Diferenças entre edições de "Rosa-cruz"

1 byte removido ,  19h14min de 31 de outubro de 2019
sem resumo de edição
[[Imagem:Rosy Cross of the Golden Dawn.png|220px|thumb|'''Rosacruz da Ordem Hermética da Aurora Dourada''']]
 
'''Rosa-cruz''' é um [[movimento cultural|movimento]] filosófico que se popularizou na Europa no início do {{séc|XVII}} após a publicação de vários textostexto que pretendiam anunciar a existência de uma ordem [[Esoterismo|esotérica]] até então desconhecida para o mundo.<ref>”Yates, Frances A 1972”. ''The Rosicrucian Enlightenment'', Londres</ref> Rosacruz é um nome atribuído com base no lendário personagem [[Christian Rosenkreuz|Christian Rosenkreutz]], que é o ponto de partida para várias organizações rosacruzes. A misteriosa doutrina da ordem é supostamente "construída sobre verdades esotéricas do passado antigo", que "oculta ao homem comum, fornece uma visão da natureza, do universo físico e do domínio espiritual".<ref>Lindgren, Carl Edwin, {{citation|url=http://users.panola.com/lindgren/rosecross.html|título=O caminho da Rosa-cruz; Uma percepção histórica, 1614-1620|ano=1995|número=3|volume=18|pp=141-48 | fechaacceso= 2019-05-19|jornal=Jornal de Religião e Pesquisa Psíquica|wayb=20121108052032}}</ref> Seus manifestos não falavam extensivamente sobre o assunto, mas mencionavam a [[Kabbalah]], o [[Hermetismo]] e o [[Cristianismo]]. O movimento era então tido em conta como um "Colégio de Invisíveis" nos [[plano de existência|mundos internos]], formado por grandes adeptos, com o intuito de prestar auxílio à evolução [[espiritual]] da humanidade. Alguns [[metafísico]]s consideram que o rosacrucianismo pode ser compreendido, de um ponto de vista mais amplo, como parte, ou mesmo como fonte, do [[hermetismo]] [[cristão]], patente no período dos tratados ocidentais de [[alquimia]] que se segue à publicação da ''[[Divina Comédia]]'' de [[Dante]]. Alguns historiadores, no entanto, sugerem a sua origem num grupo de [[protestantes]] [[alemães]], entre os anos de 1607 e 1616, quando três manifestos anônimos foram elaborados e lançados na Europa: ''[[Fama Fraternitatis]] R.C.'', ''[[Confessio Fraternitatis]]'' e ''[[Núpcias Alquímicas de Christian Rozenkreuz]]''. A influência desses textos foi tão grande que a historiadora Frances Yates denominou este período do {{séc|XVII}} de ''Iluminismo Rosacruz''. O Rosicrucianismo apareceu pela primeira vez no {{séc|XVII}} como um movimento de reforma em [[Tubinga]] dentro do [[protestantismo]] alemão.
 
Os manifestos foram publicados num momento em que o domínio científico e tecnológico da natureza levou a um distanciamento entre ciência e a cultura cristã. O principal objetivo e meta dos três escritos era contrariar esta tendência, por meio de uma contínua reforma da ciência, ética e religião. Sua auto-imagem é baseada em uma difusão livre de preconceito e uso do conhecimento de outras culturas ainda não difundidos. Nesta época ainda não havia grupos de rosacruzes organizados. Somente após 140 anos da publicação dos manifestos, a primeira organização Rosacruz foi fundada como ordem [[Maçonaria|paramaçônica]], em 1760, a Ordem Dourada dos Rosacruzes, como um pólo oposto às forças racionais e modernistas. Viriam mais tarde a ser perseguidos na Prússia sob os auspício do reinado de Guilherme II. Após o fim da Ordem Dourada, o rosacrucianismo manteve-se vivo graças à [[Societas Rosicruciana in Anglia]] (S. R. i. A.), de 1865. Além disso, grupos [[Teosofia|teosóficos]] e [[Hermetismo|herméticos]], formados no fim do século XIX, também referidos como "novos rosacrucianistas", ajudaram na difusão do rosacrucianismo.
Utilizador anónimo