Sistema de posicionamento global: diferenças entre revisões

m
sem resumo de edição
m (Protegeu "Sistema de posicionamento global": Vandalismo excessivo (progressivo) ([Editar=Permitir apenas utilizadores autoconfirmados] (expira a 23h15min de 15 de abril de 2020 (UTC)) [Mover=Permitir apenas utilizadores autoconfirmados] (expira a 23h15min de 15 de abril de 2020 (UTC))))
m
[[Imagem:Navstar.jpg|direita|thumb|Mais de 50 satélites como este [[NAVSTAR]] já foram lançados desde 1979.]]
[[Imagem:GPS roof antenna dsc06160.jpg|thumb|Antena de telhado para GPS]]
O '''sistema de posicionamento global''', mais conhecido pela sigla '''GPS''' (em [[Língua inglesa|inglês]] ''global positioning system''), é um [[sistema de navegação por satélite]] que fornece a um aparelho receptor móvel a sua posição, assim como o horário, sob quaisquer condições atmosféricas, a qualquer momento e em qualquer lugar na Terra; desde que o receptor se encontre no campo de visão de três satélites GPS (quatro ou mais para precisão maior). Encontram-se em funcionamento dois desses sistemas: o GPS americano e o [[GLONASS]] (versão russa do GPS). Existem também dois outros sistemas em implementação: o [[Galileo]] da [[União Europeia]] e o [[Compass]] [[China|chinês]]. O sistema americano é administrado pelo Governo dos [[Estados Unidos]] e operado pelo [[Departamento de Defesa dos Estados Unidos|Departamento de Defesa americano]]. A princípio, o seu uso era exclusivamente militar, estando mais recentemente disponível para uso civil gratuito. No entanto, acredita-se que, em um contexto de guerra, sua função civil seria revogada para que o dispositivo volte a ser um artfícioartifício militar. O que comprometeria a funcionalidade do GPS para o cotidiano de pessoas comuns, pois o sistema de posicionamento global, além de ser utilizado na aviação geral e comercial e na navegação marítima, também é utilizado por diversas pessoas para deslocamento nos bairros e cidades e, principalmente, para viagens.
 
Inclusive, com um [[sistema de navegação por satélite]] integrando um GPS, é possível encontrar o caminho para um determinado local e saber a velocidade e direção do seu deslocamento. Atualmente, o sistema está sendo muito utilizado em automóveis com um sistema de mapas. Existem diversos tipos de GPS, de diversas marcas com  soluções "tudo em um", como os externos que são ligados por cabo ou ainda por bluetooth e celulares modernos ([[Smartphone|smartphones]]), que possuem o GPS integrado e acessível através de seus próprios aplicativos.
O receptor não precisa ter um [[relógio]] de alta precisão, mas um suficientemente estável. O receptor capta os sinais de quatro satélites para determinar as suas próprias coordenadas e ainda o tempo. Então, o receptor calcula a diferença entre as distâncias dos quatro satélites pelo intervalo de tempo entre o instante local e o instante em que os sinais foram enviados (esta distância é chamada pseudodistância). Descodificando as localizações dos satélites a partir dos sinais de [[Micro-onda|micro-ondas]] de uma base de dados interna.
 
As diferenças entre os tempos de chegada dos sinais ao receptor são a base para a medição de posição. Cada diferença de tempo entre dois satélites corresponde a um [[hiperbolóide]] de revolução. A linha que une esses dois satélites forma o eixo do hiperbolóide, e o receptor está localizado no ponto onde três hiperbolóides se interceptam.<ref>http://www.saspinski.com/filosofia/gps.pdf</ref> Por isso são necessários 4 satélites.
 
Algumas vezes é dito incorretamente que a localização do usuário é a intercessão de três esferas. Esse seria o caso se o receptor tivesse um relógio sincronizado com os satélites, e medisse as distâncias reais a cada um, em vez da diferença de distâncias. Nesse caso haveria um complicador adicional: os intervalos de tempo não são os mesmos para um relógio em terra e um satélite em órbita pela [[teoria geral da relatividade]]. Esse desvio teria que ser levado em conta nos aparelhos.
[[Imagem:KyotoTaxiRide.jpg|thumb|Exemplo de um receptor GPS com mapas, instalado em um carro.]]
 
A comunidade científica utiliza o sistema de posicionamento global pelo seu [[relógio]] altamente preciso, já que durante experiências científicas de coleta de dados, pode-se registrar com precisão de microsegundosmicrossegundos (0,000001 [[segundo]]) quando a amostra foi obtida. Naturalmente, a localização do ponto onde a amostra foi recolhida também pode ser importante. Agrimensores diminuem custos e obtêm levantamentos precisos mais rapidamente com o GPS. Unidades específicas têm custo aproximado de 3.000 [[dólar]]es e precisão de 1 [[metro]], mas existem receptores mais caros com precisão de 1 centímetro. A coleta de dados por estes receptores é mais lenta.
 
Guardas florestais, trabalhos de prospecção e exploração de recursos naturais, geólogos, arqueólogos, bombeiros, são enormemente beneficiados pela tecnologia do sistema. O GPS tem-se tornado cada vez mais popular entre [[ciclismo|ciclistas]], [[balão|balonistas]], [[pesca]]dores, ecoturistas, ''[[Geocaching|geocachers]]'', voo livre ou por aventureiros que queiram apenas orientação durante as suas viagens. Com a popularização do GPS, um novo conceito surgiu na agricultura: a agricultura de precisão. Uma máquina agrícola dotada de [[receptor GPS]] armazena dados relativos à produtividade em um dispositivo de memória que, tratados por programa específico, produz um mapa de produtividade da lavoura. As informações permitem também optimizar a aplicação de correctivos e fertilizantes. A função de geolocalização desse sistema é a base de aplicativos de relacionamento como o [[Tinder]] e jogos de realidade aumentada como [[Ingress]] e [[Pokémon GO]].
591

edições