do que ocorre com a [[escravidão]], não é perpétua nem transmitida hereditariamente, já que os nativos, ao menos juridicamente, foram tomados não por propriedade, mas por homens livres, embora seja possível uma aproximação entre ambas, dado que são expressões da forma de [[trabalho compulsório]].
 
== História ==
 
96 405

edições