Diferenças entre edições de "Max Horkheimer"

244 bytes adicionados ,  01h17min de 23 de setembro de 2019
fazendo uma intro referenciada
(Resgatando 1 fontes e marcando 0 como inativas. #IABot (v2.0beta14))
(fazendo uma intro referenciada)
|notas =
}}
'''Max Horkheimer''' ([[Estugarda]], {{dtlink|lang=br|14|2|1895}} — [[Nuremberga]], {{dtlink|lang=br|7|7|1973}}) foi um [[filósofo]] e [[sociólogo]] [[Alemanha|alemão]], famoso por seu trabalho em [[teoria crítica]] como membro da "[[Escola de Frankfurt]]" de pesquisa social. Em suas obras, Horkheimer abordou o [[autoritarismo]], o [[militarismo]], a ruptura econômica, a crise ambiental e a pobreza da [[cultura de massa]], usando a filosofia da história como estrutura. Isso se tornou o fundamento da teoria crítica. Seus trabalhos mais importantes incluem ''Eclipse da razão'' (1947), ''Entre filosofia e ciências sociais'' (1930-1938) e, em colaboração com [[Theodor Adorno]], ''Dialética do Esclarecimento'' (1947). Por meio da Escola de Frankfurt, a Horkheimer planejou, apoiou e possibilitou outros trabalhos significativos.<ref name="oxfordreference.com">"Horkheimer, Max". ''Dictionary of the Social Sciences''. Craig Calhoun, ed. Oxford University Press 2002. Oxford Reference Online. Oxford University Press. College of the Holy Cross. 14 October 2009 http://www.oxfordreference.com/views/ENTRY.html?subview=Main&entry=t104.e767</ref>
'''Max Horkheimer''' ([[Estugarda]], {{dtlink|lang=br|14|2|1895}} — [[Nuremberga]], {{dtlink|lang=br|7|7|1973}}) foi um [[filósofo]] e [[sociólogo]] [[Alemanha|alemão]].
 
A cidade de [[Frankfurt]] homenageou Max Horkheimer em 1953 com o ''distintivo Goethe'' e o nomeou, em 1960, cidadão honorário.<ref>{{Webarchiv|url=http://www.muk.uni-frankfurt.de/53983979/041 |wayback=20150219104433 |text=Uni Frankfurt |archiv-bot=2019-09-21 22:50:25 InternetArchiveBot }}</ref> Em 2014, a [[Universidade de Frankfurt]] nomeou uma rua em sua homenagem. O gabinete de Max Horkheimer, no Ebene Leben, no terceiro andar do Stadtbibliothek Stuttgart na Praça de Milão, também recebeu seu nome.<ref>[http://www1.stuttgart.de/stadtbibliothek/bvs/actions/profile/view.php?id=170 Stadtbibliothek Stuttgart]</ref>
Como grande parte dos intelectuais da [[Escola de Frankfurt]], era [[judeu]] de origem, filho de um industrial - Moses Horkheimer - e estava destinado a dar continuidade aos negócios paternos. Por intermédio de seu amigo [[Friedrich Pollock]], Horkheimer associou-se em [[1923]] à criação do [[Instituto para Pesquisa Social]], do qual foi diretor, em [[1931]] sucedendo ao historiador austríaco [[Carl Grünberg]].
 
Teve como importante fonte de inspiração o filósofo alemão [[Arthur Schopenhauer|Schopenhauer]] de quem tinha um retrato no escritório. Aproximou-se "obliquamente" do marxismo no final dos anos 1930, mas segundo testemunhos da época raramente citava os nomes de Marx ou de Lukács em discussões.<ref> WIGGERSHAUS, Rolf. ''A Escola de Frankfurt: história, desenvolvimento teórico, significação política''. [[Difel]], 2002, p.&nbsp;84</ref> Apenas com a emergência do [[nazismo]], Horkheimer se aproxima de fato de uma perspectiva crítica e revolucionária que o fará escrever, já diretor do [[Instituto para Pesquisas Sociais]], o [[ensaio]]-[[manifesto]], ''Teoria Tradicional e Teoria Crítica'' (1937).
 
Suas formulações, sobretudo aquelas acerca da [[razão Instrumental]], junto com as teorias de [[Theodor Adorno]] e [[Herbert Marcuse]], compõem o núcleo fundamental daquilo que se conhece como [[Escola de Frankfurt]].
 
== A sua filosofia ==
260

edições