Diferenças entre edições de "Era do gelo"

4 bytes removidos ,  23h44min de 4 de outubro de 2019
sem resumo de edição
m (Foram revertidas as edições de 189.33.31.202 por fazer testes nos artigos (usando Huggle) (3.4.9))
Etiquetas: Huggle Reversão
|publicado=Emporia State University
|acessodata=2006-08-04
}}</ref> Entre 1825 e 1833, Charpentier juntou evidências que apoiavam o conceito. Em 1836, Charpentier, Venetz e [[Karl Friedrich Schimper]] convenceram [[Jean Louis Rodolphe Agassiz|Louis Agassiz]], e Agassiz publicou a hipótese no seu livro ''Étude sur les glaciers'' ("Estudo sobre os glaciares") de 1840.<ref>[http://fr.wikisource.org/w/index.php?title=%C3%89tudes_sur_les_glaciers&oldid=297457 Louis Agassiz: ''Études sur les glaciers'', Neuchâtel 1840. Livro digital no Wikisource] Acessado em 25 de Fevereiro de 2008.</ref> Segundo Macdougal (2004), Charpentier e Venetz não concordavam com as ideias de Agassiz que ampliou o trabalho deles afirmando que a maioria dos continentes tinham antes estado cobertos de gelo.
 
Neste momento inicial do conhecimento, o que estava a ser estudado eram os períodos glaciais das últimas centenas de milhares de anos, durante a era do gelo actual. A existência de eras do gelo antigas era ainda desconhecida.
Apesar das dificuldades, as análises de testemunhos de gelo e de sedimentos oceânicos, mostrou a existência de períodos glaciais e [[interglacial|interglaciais]] ao longo dos últimos milhões de anos. Estas análises confirmam ainda a ligação entre eras do gelo e fenómenos da [[crusta continental]] como morenas, ''drumlins'' e blocos erráticos. Assim, os fenómenos da crusta continental são aceites como boa evidência de eras do gelo anteriores quando são encontrados em camadas criadas muito antes do período de tempo do qual estão disponíveis testemunhos de gelo e de sedimentos oceânicos.
 
Durante os últimos milhões de anos houve várias eras glaciares, ocorrendo com frequências de {{Formatnum:40000}} a {{Formatnum:100000}} anos, entre as quais se destacam:
 
* [[Glaciação Donau]] - há cerca de 2 milhões de anos
* [[Glaciação Würm]] - há cerca de 150 mil anos
 
De fato, estaríamos em vésperas de uma nova era glacial, já que em média o planeta experimenta {{Fmtn|10000}} anos de era quente a cada {{Formatnum:90000}} anos de era de gelo.
 
Devido à ação humana (principalmente através de atividades industriais e do desmatamento florestal), o planeta tem experimentado no último século um período de aquecimento cada vez mais acelerado, quando, a esta altura, já deveria estar iniciando sua fase de esfriamento para entrar em uma nova era do gelo. Se por um lado esse [[aquecimento global]] evitaria uma nova glaciação e seus característicos contratempos; por outro está provocando grandes desastres ecológicos como furacões e tornados, secas e queda na diversidade biológica.
 
== Causas dos períodos glaciais ==
As causas dos períodos glaciais não são totalmente entendidas. Acredita-se que diversos fatores são importantes, entre eles: [[Atmosfera terrestre|a composição da atmosfera]]; mudanças na órbita da Terra em torno do [[Sol]] conhecidas como [[ciclos de Milankovitch]] (e possivelmente a órbita do Sol em torno da galáxia); o movimento das [[placas tectônicas]]; variações da atividade solar; e o vulcanismo.
 
== O homem na idade do gelo ==
O ancestral [[humano]] deste período é denominado homem de [[Cro-Magnon]], que convivia com espécies animais já [[extinção|extintas]], como os [[mamute]]s, os [[Lobo-pré-histórico|lobos-terríveis]], os [[Leão-das-cavernas|leões-das-cavernas]] e os [[Cervidae|cervo]]s gigantes, entre outros.
 
== Ver também ==