Diferenças entre edições de "Departamento de Ordem Política e Social"

m (Robô: Alteração da categoria redirecionada Anos de chumbo (Brasil) para Ditadura militar no Brasil (1964–1985))
 
== História ==
Noo passado, subordinados aos Governos Estaduais, os departamentos receberam outras denominações, dependendo da época e do local, como DEOPS (Departamento Estadual de Ordem Política e Social) e DOPS (Delegacia de Ordem Política e Social).
 
Em 1930, a Delegacia de Ordem Política e Social foi desmembrada em duas: a de Ordem Política e a de Ordem Social.&nbsp;Em 1938, sob a ditadura do Estado Novo, teve seu organograma alterado, passando a ser supervisionada pela [[Secretaria de Estado dos Negócios da Segurança Pública]]. Era constituído pelo Gabinete do Delegado, pelas delegacias de Ordem Política e Ordem Social, cada uma composta pelas seções de policiamento e investigações: o Cartório, a seção de Expediente – em que estavam vinculados os serviços de Protocolo e Arquivo Geral –, e, ainda, a seção de Contabilidade, o Corpo de Segurança, o Serviço Reservado (mais tarde chamado de Serviço Secreto), Prisões e Portaria. Além das duas primeiras delegacias, o DEOPS também contava com mais duas especializadas: a Delegacia de Fiscalização de Explosivos, Armas e Munições e a Delegacia de Fiscalização de Entrada, Permanência e Saída de Estrangeiros.<ref name=":0">'''Larissa Rosa Corrêa'''. Artigo publicado na edição nº 33 de outubro de 2008 em www.historica.arquivoestado.sp.gov.br</ref>