Diferenças entre edições de "Antônio Americano do Brasil"

364 bytes adicionados ,  20h28min de 8 de outubro de 2019
m
sem resumo de edição
(Resgatando 0 fontes e marcando 1 como inativas. #IABot (v2.0beta15))
m
{{Info/Biografia/Wikidata}}
 
'''Antônio Americano do Brasil''' ([[Silvânia]], [[28 de agosto]] de [[1892]] - [[Luziânia]], [[20 de abril]] de [[1932]]) foi um [[médico]], [[militar]], [[político]], [[folclorista]] e [[escritor]] [[brasil]]eiro do estado de [[Goiás]],. É Patronopatrono nas Academias [[Academia Goiana de Letras|Goiana]] e [[Academia Goianiense de Letras|Goianiense]] de Letras.
 
==Biografia==
Filho de Antônio Euzébio de Abreu Júnior (conhecido como Nico Eusébio) e de Elisa Maria de Souza Abreu.
 
Desde cedo, estudou nas escolas mantidas pelos seus pais em Silvânia (GO). Em [[1911]] ingressou, no [[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]], no curso de Medicina, formando-se em [[1917]]. Voltando para o estado natal, dá início à carreira política e atinge a patente de [[capitão]] do corpo médico do [[Exército do Brasil|Exército]].<ref name=AA>[{{Citar web|url=http://www.academiagoianiense.org.br/bioindex.php/patronos-titulares/biografiaantonio-americano.aspx Biografia]{{Ligação inativa-do-brasil|1titulo={{subst:DATA}}Antônio }},Americano sitedo daBrasil|website=Academia AGnL. MaioGoianiense de 2009Letras|data=2012-06-08|arquivourl=http://web.archive.org/web/20181220193022/http://academiagoianiense.org.br/index.php/patronos-titulares/antonio-americano-do-brasil|arquivodata=2018-12-20|urlmorta=sim}}</ref>
 
Foi Secretário de Interior e Justiça do governo do desembargador João Alves de Castro.
 
Por conta de envolvimentos amorosos, é assassinado em Luziânia, aos 41 anos, pelo agrônomo AldovandroAldovrando Gonçalves.<ref name=AA/>
 
==Bibliografia==
* ''Súmula de História de Goiás'': (1931) Trabalhou na adaptação da História de Goiás ao programa da Escola Normal que lhe foi mandado, nascendo a obra, oferecida ao Estado sem nenhuma remuneração, que foi editada em 1932, após a sua morte;
* ''Nos Rosais do Silêncio'': (1947) poemas;
* ''Romanceiro & trovas populares'': reunião de ''O romanceiro'' e ''Mil e uma trovas luzianas'', estudos folclóricos publicados anteriormente em revistas da década de 1920, precedidos por ensaio biográfico de [[Basileu Toledo França]];
* ''Romanceiro Trovas Populares'': (1979) edição crítica de Basileu Toledo França;
* ''Mil Trovas Luzianas'';
* ''Goiás – Província'';
* ''Pela História de Goiás'': (1980) A editora da UFG lança a obra com crônicas históricas de sua lavra, selecionadas pelo escritor [[Humberto Crispim Borges]].
 
{{referências}}
 
 
{{Portal3|Biografias|Política|Goiás}}
 
 
{{controlo de autoria}}
23 872

edições