Diferenças entre edições de "Eva Braun"

2 bytes removidos ,  02h09min de 8 de novembro de 2019
m
Foram revertidas as edições de 200.236.248.147 para a última revisão de MateusFell, de 18h23min de 27 de outubro de 2019 (UTC)
m (Foram revertidas as edições de 200.236.248.147 para a última revisão de MateusFell, de 18h23min de 27 de outubro de 2019 (UTC))
Etiqueta: Reversão
Depois das 13hs do dia [[30 de abril]] de [[1945]], Hitler e Eva deram adeus aos membros da comitiva e aos ministros. Por volta de 15:30, várias pessoas ouviram um estampido de um tiro dentro do esconderijo.<ref name=Lambert/> Minutos depois, o assistente de Hitler, Heinz Linge, e seu chefe administrativo, [[Otto Günsche]], entraram na pequena sala e encontraram os corpos de Hitler e de Eva em um pequeno sofá. Eva tinha mordido uma cápsula de [[cianeto]] e Hitler atirou contra a própria têmpora com sua arma.<ref name=Lambert/><ref name=Galileu/> Os corpos foram levados para o lado de fora, pela saída de emergência do esconderijo, até o jardim dos fundos da [[Chancelaria do Reich]], onde foram queimados. Eva Braun tinha apenas 33 anos de idade.<ref name=Galileu/>
 
Os restos carbonizados foram encontrados pelos soviéticos. Em [[11 de maio]], o dentista de Hitler, [[Hugo Blaschke]] e seus assistentes confirmaram que os restos pertenciam de fato a Eva e Hitler.<ref name=Kershaw/> Os soviéticos, secretamente, levaram os restos para a sede da [[SMERSH]], em [[Magdeburg]], junto dos corpos de [[Joseph Goebbels|Joseph]] e sua esposa, [[Magda Goebbels]], além de seus seis filhos. Em 4 de abril de 1970, uma equipe da [[KGB]] examinouexumou as caixas que continham os restos mortais. Eles foram incinerados e as cinzas foram espalhadas no rio Biederitz, um distributário do [[Elba]].<ref name=Vinogradov>{{Citar livro |nome=V. K. |sobrenome=Vinogradov |título=Hitler's Death: Russia's Last Great Secret from the Files of the KGB |local=Nova York |editora=Chaucer Press |ano=2005 |isbn=978-1-904449-13-3}}</ref>
 
Outros membros da família Braun sobreviveram à guerra. Sua mãe, Franziska, morreu aos 96 anos em janeiro de 1976, morando em uma antiga casa de fazenda em [[Ruhpolding]], na [[Bavária]].<ref name=Lambert/> Seu pai, Fritz, morreu em [[1964]]. Sua irmã mais nova deu à luz a uma menina em 5 de maio de 1945, a quem chamou de Eva. Ela depois se casaria com Kurt Beringhoff, morrendo em [[1987]]. A irmã mais velha de Eva, Ilse, não era parte do círculo íntimo de Hitler. Ela se casou duas vezes e morreu em 1979.<ref name=Lambert/>