Diferenças entre edições de "Tutancâmon"

1 byte removido ,  05h20min de 12 de outubro de 2019
{{col-break|width=60%}}
=== A "maldição" do faraó===
Por muitos anos, rumores de uma "[[Maldição do faraó]]" (provavelmente abastecido por jornais que procuram vendas no momento da descoberta)<ref>{{citar livro|último =Hankey |primeiro =Julie |título=A Passion for Egypt: Arthur Weigall, Tutankhamun and the 'Curse of the Pharaohs' |publicado=Tauris Parke Paperbacks |ano=2007 |páginas=3–5 |isbn=978-1-84511-435-0}} {{en}} </ref> persistiram, enfatizando a morte prematura de alguns dos que haviam entrado no túmulo. O mais proeminente foi [a morte de Carnarvon, que morreu em 5 de abril de 1923, apenas cinco meses após a descoberta do primeiro degrau que levou à tumba em 4 de novembro de 1922.<ref>{{citar periódico|último1 =Cox |primeiro1 =Ann |título=The death of Lord Carnarvon |periódico=[[The Lancet]] |data=7 de junho de 2003 |volume=361 |número=9373 |doi=10.1016/S0140-6736(03)13576-3 |url=https://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(03)13576-3/fulltext |acessodata= 7/12/2019}} {{en}} </ref>
 
Um estudo de documentos e fontes acadêmicas levou '' The Lancet '' a concluir que a morte de Carnarvon não tinha nada a ver com a tumba de Tutancâmon, independentemente de ser por causa de uma maldição ou exposição a fungos tóxicos (micotoxinas).<ref name="auto">{{citar web|título=The death of Lord Carnarvon|url=https://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(03)13576-3/fulltext}} {{en}} </ref> A causa da morte de Carnarvon foi a pneumonia que sobrevinha à erisipela [facial] (uma infecção estreptocócica da pele e tecido mole subjacente). A pneumonia foi considerada apenas uma das várias complicações, decorrentes da infecção progressivamente invasiva, que acabou resultando em falência de múltiplos órgãos".<ref>Cox, A. M. "[https://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(03)13576-3/fulltext?code=lancet-site The death of Lord Carnarvon]". ''The Lancet'', 7 de junho de 2003. [sic] {{en}} </ref> O conde era "propenso a infecções pulmonares freqüentes e graves" segundo o The Lancet e havia uma "crença geral ... de que um ataque agudo de bronquite poderia tê-lo matado. Em um estado tão debilitado, o sistema imunológico do conde era facilmente oprimido pela erisipela".<ref name="auto"/>