Diferenças entre edições de "Lueji A'Nkonde"

26 bytes adicionados ,  20h57min de 7 de outubro de 2019
 
Lueji, a princípio, mostrava-se uma monarca muito insegura, preferindo deliberar somente após longas consultas aos seus conselheiros. Com o passar do tempo, passou a depender menos dos conselhos da corte, tomando posição mais altiva.<ref>[https://www.geledes.org.br/o-reino-da-lunda/ O Reino da Lunda]. Gelédes. 28 de outubro de 2016.</ref>
 
Suas decisões mostravam-se muito acertadas no sentido de aumentar a produção de alimentos no reino, bem como de investir na fundição de metais, aumentando o comércio com o [[Reino do Congo]], com o [[Império Português]], com o [[Império Belga]] e com o [[Império colonial francês|Império Francês]]. Porém não deixou de lado o trafico de escravos.<ref name="António"/>
 
Certo dia um caçador da tribo Luba de nome Tchibinda Ilunga roubou o Tobe, uma carne seca preparada com ervas, que os trabalhadores do reino tinham armazenado. Ele foi encontrado no dia seguinte com a carne e com um produto real, o Tombe, um [[hidromel]] que somente poderia ser consumido pela corte.<ref name="António"/>