Abrir menu principal

Alterações

=== Rock in Rio I (1985) ===
{{Anexo|Rock in Rio (1985)}}
 
[[Imagem:Queenland 198501.jpg|thumb|direita|[[Queen]] Rock in Rio (1985).]]
* [[Queen]]: EstrelasAs estrelas máximas do evento, todos os integrantes do Queen concordam em qualificar aquela apresentação como uma das cinco mais emocionantes do grupo, e [[Freddie Mercury]] qualificava a execução da canção "[[Love of My Life]]" como a melhor jamais feita pela banda. Na época, o grupo inglês estava na turnê do disco ''[[The Works]]''.
* [[Barão Vermelho (banda)|Barão Vermelho]]: No show do dia 15, o quinteto carioca foi o único grupo brasileiro que não foi vaiado e conseguiu arrancar aplausos dos fãs de heavy metal interessados nos shows de [[AC/DC]] e [[Scorpions]]. No mesmo dia, ocorria em Brasília, no [[Colégio eleitoral|Colégio Eleitoral]], a eleição presidencial indireta que escolheu [[Tancredo Neves]] como novo presidente, dando um grande passo na redemocratização do país. O palco e a plateia contavam com várias bandeiras do Brasil. O então guitarrista e atual vocalista Frejat subiu ao palco usando uma calça verde e uma camisa amarela, e a banda fechou o show tocando "Pro Dia Nascer Feliz", com o coro uníssono da plateia no refrão. No show do dia 20, o Barão tocou uma canção inédita feita por Cazuza em parceria com Lobão, intitulada "Mal Nenhum", que seria gravada pelo próprio Cazuza em carreira solo, e também a música "Um Dia na Vida" (Cazuza/Maurício Barros) que ainda era inédita e foi gravada no 4º LP do Barão (em 1986, porém, sem Cazuza, e é por isso que a versão dela no "Rock in Rio" já é mais rara, ao contrário de sua versão no LP [[Declare Guerra]], com o vocal de [[Roberto Frejat]]). O show do dia 15 lançado no LP e CD '[[Barão Vermelho ao Vivo]]'' em 1992, sendo posteriormente relançado como CD e DVD em 2007, com o título ''Rock in Rio 1985''. O grupo promovia o seu terceiro disco, ''[[Maior Abandonado]]''.
* [[AC/DC]]: O grupo australiano exigiu como condição para poder tocar no festival: usar um sino de meia tonelada, tocado pelo vocalista Brian Johnson na canção "[[Hells Bells]]". O aparato veio de navio, porém, era muito pesado para a estrutura do palco, obrigando um dos cenógrafos do festival a fazer, secreta e apressadamente, um sino de gesso para a ocasião. A banda interrompeu as gravações do disco ''[[Fly on the Wall]]'', que seria lançado meses depois, para tocar no festival, como parte da turnê do disco ''[[Flick of the Switch]]'' (1983). O encerramento do show foi marcado pelo disparo de dois canhões, um de cada lado do alto do palco, em "For those about to rock".
* [[Os Paralamas do Sucesso]]: O trio carioca de rock brasileiro foi considerado a grande revelação do festival promovendo o seu segundo disco, [[O Passo do Lui]]. Convidados de última hora, não puderam convidar banda de apoio ou construir cenário - a decoração era apenas um vaso com uma [[palmeira]]. Durante o show, criticaram a plateia que vaiou as outras bandas brasileiras e homenagearam a ausência de bandas paulistas no evento executando "Inútil", do [[Ultraje a Rigor]]. O show do dia 16 foi lançado em DVD em 2007 com o título ''[[Rock in Rio 1985 (Paralamas do Sucesso)|Rock in Rio 1985]]''.
* [[Iron Maiden]]: Os integrantes da banda consideram sua aparição no evento uma das experiências mais marcantes de suas carreiras. Parte da turnê World Slavery Tour 84/85, do disco ''[[Powerslave]]'' (1984), tocou para 350 mil pessoas. A banda foi a única estrangeira a fazer um único show, ao invés de dois.
* [[Barão Vermelho (banda)|Barão Vermelho]]: No show do dia 15, o quinteto carioca foi o único grupo brasileiro que não foi vaiado e conseguiu arrancar aplausos dos fãs de heavy metal interessados nos shows de [[AC/DC]] e [[Scorpions]]. No mesmo dia, ocorria em Brasília, no [[Colégio eleitoral|Colégio Eleitoral]], a eleição presidencial indireta que escolheu [[Tancredo Neves]] como novo presidente, dando um grande passo na redemocratização do país. O palco e a plateia contavam com várias bandeiras do Brasil. O então guitarrista e atual vocalista Frejat subiu ao palco usando uma calça verde e uma camisa amarela, e a banda fechou o show tocando "Pro Dia Nascer Feliz", com o coro uníssono da plateia no refrão. No show do dia 20, o Barão tocou uma canção inédita feita por Cazuza em parceria com Lobão, intitulada "Mal Nenhum", que seria gravada pelo próprio Cazuza em carreira solo, e também a música "Um Dia na Vida" (Cazuza/Maurício Barros) que ainda era inédita e foi gravada no 4º LP do Barão (em 1986, porém, sem Cazuza, e é por isso que a versão dela no "Rock in Rio" já é mais rara, ao contrário de sua versão no LP [[Declare Guerra]], com o vocal de [[Roberto Frejat]]). O show do dia 15 lançado no LP e CD '[[Barão Vermelho ao Vivo]]'' em 1992, sendo posteriormente relançado como CD e DVD em 2007, com o título ''Rock in Rio 1985''. O grupo promovia o seu terceiro disco, ''[[Maior Abandonado]]''.
* [[James Taylor]]: O cantor enfrentava dependência de drogas e o divórcio da também cantora [[Carly Simon]]. Taylor declarou que pensava em abandonar a carreira logo após o Rock in Rio I, do qual participaria apenas por compromisso contratual. O cantor declarou-se, porém, comovido com a inesperada recepção do público, e ali decidiu que retomaria as rédeas de sua carreira. Em homenagem ao ocorrido, Taylor compôs a balada "Only a Dream in Rio" (Apenas um sonho no Rio), na qual declama versos como "''I was there that very day and my heart came back alive''" ("Eu estava lá naquele dia e meu coração voltou à vida"). A canção foi lançada em seu disco seguinte, ''[[That's Why I'm Here]]'', lançado em outubro do mesmo ano.
* [[Ivan Lins]]: Para o cantor, o festival representou o ápice da sua carreira. Ele quase perdeu a voz durante sua apresentação no evento e pediu o apoio da plateia na performance de suas canções. Na época do festival, Ivan Lins era fumante e numa entrevista recente, ele disse que suspeitou que a quase perda da sua voz no evento teria sido causado pelo cigarro e, por isso, ele parou de fumar.
* [[Ozzy Osbourne]]: Ozzy veio promover seu disco de 1983, ''[[Bark at the Moon]]''. No que foi qualificado como "falha de organização", sua apresentação foi marcada logo antes da de [[Rod Stewart]]. Ao assistir dos bastidores a passagem de som do cantor escocês, Osbourne disse haver pensado que seria vaiado e expulso do palco, pois seu estilo era diametralmente oposto ao do ex-vocalista do [[The Faces]], e não acreditava que fãs do primeiro pudessem apreciar sua música. O contrato de Ozzy incluía uma cláusula proibindo-o de comer qualquer tipo de animal vivo no palco, em referência ao famoso episódio em que Osbourne decapitou um morcego a dentadas em um show de 1982; um fã atirou uma galinha no palco, e Ozzy a deu para seus [[roadie]]s. Ozzy também se apresentou usando uma camisa do [[Clube de Regatas Flamengo|Flamengo]] (presente dado por um fã) - o momento chegou a virar capa de revista no Brasil. Outro momento marcante do show foi o solo de bateria sem baquetas de [[Tommy Aldridge]].
* [[Pepeu Gomes]]: Mesmo encontrando uma plateia hostil com a maior parte dos artistas brasileiros, Pepeu foi ovacionado e reconsagrado. Pepeu considera o Rock in Rio como um dos maiores momentos de sua carreira, pois abriu novas portas para uma carreira no exterior. Após o show Pepeu foi cumprimentado por John Sykes, guitarrista do Whitesnake.
[[Imagem:Queenland 198501.jpg|thumb|direita|[[Queen]] Rock in Rio (1985).]]
* [[Queen]]: Estrelas máximas do evento, todos os integrantes do Queen concordam em qualificar aquela apresentação como uma das cinco mais emocionantes do grupo, e [[Freddie Mercury]] qualificava a execução da canção "[[Love of My Life]]" como a melhor jamais feita pela banda. Na época, o grupo inglês estava na turnê do disco ''[[The Works]]''.
* [[Rod Stewart]]: Com sua característica voz rouca, Rod fez a plateia cantar com ele.
* [[Scorpions]]: Os alemães vieram promover a turnê do disco ''[[Love at First Sting]]''. No show do dia 15, o vocalista Klaus Meine pegou uma grande bandeira do [[Brasil]] e a tremulou. No show do dia 19, o guitarrista Matthias Jabs usou uma guitarra parecida com a que está no logotipo do festival e com pequenas bandeiras do Brasil estampadas nela. A banda filmou a visita ao Rio e algumas imagens foram editadas no videoclipe da versão ao vivo de "Still Loving You" (que na época era parte da trilha sonora da telnovela ''[[Corpo a Corpo]]''), lançada no disco ''[[World Wide Live]]'', seis meses depois do show.
Utilizador anónimo