Diferenças entre edições de "Pax Romana"

49 bytes adicionados ,  19h33min de 2 de outubro de 2019
m
Foram revertidas as edições de 186.225.182.33 para a última revisão de Douglasboavista, de 18h35min de 26 de junho de 2019 (UTC)
(Lusitânia e país Basco não eram os únicos focos de resistência existentes como o texto deixa parecer, houve resistências em todo o império em épocas distintas)
m (Foram revertidas as edições de 186.225.182.33 para a última revisão de Douglasboavista, de 18h35min de 26 de junho de 2019 (UTC))
Etiqueta: Reversão
 
Bem treinado e equipado, o [[exército romano]] era composto por um conjunto de legiões - cerca de 50 no tempo de [[Augusto]], que depois as reduz para metade -, cada qual com cerca de 6000 homens, que eram colocadas estrategicamente nas regiões onde mais se impunha a sua presença.
Assim, o império protegia e governava as províncias, permitindo que cada uma elaborasse e administrasse as suas leis e estatutos, à luz do [[direito romano]] e aprovadas pelo imperador, tendo em contrapartida de aceitar a fiscalidade romana e o seu controle militar. As províncias da [[Península Ibérica]], por exemplo, dependiam da [[VII Legião]], sediada em [[Leon]]{{esclarecer}}, extremamente ativa e reforçada em virtude dos vários focos de insubmissão existentes, noparticularmente Impériona em[[Lusitânia]] diversase épocasnas [[Vascongadas]] (atual [[País Basco]]).
 
A paz romana foi um dos pilares da civilização romana e da sua difusão e implantação no mundo antigo, responsável pela ordem, tranquilidade, cumprimento da lei e, acima de tudo, da obediência e culto ao imperador.